Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Consultório de Psicologia

Espaço de transformação com a finalidade de orientar, ajudar, esclarecer dúvidas e inquietações. Encontre equilíbrio, use sua criatividade e deixe fluir sua energia. Mariagrazia Marini Luwisch

Consultório de Psicologia

Espaço de transformação com a finalidade de orientar, ajudar, esclarecer dúvidas e inquietações. Encontre equilíbrio, use sua criatividade e deixe fluir sua energia. Mariagrazia Marini Luwisch

Adolescente e computador

 

 

 

Prezada Dr.ª Mariagrazia!

 

Estou cada vez mais preocupada com o desenvolvimento do meu filho,  adolescente de 15 anos, estuda pela manhã e nas tardes que tem livre fica todo o tempo conectado à internet e em jogos violentos, sangrentos, normalmente de guerra.

Não tem vida social, não pratica esportes, até tentamos colocar ele em uma escolinha de futebol, mas toda vez que ia ficava com mal estar, náuseas e dores de cabeça.

 

Não vai muito bem nas notas da escola, está fazendo um cursinho de matemática, mas está indo obrigado, forçado.

Pouco conversa connosco (Pais), ou melhor, pouco conversa com todo mundo, não tem amigos, quando chego em casa do trabalho, encontro ele toda vez no computador, seja de meio-dia ou a noite, qualquer horário, fico agoniada pois cobro todo dia a falta de estudo e a pouca importância que ele dá para a família.

 

O quarto é o mundo dele. Se deixar ele fica acordado 24 horas jogando, conectado, sem falar com ninguém.

Brigas constantes têm acontecido por causa disso, ele não se manifesta, não responde e quando deixamos de castigo (sem internet) ele senta na frente da TV, sem falar nada e fica como se fosse a vítima de algum crime.

 

Pior é que quando brigamos, o que vem ocorrendo frequentemente, ele simplesmente faz que nada está acontecendo, ou escuta e não demora meia hora já está fazendo tudo o que pedimos que não faça.

 

Por favor, precisamos de orientação, pois já estamos cansados.

T.

 

Cara T.,

 

De um modo geral, quanto mais tempo os adolescentes passam a ver televisão ou a usar o PC, maior é a probabilidade de se sentirem incapazes de estabelecer um vínculo afetivo seguro com os seus pais. Pelo contrário, os adolescentes que passam mais tempo a ler ou a fazer os trabalhos de casa revelam um vínculo muito mais forte em relação aos pais.

 

A substituição do tempo gasto pelas crianças e adolescentes em atividades físicas próprias da idade (correr, pular, brincar e movimentar-se de forma geral) está sendo substituída pelo tempo prolongado em computadores e vídeogames, levando assim a um sedentarismo precoce que, associado a má postura, são as principais causas de degeneração da coluna vertebral desses jovens.

 

O seu filho está vivendo uma fase de isolamento e precisa ser ajudado. Como mãe e educadora, precisa colocar limites, por exemplo não deve deixar que ele fique mais de 2 horas por dia no computador, e regras , como por ex. fazer algum desporto ou curso nas tardes livres, para que encare a vida real e abandone a vida virtual.

 

É preciso negociar os limites, que depois de negociados e acordados, devem ser seguidos.

Caso não resulte está indicado um tratamento psicoterápico com o objetivo de identificar e mudar os possíveis esquemas de pensamentos negativos e distorcidos do seu filho (assim como na vossa família) e a tendência ao isolamento. O adolescente na terapia é incentivado a expressar seus sentimentos, dúvidas e medos e, assim, abrir espaço para mudança.

 

Certamente o seu filho assim vai superar e voltar-se mais para a vida real!

Um abraço

14 comentários

Comentar post