Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Consultório de Psicologia

Espaço de transformação com a finalidade de orientar, ajudar, esclarecer dúvidas e inquietações. Encontre equilíbrio, use sua criatividade e deixe fluir sua energia. Mariagrazia Marini Luwisch

Consultório de Psicologia

Espaço de transformação com a finalidade de orientar, ajudar, esclarecer dúvidas e inquietações. Encontre equilíbrio, use sua criatividade e deixe fluir sua energia. Mariagrazia Marini Luwisch

Vida complicada e violenta

 

 

 

 

Tenho outra situação para contar que está relacionada comigo mesma.

 

Eu nunca tive pais que me dessem grande apoio e atenção não quero estar a parecer ingrata mas e verdade, no que toca a minha mãe posso dizer que é uma grande mulher e tenho orgulho nela pois é uma mulher batalhadora e muito trabalhadora nunca teve medo do trabalho, mas também errou em algumas coisas comigo, mas errar é normal ninguém é perfeito, mas tudo o que eu vou contar a seguir afecta-me ainda hoje pois não consigo esquecer...

 

O que vou contar eu nunca contei a ninguém nem aos meus amigos nem a nenhum psicólogo ou psiquiatra a que já fui, pois nunca tive coragem, mas agora eu não aguento mais pois este sentimento sufoca-me!  

 

O meu pai é um bêbado desde sempre, nunca foi um homem trabalhador para resumir nunca foi um homem de família, sempre foi a minha mãe que trabalhou ele fez dividas e a minha mãe é que pagou. Quando chegava à casa bêbado era violento e minha mãe e eu tínhamos que nos trancar no quarto até a bebedeira dele passar e a coisa é que ele nunca admitiu os erros. Ainda hoje diz que não era bêbado, ele agora está melhor mas de vez em quando ainda se embebeda...

Eu era uma criança e assistia a tudo.

 

Eles tinham que viver em casa dos meus avós porque não tinham dinheiro, se bem que naquela época se o meu pai trabalhasse como a minha mãe teriam feito uma vida boa sem nenhuma dificuldade com casa carro...

 

Para ajudar a família da minha mãe não presta, a excepto os meus avós agora já velhotes, isto é assim: os meus pais e os meus tios viviam todos juntos na mesma casa e os meus tios são uns grandes invejosos que só estão felizes com o mal dos outros principalmente com o nosso mal, em vez de darem apoio sempre se riram e gostavam quando havia problemas. Sempre me odiaram por eu ter boas notas e me chamavam esquelética por ser magra e não era assim tão magra, agora sei que tinham inveja. Mas isto era toda a família da minha mãe, não apenas os meus tios até houve uma fase que a minha avó e a minha mãe se deixaram levar por eles e se juntavam as duas para falar mal de mim a minha mãe até dizia que se soubesse nunca me tinha arranjado, mas é isso que eu agora vou falar do meu problema isto é só para entender o meu ambiente familiar que é horrível ainda hoje.  

 

Eu: A minha mãe já grávida de mim passou por situações complicadas como o meu pai deixou-a e como sempre a família nunca a apoiou. Ele chegou a dizer que eu não era filha dele ainda eu não era nascida, e uma coisa que me revolta é que a minha mãe sempre foi daquelas raparigas tipo freira que nunca namorou só namorou o meu pai e casou-se virgem com 22 anos. Sempre foi uma mulher integra nesse aspecto ainda hoje ainda não se divorciou dele e nunca o traiu. Eu tenho muito orgulho dela apesar de tudo, e o meu pai fez uma aposta com ela antes de se casar que tinha relações sexuais com ela e depois largava-a e a minha mãe era virgem e ingénua uma rapariga simples mas isto antes de se casar.

 

Já casada como estava a dizer engravidou e durante a gravidez deixou-a várias vezes e disse que eu não era filha dele e o meu pai até chegou a rasgar a cama com uma faca... Portanto eu já na barriga sentia isto.

 

Eu desde que me lembro da minha existência sempre houve discussões enormes e eu claro sempre assisti a tudo.

Andava sempre doente até cheguei a ter sintomas de meningite a minha sorte foi eu ter uma grande pediatra que sempre me ajudou que recentemente morreu de cancro uma tragédia que me abalou.

 

Voltando a mim, eu sou inteligente sempre fui muito inteligente mas no sétimo ano meti-me com más companhias por causa dos problemas que tinha em casa e reprovei. Uma coisa que não esqueço até hoje porque isso nunca devia ter acontecido. Eu reprovei porque não estudei, não queria saber da  escola não por ser burra porque não sou!

E a minha tia começou a espalhar a toda a freguesia que era burra. Está a imaginar a minha revolta?

 

Bem eu ultrapassei isso e hoje estou a estudar Direito e vou acabar o curso este ano e tenho das melhores notas do meu ano. Ela também me odeia por isso. Essa minha tia é tão má que houve uma vez, eu ainda criança, que estava a chover bastante e eles moravam na parte de cima, tinham um terraço e estavam a varrer e a água a cair toda na janela da nossa cozinha e a molhar tudo e a minha mãe só porque disse para não fazer isso berrou um pouco o meu tio espancou-a, sim bateu-lhe a minha frente e nem comigo a berrar ele parou eu odeio!

 

A minha mãe nem fez queixa à polícia, não sei como que ela não fez...

Ainda hoje esse homem diz que é mentira e fala mal da minha mãe. Eu não aguento tanta injustiça! Isto é demais para mim! Existe muita mais coisa para contar, mas não dá para contar tudo porque é muita coisa...   Só vou resumir ao seguinte: eu toda a vida sofri violência psicológica e física. Sim a minha mãe batia-me demais para uma criança só porque eu me sujava ou espalhava os brinquedos ou subia nas árvores afinal são coisas saudáveis normais para uma criança, mas para a minha mãe não ela deu-me muita surra e ainda assim eu gosto dela. Sofri muita violência psicológica da parte do meu pai, muita pressão e da parte da família da minha mãe sempre a deitar a baixo e que eu nunca ía ser ninguém na vida e eu tinha mais capacidades do que eles todos juntos. Eles é que sao os culpados de eu ter tido uma vida miserável... Na escola para ajudar sofri de bullying...     O que eu estou a tentar dizer é que eu sou mais do que aparento ser, só que tive uma vida complicada...

 

E eu não admito a ninguém hoje que me humilhe ou me ofenda, não suporto isso! E a causa é o meu passado. Eu não esqueço o meu passado por mais que eu tente não dá...

 

Eu tenho muitos defeitos, também muitas das coisas em que errei também fui eu, mas é que eu sei disso e admito os meus erros sempre admiti, mas estas pessoas estão sempre a acusar-me de coisas em que eles é que foram os culpados! E eu não aceito isso...   Eu sou uma pessoa muito nervosa e ansiosa. Os meus pais até dizem que sou maluca...   O que e que se passa comigo? Será que o problema sou mesmo eu? Tenho que mudar? Mas as pessoas não sabem nada sobre mim!

As pessoas conhecem-me como uma rapariga bem-educada, calminha, simpática, às vezes exaltadas quando me ofendem sem terem razão...

 

Eu procuro sempre ter uma personalidade forte e com valores eu acho isso muito importante uma vez que eu não suporto gente falsa e violenta... Eu nunca descarrego em ninguém só quero ajudar as pessoas com o meu curso. Mas agora quem precisa de ajuda sou eu depois de todos estes anos já que a minha família não presta...

E eu sofro muito mas mesmo muito com isso porque eu sempre quis ter uma família fortemente unida que me ajudassem e que os problemas de fora não são difíceis de enfrentar quando dentro de casa se tem apoio, mas quando não se tem e muito complicado.

Eu sinto-me fraca e sozinha e deprimida com a vida tenho 21 anos.

Mas apesar de tudo eu tenho uma enorme vontade de viver e de ser feliz e constituir família, só não esqueço o passado e não lido bem com pessoas invejosas e tenho medo que pensem mal de mim...

Mas eu costumava ser forte e não ligava para o que os outros diziam isto foi recente, sentir-me assim.  

 

Estou perdida não sei o que fazer com esta situação.   

Espero que me de a sua opinião.

 

Muito obrigada

Cumprimentos, A.

 

 

Cara A.,

 

A sua vida não foi e não tem sido fácil. Nem sempre a nossa família corresponde às nossas necessidades e expectativas, mas a sua família não colaborou em nada para o seu bem-estar, pelo contrário trouxe-lhe muita frustração, insegurança e baixa autoestima. A parte positiva é como você mesma diz: “…apesar de tudo eu tenho uma enorme vontade de viver e de ser feliz e constituir família, ….eu costumava ser forte e não ligava para o que os outros diziam ….” .

 

Precisa ter fé, confiança em si própria e lutar com a sua força interior para conseguir alcançar os seus obetivos.

Tente não se sentir vítima, mas vencedora, vencedora de ter chegado até aqui, mesmo com muita carência e dificuldades.

 

Não dê tanta importância para o que os outros dizem. Pense nos seus objetivos e foque a sua energia no aqui e agora. Procure fazer pequenas mudanças de estilo de vida: fazendo exercícios físicos diários, cuidando da alimentação e encontrando sempre algum tempo para descontrair e relaxar no seu dia a dia.

 

O mais indicado seria, se pudesse ir a consultas de psicologia, para trabalhar os seus “traumas” do passado que a perturbam e prejudicam no presente, embora tenha um bom prognóstico para conseguir superar vai ser preciso ter muita paciência e persistiria e não perder as esperanças de ter uma vida melhor, livre de bloqueios.

 

Um grande abraço e tudo de bom

 

2 comentários

Comentar post