Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Consultório de Psicologia

Espaço de transformação com a finalidade de orientar, ajudar, esclarecer dúvidas e inquietações. Encontre equilíbrio, use sua criatividade e deixe fluir sua energia. Mariagrazia Marini Luwisch

Consultório de Psicologia

Espaço de transformação com a finalidade de orientar, ajudar, esclarecer dúvidas e inquietações. Encontre equilíbrio, use sua criatividade e deixe fluir sua energia. Mariagrazia Marini Luwisch

Namorada traída

 

Olá Sra. Doutora,

 

Tenho 42 anos e namoro há 5  anos com o meu namorado de 48 anos Austríaco e vivo na Alemanha há 8 anos. Em Setembro  deste ano descobri umas mensagens num telemóvel antigo dele e descobri que ele em 2007 me traiu durante 3 semanas com uma mulher Russa durante umas  férias que ele fez sozinho em Tenerife.  

 

Depois da traição ele manteve ainda contacto com essa mulher via e-mail (não muito tempo, diz ele!) mas que nunca mais a viu. Discuti com ele, fiquei uma semana sem falar com ele, o chão fugiu-me dos pés mas depois recebi-o de volta na minha vida apesar desta história estar sempre em minha mente.

Deixei um casamento de 20 anos por causa dele, fiz o meu ex marido sofrer tanto e ainda carrego essa culpa até hoje, tudo por causa dele!

 

Ele diz-me que traiu-me porque havia naquele tempo umas divergências entre nós, mas eu não me apercebi de nada. Hoje continuo com ele mas a dor ainda cá está e às vezes sinto muita raiva e  nojo dele, apesar de o amar muito.

 

Qualquer discussão que haja, busco sempre a o mesmo tema: “ a sua traição”. Ele chorou, pediu perdão, diz que não volta a acontecer mais, já me  levou a Veneza em Novembro deste ano, faz coisas que nunca tinha feito antes, o sexo melhorou consideravelmente (antes era raro) há mais diálogo e ficou muito mais querido e meigo comigo… mas eu não consigo tirar esta vontade o fazer pagar com a mesma moeda. Agora procuro sempre flirts com outros homens e não tenho mais respeito por ele, apesar de ainda não o ter traído fisicamente. Não sei o que fazer, ele diz que descobriu depois dessa traição que eu sou a pessoa mais importante da sua vida e que sem mim a vida é horrível!!

 

 Não consigo a acreditar mais nele. Todos os dias chamo-o  (mentalmente) de cão mentiroso  e nojento. Estou sempre á espera de uma oportunidade de o trair!! 

Procuro não falar mais sobre isto mas sempre que há uma pequena briga (nós não brigamos muito) este assunto volta sempre á tona, não consigo controlar o ódio e a fúria que sinto por isto ter acontecido. Já tentei saber o nome dela, mas ele não me diz. Gostava muito de saber como ela é fisicamente para perceber o porque desta traição, mas ele diz-me que ela nem era interessante sexy ou  bonita como eu. Diz que é assunto que aconteceu  há 3 anos e está enterrado e que nunca mais viu nem contactou mais essa mulher. Mandei mensagens estúpidas a ela chamando-a de cabra e puta nojenta! A que ponto cheguei…

 

Não acredito mais nele, e penso sempre que ele me está a trair com flirts e coisas assim deste género. Nunca pensei que ele me pudesse fazer uma coisa destas!  Estou profundamente magoada… triste... sem rumo… Será que me pode dar uma ajuda Sra. Doutora?

 

Não consigo viver sem ele mas…

 

 

Pensar em vingança não vai trazer nenhum crescimento na vossa relação, pelo contrário, vai somente prejudicar ainda mais o vosso entendimento. Está a usar a sua criatividade de uma maneira destrutiva, pois ao agir assim não vai construir nada de positivo mas vai conseguir destruir a relação e a sua auto-estima.

 

Será que ao se vingar não vai se sentir trair à si própria ? Aos seus valores, às suas crenças? Será que vai ter que mudar a sua personalidade, em função de que o outro agiu mal?

 

A meu ver mais vale usar o ocorrido para aprender e melhorar a relação.

A sua reacção de dizer nomes à outra , foi a forma que encontro para mostrar a sua zanga. Talvez não tenha sido a melhor maneira e nem a mais polida, mas na altura foi assim que sentiu.

 

O que é importante é o que vem daqui para a frente.

 

Perdoar não é fácil, mas se não pode viver sem ele, pode tentar. O tempo cura tudo e quando existe amor, tudo é possível.

 

Se não conseguir ultrapassar, a opção é terminar, voltar a atenção a si própria e voltar a criar a sua vida como acredita que ela deva ser.

 

Pense bem, antes que possa se arrepender.

 

Fique bem

Mariagrazia

1 comentário

Comentar post