Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Consultório de Psicologia

Espaço de transformações com a finalidade de orientar, ajudar, esclarecer dúvidas e inquietações relacionadas com o seu bem-estar. Encontre o equilíbrio, use sua criatividade e deixe fluir sua energia para favorecer seu crescimento psicológico.

Consultório de Psicologia

Espaço de transformações com a finalidade de orientar, ajudar, esclarecer dúvidas e inquietações relacionadas com o seu bem-estar. Encontre o equilíbrio, use sua criatividade e deixe fluir sua energia para favorecer seu crescimento psicológico.

Mãe de adolescentes

 

 

 

Boa tarde, sou uma mãe de três jovens adolescentes, a precisar de alguma orientação pois está a ser muito complicado o meu relacionamento com eles. Em pesquisa encontrei este site. Tenho lido sobre o assunto apesar de estar um pouco dentro do comportamento adolescente... Mas uma coisa é o que lemos e sabemos dos casos que nos rodeiam, outra é estar dentro da situação e me sentir impotente, perto de desistir... 

 

Sou mãe divorciada há quatro anos, e sempre fui mãe e pai de três jovens, uma com 22 anos e um casal de gémeos com 18. 

O rapaz neste momento é a minha maior preocupação. Está na fase de contrariar tudo, indiferente, respondão, e leva-me ao limite na provocação e desarrumação em casa. Tenho-lhes dito que me sinto apenas a criada deles, que depois de um dia de aulas, chego a casa para limpar, arrumar, tratar das roupas, fazer comida... para no dia seguinte voltar ao mesmo e nem uma palavra amiga ou um beijo ou um simples boa noite... Se falo vira-me as costas com palavras agressivas... cada vez  me apetece conversar menos com eles. Por vezes chego a casa e gostaria que não estivessem lá (para não me incomodar), mas se não estão, fico triste e angustiada. Pergunto onde está toda a formação e educação que lhes transmiti desde pequenos.

Frequentaram música, escuteiros, catequese, reuniões da seicho-no- ye, são reikianos, tudo por iniciativa deles e livre-vontade, sempre com o meu apoio. Sempre fui mãe presente e tentei não ser muito repressiva, embora tivessem regras. Foram habituados a partilhar, a fazer de tudo e colaborar nas tarefas domésticas, sempre tive muito orgulho neles. 

 

Hoje quase não os conheço. Parecem-me distantes, indiferentes sem sentimentos, muito críticos em relação a tudo e todos ( como se eles fossem os melhores), muito egoístas... estão sempre à espera que lhes façam tudo e nada são capazes de fazer pelos outros. A mãe parece que só serve para tratar da casa e pagar as despesas... Apetece-me afastar-me, ou mandá-los para casa do pai , ( o que eles não querem de maneira nenhuma, apesar de se entenderem com ele,) ou ser indiferente com eles, para ver se eles sentem o que eu sinto. Não sei mesmo como reagir com eles, mas ando muito magoada. Gostaria de ter uma resposta ou alguma orientação, antes que tome alguma atitude menos correta, pois estou cansada. Estou a passar por isto há três anos. Obrigada.

 

Cara mãe,

 

Antes de tudo quero dar-lhe os parabéns por ter 3 filhos adolescentes para "educar " e ainda no duplo papel de mãe e pai!

 

Todas as pessoas com filhos adolescentes já experimentaram desrespeitos dolorosos, mas o importante é não deixar que as acções se tornem crónicas e insuportáveis. Para tal é preciso antes de tudo saber dar limites, suporte, orientação e encorajar a independência responsável, sempre com muito amor carinho. Também é importante que eles ocupem seu tempo com estudo, trabalho, desporto, leitura, amizades e uma variedade de outras actividades que os mantenham saudavelmente ocupados.

 

Os adolescentes podem dar a entender serem frios e distantes mas no fundo necessitam de afecto e atenção. É importante não se fazer de vítima mas ter uma atitude coerente e firme. Ao demonstrar logicamente e emocionalmente entendimento de algumas situações ajuda a que se sintam valorizados, aceitos e consequentemente menos conflituosos, o que os ajuda a resolver melhor seus próprios problemas.

 

Seleccione as batalhas muito cuidadosamente e acima de tudo, mostre-lhe que são importantes para si. O exemplo é a melhor educação!

 

 

1 comentário

Comentar post