Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Consultório de Psicologia

Espaço de transformação com a finalidade de orientar, ajudar, esclarecer dúvidas e inquietações. Encontre equilíbrio, use sua criatividade e deixe fluir sua energia. Mariagrazia Marini Luwisch

Consultório de Psicologia

Espaço de transformação com a finalidade de orientar, ajudar, esclarecer dúvidas e inquietações. Encontre equilíbrio, use sua criatividade e deixe fluir sua energia. Mariagrazia Marini Luwisch

Relação estável

 

 

 

Sra. Dra.:


Estou escrevendo estas simples linhas para lhe comunicar que tenho 59 anos de idade sou reformado bancário e procuro uma relação estável para a minha vida cá que ao longo de estes anos que vivo ainda não encontrei a estabilidade desejada. Gostava de saber se é possível sermos felizes na nossa sociedade actual. Sou casado e a minha relação tem muitos altos e baixos sem muitas vezes saber o porque?

Tenho por norma ajudar os outros a serem felizes mas não consigo muitas vezes esse objectivo pois só me sinto bem quando vejo a minha volta pessoas felizes caso contrario sinto-me infeliz. Será possível sermos felizes ajudando o n/semelhante ou e preciso mais ingredientes para atingir a felicidade.        

Sou um homem de coisas simples e pouco ambicioso será por isso?
Agradecia algum conselho se o tiver já que é provável que tenha alguma experiência baseada nos depoimentos que lhe são transmitidos.

Até sempre


Caro amigo,
Felicidade é um estado, é difícil correr atrás dela mas aproveite quando ela se apresenta naturalmente.
 
Penso que convinha que fosse em : http://www.psico-online.net/psicologia/felicidade.htm para ler um artigo que escrevi sobre felicidade e onde encontrará algumas dicas.
 
As relações humanas são complicadas e muito frequentemente tem altos e baixos. Mesmo se encontrar outra relação poderá acontecer o mesmo.
 
Acho que é possível sermos felizes mas nem sempre todo o tempo e lembre-se que a felicidade está dentro de nós próprios e é em nós que devemos procurá-la.
 
O que pode fazer além de continuar a ajudar os outros é ajudar a si próprio:  faça novos projectos de vida que o compensem  e preencham esse vazio existencial que sente. Procure um hobbie, uma ocupação  compensadora, faça exercícios físicos, faça um curso, leia um livro, faça uma viagem interessante, etc.
 
Felicidades
Mariagrazia