Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Consultório de Psicologia

Espaço de transformação com a finalidade de orientar, ajudar, esclarecer dúvidas e inquietações. Encontre equilíbrio, use sua criatividade e deixe fluir sua energia. Mariagrazia Marini Luwisch

Consultório de Psicologia

Espaço de transformação com a finalidade de orientar, ajudar, esclarecer dúvidas e inquietações. Encontre equilíbrio, use sua criatividade e deixe fluir sua energia. Mariagrazia Marini Luwisch

Problemas no casamento

 

Nos conhecemos, namoramos e noivamos dentro dos rituais normais, com muita dádiva um ao outro e muita união. Depois de 4 anos, nos casamos de livre vontade e com muito amor. Já estamos mais 4 anos juntos e temos um filho de 2.

Minha esposa vem de uma educação tradicional, normal e valoriza as raízes do casamento, com mais amor, alegria. Eu, já não tive esse objectivo principal, mas tenho bom senso do que é o casamento e vivencio mais uma relação a dois no molde do respeito, estar presente e companheirismo, mas sou mais fechado quanto a demonstrações de carinho.

Tudo ia bem, até que ano passado, tivemos duas situações inusitadas que envolviam um ex namorado e uma terceira pessoa totalmente desconhecida, fruto provável de salas de bate papo ou....

....ela disse que estava triste, que não estava a mesma coisa, que estava fazendo terapia, que procurava se o erro era dela, que não estava feliz.

Assumo que fiquei muito surpreso pois até aquele momento, pra mim estava tudo bem. Casamento amadurecendo, tivemos poucas brigas e nenhuma séria, sempre nos relacionamos bem.

 

...Minha dúvida é: já tentei varias coisas, conversar, ficar calado, demonstrar carência, aproximação, demonstrar carinho, etc. e não temos resultados. Sinto que estamos nos distanciando mais ainda e o orgulho dela fala mais alto. O que será que aconteceu....

 

 

 

 

 

Problemas na relação

Olá,
chamo-me G. e gostaria muito de pedir sua ajuda
 
Estou com um homem há 6 anos, quando nos conhecemos ele tinha 2 filhos da 1 relação e eu tinha 1 de um relacionamento passageiro
 
Hoje temos uma filha, mas sempre tivemos problemas pois ele sempre foi mulherengo e todos dizem e também vi vários factos que levam a acreditar que ele me traiu muito e me trai. Amo muito ele e não sei o que fazer. Ele me magoa grita comigo me trata mal e diz que a única pessoa na vida dele que ele tratou e trata mal sou eu. Não entendo pq acho que ele não gosta de mim e isso é horrível viver com uma pessoa que vc ama, mas que ela não te ama. Como faço pra deixar de gostar dele e parar de sofrer?
Por favor me ajude estou desesperada e sofro muito não sei o que é pior estar ao lado de quem eu amo, mas não me ama ou me afastar e pelo menos ele não vai me humilhar, mas não vou tê-lo próximo de mim, mas o que faço?

Vida injusta

Bom dia...
 
O meu nome é B. e tenho 21 anos.
Á muito que venho a adiar uma visita a um psicólogo ou psiquiatra. Não sei a razão certa, mas para além da falta de tempo e a despesa que seria para mim, receio também que seja falta de coragem.
 
Entretanto vi este site e apanhei a oportunidade para desabafar e pedir concelhos para a minha mente confusa.
 
Várias vezes coloco a pergunta se eu é que penso errado ou afinal são as pessoas é que são ignorantes e gostam de fazer mal aos outros...
Venho de uma família muito problemática, que com a falta de dinheiro agrava a situação e o dia a dia é sobre discussão e porrada mesmo. Assisto a esta situação desde os meus 5 anos.
O meu pai sempre foi doente da cabeça devido a uma infância muito difícil e problemática e ainda hoje toma medicamentos. Pois bate muito na minha mãe porque a minha mãe também não ajuda. É uma pessoa sem orientação, foi operada tinha eu 9 anos à coluna e desde então não pode mais trabalhar.
Menos um ordenado. E começou a beber. Somos 3 irmãs e o sustento sempre foi muito pouco. Dinheiro, motivo de discussão todos os dias. Tive uma infância diferente das minhas amigas. Muito rígida.
 
O meu pai sempre foi assim. Se não fizesse as coisas á maneira dele apanhava na hora. Nunca tive regalias em nada. Também nunca faltou comida, mas olhava para as minhas amigas e nada. Não tinha nada. Cresci a trabalhar nas terras e nas obras com o meu pai...
O fim-de-semana e as férias eram o meu inferno. Adorava andar na escola! Era o meu santuário  
 
Aos 14 tentei me matar... mas não consegui fazer.
 
Entretanto aos 16 tive o meu 1º namorado. Namoramos 3 anos e 2 meses. Comecei a trabalhar e a estudar á noite para terminar o 12º. Sempre quis ir pra universidade, mas não tinha dinheiro....
 
O meu namoro também não correu bem... Ele traiu-me várias vezes e sempre perdoei. Mas cheguei a uma altura em que as minhas colegas diziam que não era um namoro, comecei a olhar para outros casais e vi que não estava bem. Ele ralhava muito comigo. Eu não me podia rir que ele ficava chateado. Mandava-me calar. Chamava-me burra. Não saíamos muito... Era muito raro. Não fazíamos passeios nem nada.... Uma rotina infernal. Por mais que lhe pedisse, estava sempre cansado. Pra mim, porque pras coisas dele e amigos e amigas não.
 
Fartei-me e acabei com ele. Um inferno em casa. Os meus pais não aceitaram nada bem. Cheguei mesmo andar a zurra com a minha mãe. O meu pai diz que manchei a família. Porque das minhas primas era a que tinha mais juízo e era certinha. Mas o tempo passou. Conheci mais um erro na minha vida que só durou um mes, mas arrependo-me porque me entreguei a ele e é como k me sujei por dentro. pk ele tb m traiu, era muito convencido e me iludia com palavras. Se o tempo voltasse atrás....
 
Entretanto aos 19 anos comecei a sair com a minha irmã e a minha melhor amiga e a divertir-me mais. Conheci outra pessoa que mora muito longe de mim. Era vendedor e conheci no trabalho. Mais uma vez fui enganada e me deixei levar pelas palavras carinhosas. Palavras que nunca tive. Também durou 2 meses porque ele por fim contou que tinha uma filha. Mesmo assim aceitei. Adoro crianças. Mas a distancia, o facto de ele não kerer vir ter comigo, acabou por ele m deixar. e mais uma vez m entreguei a outra pessoa.
 
Não aprendi. Hoje vejo que os homens só pra ter relações sexuais mentem e dizem palavras carinhosas.
Entretanto conheci o meu actual namorado. Com quem vivo há 4 meses. Conheci-o pela net. Apesar de já o conhecer de vista, porque somos do mesmo concelho e por ele ter uma loja de tunning.
 
Começamos a falar, ele contou-me só passado um tempo k namorava. Mas sempre foi uma conversa de amizade, nada de engate. Quando ele começou a desabafar sobre a sua relação, que traía varias vezes a namorada. Histórias que me deixam triste e de ver o quanto o homem é falso só por uma noite de prazer. Dei-lhe concelhos. Visto que em 9 nos de namoro nunca tiveram relações. O k o levou a procurar prazer em outras mulheres. Pelo o k fala da namorada é uma pessoa maravilhosa, mas ainda com um pensamento antigo. Não gosta de sair e ta sossegada no seu canto. Ele ao contrário é uma pessoa mais activa.
 
Acabamos por gostar um do outro e envolver. Juro que não queria mas o coração foi mais forte. Descobriram-nos, a namorada tentou-se matar, as pessoas começaram a falar mal de mim a ele e ele distanciou-se de mim. De vez em quando falávamos um com o outro. A saudade era maior. Acabamos novamente por começar a sair, mas quando iam falar mal de mim a ele, era o inferno.
 
Ouvi palavras dele muito mas, porque acreditava nas pessoas. e a quantidade de mulheres atrás dele era demais. Quantos dias chorei, por gostar dele e por m sentir culpada na situação da relação dele e imaginava que no fim ia levar outro pontapé. Fiz á namorada dele o k o meu ex também m fez... E dói demais. Passou 7 meses nesta vida de espera, de ouvir te amo e nada dele resolver. Até por fim terminou com ela.... e ele começou a desligar dos amigos que o levavam pra vida da noite e das pessoas que só s metiam na vida dele. Namoramos há 6 meses e é a melhor coisa que me aconteceu. o ano k passou aconteceu muita coisa sobre nos e entretanto tb sai de casa que não aguentava o ambiente com o meu pai. Tenho um trabalho em princípio fixo, mas a receber 394 euros como secretaria e umas horas depois das 5 e 30 numa clínica dentária. O meu namorado é dono de um stand e tem uma construtora com o pai, mas o dinheiro está a acabar... não vende carros, não consegue a licença do prédio para poder vender. Um stress. Parece que desde que estamos juntos é só problemas.
 
Também ando cansada do meu trabalho. Farto-me de trabalhar pra receber um mísero, e não chega pra ajudar. O meu namorado já estava a fazer casa com a ex. Agora vou eu pra lá e isso mexe muito comigo. Vou pra uma casa que não foi feita pra mim e para ele. Mas sim pra ele e pra ex. Sinto-me inútil por não o conseguir ajudar. Não sei k fazer porque ambos andamos stressados e precisamos de apoio. Comparo-me todos os dias a ex e sinto-me inferior... 
 
Hoje sinto-me burra, despassarada, má. Irrito-me facilmente. Penso demais. Como a minha irmã diz "não tenho auto-estima". Só penso asneiras. Estou sempre a imaginar que ele m trai... por saber as coisas que fez á ex namorada. Tenho de confiar nele porque sei k ele mudou muito e é muito meigo para mim e m ajuda muito. Mas tenho muito medo. Sempre tive medo. Não sei. Sinto-me confusa. Penso em muitas asneiras. Sempre penso no mal. E acabo por ter cada pesadelo. Só queria era ter um trabalho também que me puxasse por mais animo e ver as coisas pra ele correrem bem. Porque me sinto inútil e não sei k fazer.
 
Desculpe o incómodo. Só gostava de desabafar e perceber esta vida injusta...
Obrigada

Pensamento de Sabedoria

 

 

Desfrute mesmo que de pouco

 

Cada prazer é um bem pela sua própria natureza.

 

Cada dor é dolorida, mas não podemos sempre fugir  da dor.

 

Precisamos julgar um e outra com base na utilidade e nos danos.

Às vezes revela-se que o bem se traduz num mal e um mal se traduz num bem.

 

Consideremos também a independência das necessidades, não porque devemos ser felizes sempre com pouco mas se por acaso temos pouco, convencidos que somos que a abundância se aproveita com mais doçura se dependemos menos dela. 

EPICURO

 

Entrevista a Carl Gustav Jung

Sobre o sentido da vida...

" class="ljvideo"> 

Mãe galinha

Olá bom dia,

Tenho 48 anos, dois filhos, um rapaz com 24 anos e uma menina com 16, acho que me preocupo demais com eles acabando por prejudica-los no sentido de não lhes dar espaço para poderem viver a vida deles.

O meu filho trabalha por turnos e eu não suporto a ideia de ele sair de casa à noite para ir trabalhar, tenho que saber sempre se já chegou ou se já saiu e sei que ele não se sente bem com esta situação porque vive pressionado.

A pequena anda na escola e tem que me dizer sempre onde está, sinto pânico quando penso que ela tem que atravessar as estradas, e estou sempre a ligar-lhe a perguntar se está tudo bem, portanto eles acabam por não ser livres, entendo que isto não é saudável nem para mim nem para eles, durante o dia só penso neles se comem bem, se andam ao frio, se andam ao sol ou se andam mal acompanhados enfim chego ao fim do dia mais cansada que o que devia, sei que isto não é normal mas não consigo viver de outra forma, que hei-de fazer para não ser tão obcecada.

Quando não consigo falar com eles por qualquer razão entro logo em pânico e fico agressiva e não queria que isto acontecesse.

 Tenho o meu marido que me ajuda mas não chega, ele por vezes também não sabe como agir, é muito compreensivo e é isso que ao mesmo tempo me ajuda a ser feliz.

Atenciosamente,

Momentos com ex-namorado

Boa noite Dr.ª

 

Tenho 21 anos e namoro há cerca de 6 meses. Ando bastante confusa relativamente a uma questão. Há cerca de 1 mês para cá, quando estou em momentos mais íntimos com meu o namorado, seja em simples trocas de carícias seja quando estamos a ter relações, afloram à minha mente momentos que vivi com um ex-namorado com uma nitidez quase real, momentos esses já passado há quase 2 anos.

Torna-se confuso porque não são vagas memórias, são os próprios acontecimentos vividos com todos os pormenores.

Já tentei conversar com o meu namorado mas a conversa não correu muito bem pois notei que ficou um pouco chateado.

 

Não consigo perceber o porquê destas memórias tão reais.

Será que consegue dar-me umas luzes sobre esta situação?

 

Melhores cumprimentos

I.

Relacionamento à distância

Bom dia!

Tenho 22 anos. Namorei durante 3 meses com uma garota de 17 anos. Foi um relacionamento a distância. Conversávamos pela internet, cartas telefone e tive a chance de visitá-la 3 vezes. Hoje, 8 meses após o fim do relacionamento, fiquei apreensivo a respeito das mensagens carinhosas encaminhadas, das cartas que escrevi e fotos que estão com ela em outra cidade.
 
Minha mente simulou diversas situações que poderiam acontecer no futuro em função disso. Agora estou com início de depressão e síndrome do pânico. É como se eu tivesse cometido um erro em iniciar o relacionamento e investir nele. Qual sua orientação? Obrigado.
 
DJ

Site de relacionamentos

 
Dra. Mariagrazia,
 
Meu nome é M., sou brasileira e estudante de Direito. Gostaria se possível obter alguns esclarecimentos sobre um determinado assunto.
 
Há 3 meses conheci em um site de relacionamentos português, uma pessoa agradável, inteligente, simpático, separado, 39 anos e um filho. No início das nossas conversas me mostrei bem resistente aos sentimentos que este já demonstrava em relação a mim, pois fui clara ao dizer que não acreditava em paixões virtuais e como poderia declarar-se apaixonado se nem ao menos me conhecia?
 
Disse estar ficando apaixonado, me deu seu telefone, me ligava quase todos os dias, mandava mensagens de texto, cartões virtuais, ligou Natal, Ano Novo...e logo no início deste ano avisou que estaria chegando em Fevereiro pra passarmos uma semana juntos. Daí o perguntei se eu não fosse o que ele esperava, ele respondeu quê o que mais interessava ele já conhecia o meu interior, disse pra não ter medo e que por ele ser uma pessoa que trabalha em televisão (ele trabalha na TV, é realizador) iria contar nossa estória em um dos programas que dirige, que me adorava demais e não via a hora de chegar em casa e já me encontrar que me queria todos os dias.
 
Fiquei na expectativa, contando os dias para a sua chegada. E neste dia fui recepcioná-lo no aeroporto. Quase chorei de emoção ele me deu um abraço bem apertado e só nos beijamos uns 10 minutos depois. Meu coração bateu forte. Nem a diferença de tamanho me importou (ele é mais baixo do que eu) A partir daí ficava me olhando e a me chamar o tempo inteiro, todos os dias de linda, que tinha gostado dos meus beijos...Já no hotel depois de jantarmos fomos dormir e fizemos amor com muito envolvimento, olhando nos olhos nem acreditava no que estava acontecendo. Por vezes acordei e ele estava parado me olhando...
 
Passamos os primeiros dias nos divertindo muito, dançamos, ele demonstrava até ciúmes quando alguns homens me olhavam talvez por causa do meu tipo físico, sou morena clara, cabelos pretos lisos e compridos e tenho um corpo atlético já que malho muito, fazíamos amor pelo menos 3 vezes ao dia, ele sempre que tomava a iniciativa...Estava vivendo um conto de fadas. Ele chegou a dizer que iria me ajudar a procurar uma faculdade em Portugal pra que tentasse equivalência e transferisse o meu curso pois não queria ficar longe de mim.
 
No terceiro dia de repente ele olha pra mim e diz que eu não era o que ele esperava...meu mundo desabou!
 
O perguntei o que havia feito pra me tratar daquela forma, ele disse que não me devia explicações e não iria falar nada. Perguntei se ele estava com medo do que estava sentindo por mim, ele ficou nervoso como se talvez não quisesse admitir algo. Nesta noite não dormiu nem eu nem ele, ele demonstrava inquietação, fumava um cigarro após outro.
 
Depois disso ele foi pra um outro hotel. Tentei alguns contactos ele nem me atendeu, o encontrei na véspera dele voltar para PT ele foi hostil, indelicado...ainda estou arrasada.
 
Queria entender o por quê de tudo isso. O tratei bem com carinho, amor, atenção...
 
Estou sofrendo com isso, ele até me deletou do site de relacionamentos (Hi5) e disse que não queria receber mais nenhuma mensagem minha.
 
Não consigo esquecê-lo, não tenho mágoas nem raiva dele pois o que sinto, o sentimento que tenho por ele é maior do quê estes sentimentos negativos.
 
Tenho buscado forças em Deus e em Nossa Senhora de Fátima.
 
Por favor Dra. me ajude a entender.
 
Um forte abraço,
M.
 

Vontade de chorar

Boa Tarde
 
Gostaria de saber porque sempre que tenho que falar com alguém, como por exemplo pedir demissão do meu emprego eu tenho vontade de chorar, fico com a voz tremula e quase não consigo me expressar, apesar de não estar satisfeita....e quando estou satisfeita com o emprego também, no meu caso aconteceram as duas situações, pois tive que pedir para sair por motivo de mudança, chorei quando falei com meu chefe também, quando vou pedir emprego, quando discuto com alguém, isso é normal? Eu penso que não pois sou uma pessoa independente, gosto de resolver meus problemas sozinha, mesmo que faça uma espécie de treinamento para falar, na hora trava tudo e só tenho vontade de chorar.

Não gosto de sentir isso, pois aparentemente isso significa um sinonimo de fraqueza.

Grata. M.

 

Pág. 1/3