Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Consultório de Psicologia

Espaço de transformação com a finalidade de orientar, ajudar, esclarecer dúvidas e inquietações. Encontre equilíbrio, use sua criatividade e deixe fluir sua energia. Mariagrazia Marini Luwisch

Consultório de Psicologia

Espaço de transformação com a finalidade de orientar, ajudar, esclarecer dúvidas e inquietações. Encontre equilíbrio, use sua criatividade e deixe fluir sua energia. Mariagrazia Marini Luwisch

Depressão de Natal

 

 

 

 

 

 

 

 

A pessoa deprimida precisa ser compreendida e cuidada...

 

O Natal é um período considerado de alegria e esperanças optimistas. Normalmente é assim, mas para muitas pessoas pode ser uma época muito triste e se fazer acompanhada por sentimentos de solidão, desamparo e desânimo. Essa condição é chamada Depressão de Natal ou "Christmas Blues".

 

A depressão das festas é comum no mês de Dezembro durante o frenesi do Natal e Fim de Ano, ao fazermos balanços e projectos. O que para muita gente é a época mais feliz do ano para outros é bem ao contrário. O Natal e os encontros de família podem se transformar em momento tristes e difíceis de suportar, especialmente se a pessoa já está deprimida ou a passar por uma crise existencial.

 

O Natal é a época que mais afecta os depressivos, embora a depressão possa atacar em qualquer época do ano é na época do Natal que a maioria dos suicídios acontece. Devemos estar atentos a isso e especialmente aos idosos que necessitam de maior atenção.

 

Há muitas causas para esse tipo de distúrbio do humor que pode evoluir para uma depressão verdadeira, com os mesmos sintomas da depressão clínica.

Geralmente a depressão de Natal é de duração breve, desde alguns dias a semanas e em muitos casos termina quando as férias acabam e retorna-se à rotina quotidiana.

 

É necessário tentar perceber, quais possam ser os motivos de cada um, os mais relacionados à esfera dos afectos bem como os mais estritamente físicos.

 

Entretanto podemos sugerir algumas regras básicas de saúde durante as festas.

 

Factores que contribuem para a Depressão de Natal

  • Aumento do stress
  • Fadiga
  • Expectativas não realizadas
  • Vulnerabilidade biológica à estação e à fraca irradiação solar
  • Dificuldade em estar com a família
  • Lembranças de celebrações passadas
  • Pressão social para o consumo excessivo
  • Mudança da dieta
  • Mudança da rotina quotidiana
  • Falta de alguém que já não existe

Os sintomas mais comuns da Depressão de Natal são:

  • Dor de cabeça
  • Incapacidade de dormir ou dormir muito
  • Mudanças de apetite
  • Agitação ou ansiedade
  • Sentimento de culpa excessivo ou inapropriado
  • Diminuição da capacidade de concentração
  • Diminuição do interesse em actividades que normalmente levam ao prazer

Como defender-se da “Depressão de Natal”:

Fazer:

  • Minimizar as expectativas e transformar o Natal em uma “festividade normal”.
  • Ter um programa organizado para esse período de festas.
  • Não formular propósitos de mudanças totais para após o Ano Novo.
  • Praticar uma actividade física ao ar livre, mesmo se estiver frio e principalmente nas horas de luz.
  • Exercitar o pensamento positivo
  • Estar com pessoas

Não fazer:

  • Não mudar muito os ritmos e particularmente os do sono
  • Não beber álcool em excesso
  • Não exagerar com a comida
  • Não ter expectativas irrealizáveis
  • Não focar no que não temos
  • Não lamentar o passado, mas fazer pequenos propósitos para o futuro realísticos e concretos.

Concluindo: deixar de lado projectos “extraordinários”, propor-se objectivos realísticos, organizar o próprio tempo, fazer listas, prioridades, fazer um plano e segui-lo. Sair da ritualidade muito “Litúrgica” das festas e procurar inventar novas maneiras para celebrar o Natal.

 

É importante principalmente permitir a si próprios de estar triste ou saudosos. Esses são

sentimentos normais particularmente na época de Natal.

 

Boas festas 

Mariagrazia Marini