Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Consultório de Psicologia

Espaço de transformação com a finalidade de orientar, ajudar, esclarecer dúvidas e inquietações. Encontre equilíbrio, use sua criatividade e deixe fluir sua energia. Mariagrazia Marini Luwisch

Consultório de Psicologia

Espaço de transformação com a finalidade de orientar, ajudar, esclarecer dúvidas e inquietações. Encontre equilíbrio, use sua criatividade e deixe fluir sua energia. Mariagrazia Marini Luwisch

Relacões paralelas

 

 

 

 

Estou passando por um momento muito complicado, sou casado com uma mulher 03 anos mais velha, temos dois filhos pré adolescentes. Com cinco meses do nascimento do nosso filho mais novo ela manteve um relacionamento paralelo com pessoas do nosso convívio. Foi terrível porém como estávamos com dois filhos pequenos e mediante uma série de fatores psicológicos a todos nós acabei relevando mesmo muito ferido. Agora tenho descoberto novos relacionamentos atuais dela, porém todos virtuais. Nesses casos li alguns trechos de coisas absurdas e falsas a meu respeito, acho que pra justificar suas atitudes.


Gostaria de uma opinião sua sobre isso. Ela é uma pessoa de difícil convívio, não só comigo mas com as crianças que é o pior. Tenho vontade de abandona-la, porém tenho valores familiares muito arraigados e sofro em pensar que meus filhos possam sofrer por problemas alheios à suas vontade, pois sempre passei valores familiares muito fortes a eles.

 

CCAA.

 

Caro CCAA,

As relações virtuais podem desvirtuar a relação real, já que se mantem na idealização e representam, muitas vezes, uma “fuga” do real e instalam uma vida de relação paralela que está muito longe do “real”.

 

Para reencontrar o entendimento é preciso identificar os elementos que trazem felicidade ao vosso casamento. Obviamente é necessário que esse trabalho de “individuação” seja feito em conjunto pelo casal. Fale com ela, procure dar espaço para que ela se abra e coloque seus desejos, suas frustrações e ideias para reinventar o casamento, mantendo sempre o foco na vossa relação.


Caso sinta que a relação está definitivamente debilitada, sem possibilidade de melhoras, aí sim, é oportuno pensar em separação. Também para os filhos, não é saudável viverem na família numa relação deteriorada.

Reflita e procure agir com bom senso, como fez até agora.

 

3 comentários

Comentar post