Segunda-feira, 14 de Julho de 2008

Ansiedade, pânico e medo

Paula Rego

 

Sou mãe de uma adolescente com 16 anos, a minha filha esta a passar por uma fase terrível ou seja ataques de ansiedade, pânico, medo de tudo, não quer sair pode acontecer alguma coisa, esta sempre mal disposta dores de cabeça.
Não consegue dormir, anda sempre agarrada a mim. na rua esta sempre tonta falta de ar tremor nas pernas.
 
Já foi a 3 sessões de psicologia e 1 ao psiquiatra não vejo melhoras e estou bastante desesperada pois a minha vida não mais foi a mesma e dela também.
 
Não sei mas o que fazer apesar dos conselhos que lhe transmito. Sinto que os nervos a dominam.
 
Obrigada
 
Cara mãe,
 
Precisa ter mais calma e paciência. Três sessões de psicologia são poucas, com a continuação vai haver melhoras.
Procure não ficar ansiosa, pois a sua ansiedade influirá na sua filha.
 
Incentive-a a adquirir a sua independência, mas sem forçar, ela precisa procurar vencer os seus medos aos poucos e com segurança.
 
Juntamente com a psicoterapia poderia frequentar um ginásio para aliviar a tensão com Yoga, ginástica, etc. Todas as actividades em grupo são indicadas.
 
Tudo de bom
Mariagrazia
Publicado por Mariagrazia às 21:33
Link do post | Comentar | Favorito
73 comentários:
De mariana a 27 de Julho de 2008 às 21:21
Eu também sofro do mesmo transtorno de panico e ansiedade e tenho 24 anos,foi aparecendo aos poucos e hoje em dia parece que não sou eu que domino a minha vida,mas o primeiro passo já o dei que foi ir ao psiquiatra e á psicologa.Nada se resolve em três sessões de psicóloga e quanto ao psiquiatra no caso dos comprimidos eles não são milagrosos e leva algum tempo até se sentir diferença em nós! Tem que ter muita paciência com a sua filha e nada de pressões porque ao pressioná-la demais ela vai querer fechar-se ainda mais! Não é fácil para quem está do outro lado lidar com esta situação principalmente quando são os nossos filhos que estão a sofrer! È preciso dar um passo de cada vez e ir fazendo as coisas aos poucos porque esta doença é realmente psicilógica mas também é física porque sentimos no nosso corpo o bater do coração o sentimento de morte eminente e tantos outros factores k estão envolvidos durante um ataque de panico,leve com calma porque realmente os próximos tempos não irão ser fáceis e não se esqueça estamos a falar de uma rapariga de 16 anos que deveria estar a sair com as amigas ir para a praia e divertir-se e para ela também não é fácil!!! Faça-a sentir-se á vontade e confortável e deixe-a dar passinhos de bebé e aos poucos com a terapia e os comprimidos verá que provavelmente daqui a alguns anos,ou meses tudo não terá passado de um pesadelo!! Também para mim ainda falta um longo caminho a percorrer e existem dias em que me isolo em casa por sentir aquele medo terrivel que lá fora aconteça-me alguma coisa,mas existem outros em que acordo arregaço as mangas e vou á luta e enfrento aos poucos os meus medos chamo-os as minhas pequenas conquistas. Desejo-lhe muita força para si e acima de tudo para a sua filha,para muita gente esta doença dizem que é babuseira mas não é,é real e infelizmente cada vez mais pessoas e cada vez mais jovens a teem..

As melhoras
Mariana Oliveira
De Mariagrazia a 28 de Julho de 2008 às 16:31
Cara Mariana,

Obrigada pelo seu depoimento sincero que certamente vai ajudar muitas pessoas que sentem as mesmas dificuldades.

Continue sempre assim reagindo positivamente .

Um abraço
Mariagrazia
De Diana Marisa Ferreira da Silva a 3 de Janeiro de 2011 às 18:44
Olá, chamo-me Diana tenho 15 anos e infleizmente também tenho crises de pânico e ansiedade neste momento estou a passar por uma fase muito difícil. Estava na escola e de repente senti-me tonta com falta de ar e o meu coração estava a bater muito forte depois as minnhas pernas tremiam muito, foi uma sensação horrível. Depois de ter passado por isto fiquei aterrorizada senti medo de ir à escola e só queria ficar em casa fechada. sentia um grande medo sair pois não queria que voltasse a acontecer em frente de toda a gente! A verdade é que isto aconteceu a 19 de novembro de 2010 falei com os meus pais e dui ao psiquiatra que me receitou um calmante andei bem durante algum tempo e agora voltei a sentir a ansiedade outra vez! Tenho medo de tudo não consigo ultrapassar estes medos inclusivé tenho medo de ficar louca e isolo-me das pessoas. Escrevo aqui para poder partilhar com vocês esta angustia e sei que me compreendem pois estão ou já passaram pelo mesmo. Por favor dêm-me alguns concelhos...pois é uma coisa que eu quase não consigo controlar principalmente os tremores e os meus medos! Obrigada !
De carlos renato a 5 de Janeiro de 2013 às 16:53
eu tambem tenho essa ansiedade, e achava que só eu tinha, mas agora sei que não, isso começou em 2010 no meio do ano no resseso escolar eu aproveitei pra entrar na academia pq queria ser fortão mas isso em apenas duas semanas, mas nunca tomei bomba só uns suplementos um ano antes, aí parei e voltei nessas ferias e aí quando faltava tres dias pra voltar as aulas eu foi pra academia de 9 horas com meus amigos mal comi, mas fui assim mesmo no caminho eu era o mais apresado, chegando a academia comecei malhar na boa fui pegar um peso no chão quando me abaixei deu uma tontura forte, fui no banheiro e respirei joguei agua no rosto e voltei malhei e fui pra casa só que no caminho começou a dar uma moleza no corpo mas eu achei que era só uma fraqueza por falta de comida, chegando em casa passei o dia todo comendo coisas fortes mas nada adiantava a tontura não passava aí no outro dia não fui mas a academia pq estava com tontura e aí depois desse dia não parrou mais, eu ia pra escola com medo e quando foi um dia não estava me sentindo bem na escola olhava pra o ceu e via o mundo grande de mais e o sol quente, mas meus amigos tiravam sarro da minha cara só que derrepente deu uma falta de ar e uma escuridão na vista eu fiquei com a garganta seca e tive que ir pro hospital depois desse dia meu mundo não era mais o mesmo aí começei a tomar fluoxetina e passei o ano de 2011 muito bem até, voltei a academia saia de dia e noite normal mas achei que estava bem e parei de tomar no final do ano, quando foi em 2012 em janeiro fazia tres meses que não tomava o remedio aí voltou as tonturas na academia e não dormia mais sedo e passei o ano de 2012 todo sem dormir antes da meia noite começei a estudar a noite porque não conseguia andar no sol, eu achava que iria morrer sei la mas tenho fé em DEUS que vou me libertar e espero que vcs todos tambem, sei que escrevi muito mas precisava compartilhar isso com quem entende o que tenho! quem qizer conversar comigo pode me add no msn cr-moral@hotmail.com ou no face http://www.facebook.com/renatinhocarva?ref=tn_tnmn
De anonimo a 24 de Janeiro de 2013 às 01:58
a sindrome do panico pode ocorrer em qualquer pessoa umas com mas intenssidade do que as outras...tratasse de um trauma...ocosionado por uma situação de extrama asiedade e medo...e isso fica gravado na mente...ao lembrar dessa situação faz vc ter medo dela retornar e por ter medo ela retorna...tudo isso por causa dos penssamentos...das imagens mentais daquela situação...como é tratado isso na pisicologia vc tem que confrontar esses penssamentos lutar contra eles tentar não ter medo deles...fazendo isso vc reedita o filme na sua mente tornado o primeiro passo para cura...o segundo passo é o poder do agora...que nada mas é do que não ser controlado pelo penssamento passado futuro que são irreais que só produzem sofrimento...o presente é a unica coisa que é real...ninguem nunca viveu fora do agora e nunca viverá...não acredite na sua mente acredite naquilo que vc pode ver ouvir e sentirsem a ajuda dos penssamentos isso é real!!!melhoras a todos vc e acreditem a uma saida
De Anonima a 12 de Maio de 2013 às 22:05
O seu comentário me foi útil, anônimo. Faço 18 anos dentro de duas semanas, faço cursinho e tenho uma certa facilidade em controlar meus pensamentos, mas venho de uma família que sempre sofreu com ansiedade. Sempre fui ansiosa, mas destemida. De repente, um dia, vi uma matéria daquele crime do casal que foi raptado no meio do mato, o rapaz foi morto, a menina foi mantida e estuprada diversas vezes por dias e a mataram depois. Isso aconteceu em 2003, mas não sei porq, eu fiquei muito afetada, morrendo de medo de tudo, por essa simples matéria. A partir de então, toda vez que ouvia notícias de estupro, morte etc ficava aflita, morrendo de medo de tudo, não conseguia me concentrar, andava na rua sempre morrendo de medo... E sabe, só de escrever isso, meu medo voltou a tona, um medo completamente irracional. Isso tem controlado um pouco minha vida, e justo na flor da idade... Como é época de vestibular, penso que talvez seja a minha ansiedade tomando conta de tudo, afinal, se eu passar, terei que morar em outra cidade, sem minha mãe... E então eu me perco, afogando em medo. Deus tem seu papel importante nessa hora, mas as vezes não consigo me controlar. Você tem razão, anonimo. Eu preciso controlar o foco de tudo, as imagens surreais na minha mente, que são sempre ativadas quando vejo um telejornal. Não posso parar de ver telejornal, tenho que me concentrar no foco de tudo. Irei tentar. Agradeço qualquer resposta em ajuda.
De anonimo a 29 de Junho de 2013 às 02:26
Desculpe a demora em responder.
espero que tenha melhorado.
a questão é que todos que passam por isso podem melhorar.
é só acreditar e fazer os exercicios mentais que eu vou descrever com o tempo.
mas primeiro de tudo é ter perssistenta e nunca voltar atras seguir sempre adiante e vcs todos irão ver que o que parece ser um mostro não passa de uma migalha de areia.
primeiro passo é dedicar pelo menos algum tempo por dia em mentalizar e debater as ideias avassaladoras, as imagems mentas perturbadores confrote elas e debata com elas determine não ser escrava delas.
quanto mais determinada vc estiver mais rapido sera a melhora. com o tempo esses sintomas podem parar ou pelo menos diminuir de intenssidade.
esse é o primeiro passo!!
mande respostas e acredite é possivel
De Fran a 19 de Outubro de 2013 às 21:25
Sei o que vcs estão passando, ninguém entende a não ser quem passa por isso, eu sempre fui muito ansiosa, mas em 2010 eu tive minha primeira crise de pânico, foi no trabalho, comecei a suar frio , coração bater rápido, sensação de que ia desmaiar....horrível, depois disso comecei a ter medo de ter isso de novo, de sair de casa,pois bem, nunca fui num psicólogo, tenho um pouco de preconceito é verdade, burrice minha, ficava o dia todo em casa, só saia pra levar e buscar as crianças na escola, porque eu tinha mesmo q fazer isso, então me escrevi num curso de inglês a noite 1:30 duas vezes por semana, o q para uma pessoa normal parece simples para mim era um desafio, mas fui mesmo com medo e só Deus sabe o quanto. E consegui, eu comecei a enfrentar meus medos, e fui em medicos para ter certeza q n tinha nada, porque eu sempre pensava q tinha uma doença grave, as piores possíveis, a um ano vim com meu marido para os EUA sozinha, com meus dois filhos, sem pais , sem amigos, vcs podem imaginar.... Meu medo? Mas enfretei e estou aqui, aprendi a dominar as crises, qndo me da respiro fundo , tento me acalmar, sei que isso vai passar em cerca de 15 min, então, vcs podem fazer o mesmo, coloquei na minha cabeça que quem domina a minha mente sou EU, descobri que qnto mais vc se privar das coisas por causa desse medo, mais ele tomará conta de vc, e vc ficará dentro dessa bolha, os remédios ajudam , mas essa é uma batalha sua, e vc pode ganhar tenha certeza disso, n desista pq eu n desisti. Conforme vcs vão recuperando suas atividades, as crises e pensamentos ruins vão ficando cada vez sem espaço na sua vida, na sua mente! E qndo der uma crise use a razão, não deem vazão a emoção, eu sei q n é fácil, mas sei por experiência própria q n é impossível, e pra vcs isso vai ser como uma dor de cabeça qualquer q todo mundo tem e n da a mínima! Nossa mente é poderosa, vcs sabem o q ela é capaz de fazer Com nosso corpo , então mantenham ela ocupada, pensem e leiam coisas boas, enfrentem seus medos e acima de tudo acreditem q isso vai passar, se vcs acreditarem mesmo, vai, nossa mente é poderosa e quem manda nela é VC!!!
De Isabel Magalhães a 22 de Junho de 2013 às 20:48
Boa tarde Diana:

Olha a mim aconteceu-me o mesmo mas foi numa feira, fiquei sem ar, o coraçao acelarou, fiquei toda a tremer. desde esse dia não consigo ir a sítios onde tenha muita gente em que tenha de andar a ver isto ou aquilo, tenho medo que volte a acontecer. Fui ao psiquiatra que me receitou uns comprimidos para andar calma, mas não me tiram o medo. Chego a um ponto que não sei o que fazer.
De Alexandre de Castro Nunes a 8 de Novembro de 2013 às 11:26
Olá Diana Marisa Ferreira da Silva muito prazer, meu nome é Alexandre tenho 20 anos moro em SP capital e passo pelo mesmo problema que você, todos os sintomas que você está sentindo eu também sinto e muito, no meu caso começou recente há uns 5 dias, minhas crises são terríveis, tenho medo de morrer constantemente, dor de cabeça, dor no estômago, dificuldade em me alimentar e etc...
Ao ler todos esses comentários aqui, confesso que me aliviou um pouco pois quando você percebe que não é o único a ter esse problema parece que te da mais força para enfrenta-lo. Vou deixar meu e-mail pra contado, e se caso você ou alguém quiser conversar seria muito bom pois acredito que como sofremos do mesmo mal a conversa nos ajudaria bastante.
Deixo aqui meu e-mail: alexandre.castro92@gmail.com

Abraço a todos e fiquem com Deus, e nunca se esqueçam de que sem Deus nós não somos nada...
De olgasousa a 9 de Março de 2013 às 14:20
eu tenho ansiedade e sindrome do panico tenho medo de sair de casa e morre sem folego
De ana ferreira a 4 de Outubro de 2008 às 22:15
Ola mariana...EU gostava de saber o que e que faz para ultrapassar os ataques de panico?
De mariana a 8 de Outubro de 2008 às 22:15
Olá Ana Ferreira,sei que é muito dificil,e lamento que também esteja na mesma situação que eu,felizmente agora posso dizer que já sinto-me um pouco melhor mas ainda existem dias muito dificeis! Respondendo a sua pergunta sobre o que faço! Eu tento controlar-e ao maximo e falo para mim própria sei que pode parecer absurdo mas falo comigo e digo mariana acalma-te ,não vás por ai não se passa nada e especialmente tento ir para um lugar arejado porque nestes ataques como sabe o problema e que nos sentimos que estamos sem poder respirar torna-se ridiculo ir para a rua as 05h30m da manha por que sinto que estou prestes a ter mais um ataque mas ajuda,outra das coisas que percebi que me ajudava era não dar demasiada importância ou seja no inicio chamava sempre alguem para ficar do meu lado porque obviamente tinha medo de ficar sozinha e pensava que ia morrer,agora já comecei a deixar de fazer isso deixei de chamar outra pessoa e comecei a ficar sozinha,e comecei a meter na minha cabeça que eu sou mais forte! Mas não lhe vou mentir é dificil muito,existem dias que ainda sinto aquele medo de ir sozinha a qualquer lado mas são nesses dias que vou sem ninguem,porque só assim é que vou conseguindo ultrapassar este problema e no fim quase sempre eu sorrio é porque para quem tem este problema e parecendo que não só o facto de conseguir sair de casa sozinha e fazer a vida normal sozinha é uma grande conquista e uma grande satisfação. E acima de tudo os ataques de panico são sinal de alerta,que alguma coisa está mal na sua vida,por isso uma psicologa/o é extremamente importante e essencial,é bastante dispendioso eu sei porque tenho gasto muito dinheiro,mas nada na vida é mais importante que a nossa saude e o nosso bem estar emocional,eu só espero que no futuro e que seja proximo a Ana olhe para trás tal como eu e que tenha sido tudo um pesadelo...
Cumprimentos, e as melhoras
De ana ferreira a 9 de Outubro de 2008 às 09:16
Mariana agradeço o facto de me ter respondido.
Eu agora tenho me controlado, mas tenho imenso medo de ficar em casa sozinha, de ir ter com os meus amigos, pois tenho medo de me sentir mal. Praticamente so estou bem se estiver em casa e com alguem. MAs nao tenho sentido falta de ar....apenas me sinto muito mal. Vou a um psicologo porque sinto que preciso mesmo de ajuda.
Obrigado Mariana.
De Jessica a 18 de Fevereiro de 2009 às 16:02
Bom eu também tenho sindrome do panico...tenho 14 anos e
Me lembro bem quando td começou .tinha 12 anos Eu estava na rua dando uma volta com a minha mãe derepente me deu um enorme desespero sem motivo algum eu comecei suspirar ter faltas de ar dores horriveis no peito
Bom pensei que tinha sido so um desespero que nao voltaria a acontecer
Depois de um tempo eu comecei com medos de comer pois pensava que iria afogar sofri muito com isso pra mim td que eu comia parava na minha garganta e eu tinha certeza de que eu ja estava morta
..... as crises foram piorando
tive formigamento dores no estomago tontura mal estar ansia .Nao ia mais na escola normalmente
entao mudei de escola pra ver se o medo passava nao adiantou começou entao palpitaçoes fortes de ficarem 1 hora mais ou menos
minha boca seca horrivelmente nao tenho ar tenho certeza de que vou morrer mais depois td passa
nao saio com meus amigos pq me sinto mal vivo agarrada na minha mae .
comecei a tomar Paroxetina fui ao medico que me explicou td sobre a doença e disse que nao existia nd disso de afogar e etc ....
Creio que isso vai passar logo com a ajuda de Deus entao vcs maes desesperadas tenham paciencia pois o que sentimos nao eh nada fácil parece ser uma bobagem,
Pra mim eh a coisa mais horrível desse mundo
minha mae as vezes perde a paciencia tambem mais o melhor a fazer eh seguir o conselho dado a cima apoiar a pessoa em tudo e tentar libera-la ao mundo devagar
Bjss
td de bom pra voces
De carolyne a 13 de Abril de 2009 às 19:16
bom Jessica:
eu também tenho sindrome do pânico,tenho 15 anos e tud isso começou quando eu tinha 13 anos.
Eu estava voltando da escola quando derrepente eu senti uma sensação horrivel parecia que eu estava morrendo. Eu tipo vi uma luz branco,comecei a suar,meu coração parecia que iria sair pela boca,dai sai correndo. até lembro que eu me olhei no espelho de um carro que estava perto pra saber se eu tinha "morrido" mesmo,quando cheguei em casa disse pra minha mãe que tinha acontecido algo estranho comigo,quase não consegui dormir já pensando que iria que ir á escola no outro dia. Não conseguia comer direito achando que iria me engasgar,pensava bobagens mesmo sabendo que elas não tinham sentido algum.
Mas o mais importante é ver o apoio da sua familia te incentivando a sair ,dizendo vá em frente você é capáz de superar os obstáculos que sua vida traz.
Hoje não estou 100% mas estou indo á escola com uma amiga minha que está me ajudando bastante nesse momento difícil da minha vida. Algumas pessoas ainda não entendem que eu tenho medo de sair sozinha.
Sei como é dificil para nós que temos essa terrível doença,pois temos que nos auto-ajudar,sendo que a doença é psicologica e mexe com seu estado fisíco.
Desejo melhoras a quem esta passando o mesmo que eu..
ByE ByE!!!!!!!!!!!
De ana nunes a 15 de Outubro de 2009 às 06:23
tenho 48 anos e sofri durante 13 anos com o sindroma do pânico em especial o da morte.
Tudo começou apos ter recebido a noticia de que o meu filho e tres amigos tinham sido assaltados tendo falecido um dos amigos de meu filho.
Nesse dia entrei em estado de choque e fui parar ao hospital e então desde esse dia passei a sofrer de depressão.
nessa altura eu tinha um pequeno establecimento e sei dizer-vos que não raras vezes eu saía disparada do mesmo para sair para a rua para apanhar ar.
Outras vezes eu estava a falar com o cliente e começava a sentir-me mal pois começava a corar imenso e sentia como que a temperatura do meu corpo a subir e parecia que o meu cérebro inchava.
depois surgiram outros sintomas ainda mais graves, era rara a semana que eu não acordava sempre a meio da noite, com o coração a palpitar acelaradamente, seguiam-se então imensos vomitos, devido ás paragens digestivas que estes ataques me causavam. Depois começava com calores e suores, o meu corpo ficava dormente por momentos tinha falhas de memória como se tudo no meu cérebro tivesse sido apagado, e acabava por ir parar ao hospital com tremores que eu não conseguia controlar.
Hoje costume dizer que quando chegar realmente a minha hora, já saberei ao certo, pois a sensação de morte eminente era muito dolorosa.
Por fim depois de me darem os calmantes que me deixavam como se eu tivesse levado uma enorme tareia, lá ficava eu á espera e pronta para outra, que eu sabia que havia de chegar novamente.
Um dia, fazia eu tratamento a nivel de psiquiatria e de
psicóterapia, começaram a mudar de psicóterapeutas constantemente pois não estavam a renovar os contractos aos jovens psicóterapeutas.(é assim este país) Cansada de tanta mudança, um dia eu disse:
Basta, estou a tentar sair de um sofrimento e estão a arranjár-me outro.
Comecei então a encaixar na minha cabeça que todos os meus sintomas eram psicossomáticos; tudo estava no meu cérebro e cabía-me a mim ultrapassar e mais do que isso recusar aceitar o que me estava a fazer a mim próprea. Durante várias vezes ao dia eu relembrava e recalcava a palavra recusar e recuso-me a...começei a sentir nela uma enorme força que aos poucos começava a envolver o meu subconsciente. Então começei a arranjar estratagemas, e quando sentia que aquela maldita"coisa" me ía dar fechava os olhos e começava a respira fundo pausadamente. entretanto levantava-me devagar e começava a caminhar de um lado para o outro e arranjei um outro estratagema de palavras, primeiro dizia para mim mesma que era o meu própreo cérebro que me estava a enganar e que eu não deixaria que isso acontecesse por mais tempo, depois rezava pausadamente um simples Pai Nosso, mas fixando-me nas palavras de modo a senti-las e a não pensar no que me estava a acontecer, e quando comecei a dár por mim, os sintomas já estavam a desvanecer-se.
sei dizer que por incrivel que pareça ao fim de 2 meses eu não sentia mais aquele sofrimento, pois eu havia vencido este "fantasma e compreendi que a melhor forma de efrentá-lo é agarrá-lo pelos "chifres"
Por isso eu quiz agora prestar este meu depoimento par dizer a todas as pessoas que sofrem deste problema que dentro de nós existe uma força ferramenta, uma força interior que cabe a cada um tentar descobrir a sua próprea forma para o enfrentar.
Pois eu penso que é necessário aceitar o problema mas não o medo.
Hoje ainda tenho os meus momentos de forte ansiedade, mas aprendi a conviver com ela, sem que para isso deixe interferir o pânico. e posso dizer-vos que continuo com aquela arma que considero ser para mim a mais eficaz a de que ME RECUSO A ACEITAR NOVAMENTE O SINDROMA DO PANICO e acreditem que esta palavra tem muita força.
espero ter podido ajudar com o meu testemunho.
façam o favor de tentar,
Façam o favor de serem felizes.
De Sergio a 19 de Novembro de 2009 às 21:17
EU também sofro de ansiedade generalizada, por outras palavras sem motivo. Tenho 29 anos e este problema a cerca de 4 anos, ainda hoje procuro nos médicos uma cura, cura essa que eles parecem não a ter. pois já tomei vário tipos de calmantes, ansioliticos entre outros ex:paroxetina , floxetina , xanax , aprazolan , sertalina em fim um rol deles. sempre fui uma pessoa alegre e feliz. Agora não sei o que isso é pois passo o dia todo com dores no peito, arritmias e tonturas. dos médicos tem um pouco mal a dizer pois o lema é não tem nada de visível então é tolo desculpem o termo mas é mesmo este que no intimo eles pensam. Se há poder financeiro menos mal, mas se não há só nos resta o hospital onde ninguém nos passa cartão. A nossa doença tem que ser divulgada para médicos ,colegas, amigos etc. nos tratarem melhor nem só quem tem uma perna partida esta doente por exemplo, eu e muitos como eu não temos gosto de estar assim!!!!
Estou a criar uma pagina e um forum, onde se vai poder relatar estes temas, pois quero que a minha doença deixe de ser um tabu para todos.
De ana ferreira a 4 de Outubro de 2008 às 11:33
Eu tambem tenho ataques de panico e sinto-me muito mal, parece que vou morrer.....o que posso fazer?
Eu tenho medo de sair de casa... e so me sinto bem se estiver com alguem com carta por exemplo que me possa levar a um hospital!
eu sei que isto e psicologico...o que me recomenda??
De Mariagrazia a 15 de Outubro de 2008 às 09:15
Cara Ana,

Cada caso é um caso, mas podemos resumir o tratamento em:

- Bloqueio dos Ataques onde são utilizados medicamentos que bloquearam os ataques ou os reduziram na sua frequência e intensidade, restabelecendo o equilíbrio bioquímico cerebral.

- Psicoterapia onde são utilizadas terapias de relaxamento e exposição cognitiva para o paciente supera as fobias desenvolvidas durante as crises.

-Descontinuidade dos medicamentos e conscientização do paciente que visa a descontinuidade da medicação e conscientização do paciente de que ele pode ter uma vida normal como qualquer ser humano.

Procure ajuda, vá a uma consulta de psicologia para uma avaliação correcta.
Confie em si própria e na sua capacidade interior de "cura". E lembre-se que a "cura está em si.

Um abraço
Mariagrazia
De Daniela Costa a 5 de Novembro de 2008 às 18:38
Olá boa tarde,

Tenho 20 anos, toda a vida tive problemas de nervos mas nada de alarmante. Mas acontece que de há uns dias para cá tem-me acontecido umas coisas estranhas.
Se tiver combinado com alguém para ir a tal sitio , mesmo antes de sair, começo a ficar nervosa, a minha tensão arterial aumenta e quando saio á rua parece que expludo. Começo a sentir um aperto forte no peito e o meu batimento cardíaco fica tão elevado que não me consigo concentrar em mais nada .
Fico com muitas tonturas e uma sensação horrível de falta de ar até que parece mesmo que foi desmaiar.
E vem então o grande medo de morrer de algum mal do coração ou de simplesmente cair perante pessoas desconhecidas.
Depois como não consigo mais aguentar estes sintomas , venho para casa e miraculosamente tudo me passa, e ate a tensão arterial baixa.
Isto tem afectado a minha vida na escola e no trabalho. O medico não me diagnosticou nada. O que faço?
Será isto ataques de pânico ?

Obrigada
De Mariagrazia a 20 de Novembro de 2008 às 22:57
Cara Daniela,

Parece se tratar de ataques de pânico e precisa procurar tratamento psicológico para que as crises não se agravem e para que não se tornem limitadoras.

Leia também em : http://www.psico-online.net/psicologia/ataquedepanico.htm, para mais esclarecimentos.

De qualquer maneira procure não se deixe levar pelo medo, use a sua energia interior para reagir sempre com pensamento positivo e confiança em si própria.

Fique bem
Mariagrazia

Mariagrazia
De Daniela Costa a 22 de Novembro de 2008 às 18:22
Obrigada pela sua resposta. Apesar de tudo tem sido dificil de controlar . O medico mandou me fazer imensos exames e nada encontram ..so pode ser mesmo a nivel psicologico.
Tem sido mt duro controlar estes ataques e deixam-me completamente exausta.

De anonimo a 29 de Setembro de 2009 às 15:15
teem ambas um bloqueo psicologico provocado por uma situaçao que foi muito desegradavel e provocou uma dor profunda isso e psicologico e é provocado pelo nosso cerebero que quer apagar esse momento e so a partir de muitas sessoes se consegue tratar portanto tenham paciência...
De Teresa Domigos a 2 de Fevereiro de 2009 às 20:36
ola eu sou teresa
o meu filho tem 14 anos e desde algum tempo atras ele tem tido ataques de ansiedade que ele descreve como sensaçoes que parece que nao eta a viver quele momento, ou seja, as pessoas estao a falar e ele estagna o cerebro e o seu corpo continua a viver quele momento..
quando ele fica assim ele pede-me para o ir buscar a escola ...
o que faço para o ajudar??
responda-me para este blog muito obrigado
De Mariagrazia a 7 de Fevereiro de 2009 às 16:53
Cara Teresa,

Esses ataques de ansiedade podem estar relacionados com algum medo em relação à escola.

Não fique também ansiosa, deve ser uma fase passageira, mas leve seu filho a uma consulta de psicologia para um diagnóstico completo e para saber como tratá-las.

Tudo de bom
De Miguel a 3 de Março de 2009 às 01:45
Olá.

Chamo-me Miguel, tenho 25 anos.
Recentemente um familiar meu foi vítima de uma agressão por um grupo de delinquentes, e há dias assisti sem querer e completamente por acaso a um assalto a uma viatura automovel mesmo a porta da minha casa...
Já trabalho há mais de 10 anos, sempre sem receios de entrar e sair de casa a qualquer hora do dia ou da noite, pois até tenho uma profissão que me exige alguns horários extremos.
Desde estes dois episódios relatados acima que tenho andado a sentir mudanças em mim, tenho medo de estar na rua, tenho medo de sair de carro, tenho obcessão por trancar sempre as portas, parece que estou sempre a ouvir barulhos e sinto um mal estar físico geral que me tira a vontade de comer e a tranquilidade para trabalhar e para descansar. Sinto-me uma pessoa completamente diferente, e ninguém á minha volta parece compreender estes meus receios, até a mim me custa compreender porque nunca fui assim.
Gostaria de saber que tipo de ajuda eu posso procurar, e se pela descrição que fiz será possível adiantar-me algum tipo de informação.
Obrigado.
De Mariagrazia a 12 de Março de 2009 às 22:34
Caro Miguel,

Pode estar a passar por uma crise de stress pós traumático e talvez melhore espontaneamente. Procure desdramatizar e deixe o tempo atenuar o seu sofrimento. Se entretanto não melhorar procure um/a psicóloga/o para se libertar de todo esse sofrimento.

Tudo de bom
De patricia a 13 de Maio de 2009 às 16:58
olá miguel, desde já compreendo perfeitamente o q se está a passar consigo mas acredite q tem que mudar pq senao é pior...eu fui recentemente agredida dentro do meu estabelecimento, fiquei bastante magoada fisica e psicologicamente mas com a ajuda necessaria e profissional conseguimos ter uma vida dentro do normal...força
De Carlos Bayma a 7 de Março de 2009 às 04:00
Belo espaço, Dra.
Parabéns!
De Anónimo a 11 de Março de 2009 às 03:45
A minha filha tem 18 anos. Tudo começou no início do verão do ano anterior e agora ela mal sai de casa. Sempre que sai ela fica muito nervosa, com a sensação de que tem de ir à casa de banho e isto repete-se de 10 em 10 minutos. Ela diz q às vezes tem a sensação q acabou d fazer xixi pelas pernas abaixo e entra completamente em pânico. Por esta razão ela começou a evitar sair de casa, parou de estudar em Janeiro e só s sente bem em casa. Se fosse algo fisiológico ela sentia-se assim a toda a hora e não só quando está fora d casa por isso ela recusa-se a ir ao médico. Fez apenas umas análises e está tudo normal. Para complicar mais as coisas o cabelo dela não pára de cair. Ela está farta de inventar desculpas as amigas para não sair de casa mas cada vez q tento falar com ela sobre isto, ela começa a chorar, a gritar e diz q não quer falar disto. Por favor, o que pode ajudar a minha filha? Ela sempre foi tão descontraída, social, não parava em casa e adorava o curso.
De Mariagrazia a 12 de Março de 2009 às 22:55
Fale com a sua filha para procurar ajuda de um/a psicólogo/a para uma avaliação e para um possível trabalho de auto-conhecimento e de resolução dos seus problemas. Tente motivá-la para a cura com calma e muito amor.

Felicidades
De Fabiano a 13 de Março de 2009 às 12:49
Olá,
eu gostaria de saber se eu tenho alguma das patologias citadas acima. Tenho 28 anos e não consigo sair de casa.

Tipo.. eu saio às vezes, mas nunca me sinto a vontade, e quando estou à mesa com outras pessoas, me sinto ridículo.Parece que não pertenço ao contexto.

Todas às vezes que surge algum assunto de festa, sair, eu já fico preocupado. Não tenho falta de ar, nem dor de cabeça. Apenas fico muito ansioso e quando estou em algum lugar com muita gente, nunca fico a vontade.

Seria interessante eu buscar ajuda? Eu não sei o que fazer
De Mariagrazia a 19 de Março de 2009 às 21:43
Caro Fabiano ,

O melhor é ir a uma consulta de psicologia para perceber o que se passa consigo e superar os seus bloqueios que o limitam e o impedem de viver o dia a dia naturalmente.
De adriana rodrigues a 21 de Abril de 2009 às 17:34
Olá

gostaria de saber se o q eu tenho é algum tipo de sindrome.
todo dia qndo vejo qualqur tipo de reportagem sobre morte,eu fico com medo e me da muita vontade de chorar e agora tambem tenho medo de ficar no quarto a noite sozinha na hora de dormir,e fica na minha cabeça pensamentos de qndo eu morrer..
isso é sindrome e se for tem algum tipo de tratamento.
De Mariagrazia a 8 de Maio de 2009 às 15:21
Cara Adriana,

Penso que se trate somente de uma fase passageira. A morte é um mistério e como tal nos preocupa. Não tenha medo da morte. Viva a vida.

Tenha sempre em mente que todos os seres humanos necessitam encontrar uma razão para viver e uma razão para morrer.

E, dentro deste contexto, cultive um sentimento de paz que transcenda o aqui e agora, o físico, o material.
Um abraço
De claudia a 3 de Setembro de 2009 às 03:24
de todo k ja li até agora me fas kerer k fui eu k escrevi k vejp infelismente mais e mais pessoas a sofrer do mm mal k eu a verdade é k ja tou assim desde os meus 17 anos tenho 22 e tem sido uma batalha mt dificil algo k nao tou a conseguir ultrapassar e k vejo kd vez a piorar de dia para dia tá a ser mt complicado lidar e ultrapassar td isto. ja fui ao psiquiatra começei por tomar medicaçao leve mas cm nao tava a melhor aumentou-me o k o pior é k ainda m sinto mais mal com eles os sintomas k sinto por causa deles ainda me fas entrar mais em panico, tou farta de nao conseguir viver de me lembrar como eu era e no k me tornei, sim pk uma pessoa muda e de k maneira parece outra td akilo k eu gistava de fazer cm sair até tarde com os amigos, como passear mas sobre td o k mais adorava fazer nesta vida k era jogar futebol td se perdeu td arancaram de mim pk é o k sinto k m arancaram, k me roubaram a minha vida a minha endentidade, k estou a viver uma vida k nao é minha. Todos os sonhos e objectivos de vida k tinha desapareceram, já nada m interessa nao tenho vontade nem interesse de nada, nada fas sentido vivo fchda no meu mundo acabando por magoar inocentemente akeles k amo e k fazem td pormim, pois nao tenho paciencia para o k ker k seja ando sempre aborrecida mal humorada sem vontade de me divertir de gozar a vida enqunto a tenho pk so passamos por cá uma vez so nao voltamos a ter esta oprtunidade novamente e eu vejo a minha vida ser transformada num autentico caos uma triteza enorme. a verdade é k ja tou cansada k nao tenho mais forças para ageuntar td isto k me acontece pk a verdade é uma ninguem por mais k keira consegue ser feliz assim. tento ser mais forte k este medo de morrer com este medo de kd vez k me sinta mal nao pensar k o pior vai acontecer fazendo assim k ainda piore o meu estado. por vezes vimos pessoas comdoenças graves e pensamos e pedimos a deus k nós livre dakele mal, mas por vezes nao sei qual é o pior se é viver assim ou com algo k sabemos o k é do k estar sempre com a sensaçao d k algo nos vai acontecer sempre k se tenha uma dor ou um mau estar. È SOFOCANTE viver assim, vimos a nossa vida passar e nao tiramos partido do k ela tem de bom para nós oferecer aproveita-la, mas sim simplesmente a ver a passar por nós sem podemos desfortar dela da melhor maneira k é sendo feliz fazendo o k gostamos......
De ana a 8 de Fevereiro de 2010 às 23:16
Olá

chamo me Ana e tenho 12 anos.
td começou a algum tempo ...estava numa aula na escola ,num teste ,e estava mt nervosa por não saber nada da matéria...entao passado algum tempo ,quando o tempo de fazer o teste estava quase a acabar eu começei a sentir calor ,perda de visao(enevoado),panico,confusao(que não estava naquele lugar nao me estava a acontecer aquilo,esqueci me de td)...apartir dai começei com mt medo que me desse isso no resto dos outros dias ...não queria ir á escola....mas em casa isso não me dava!

Passado algum tempo veio as ferias do Natal ,e veio me um novo problema,veio me mais um:começei a pensar que estava dentro do mundo e a sintir muito panico e medo,ou seja que nao pppodia respirar dentro do mundo que nao havia oxigenio(que ao estava segura)apesar de algumas pessoas como a minha mae ,dizer que isso não era verdade e dizer para enfretar os medos e o panico.....não consegui ultrupassar isso.

Com o passar do tempo tem vindo a piorar cada vez aparece me mais medos como o nao conseguir respirar,estar o mundo todo á escuras ,confusão que nao tou nesse lugar ,esqueço me de tudo,tmb me apareceu um medo que é pensar que o tempo passa mt depressa que dai uns dias ou horas já estou mais velha...tenho mt medo de morrer assim derepente....etc

Eu gostava de saber se isto é alguma doença,porque a partir desse dia a minha vida nao voltou a ser a mesma ...tenho medo de ir para a escola que me de isso,princilpamente nas aulas de evt que fico sempre á frente,não sei o que se passa dá me ainda mais medos e panico e ansiadade td junto.....e tmb nem poço ir a supermecados ,andar em transportes publicos....etc


A partir dai veio a piorar e continua ,agr ate em minha casa me acontece isso,so a dormir é que não...preciso mesmo de saber se é doença ou nao....

bjs....................

Ana
De Mariagrazia a 14 de Maio de 2010 às 21:23
Cara Ana,

Os teus medos estão relacionados com síndrome de pânico. As mudanças físicas, na fase da adolescência podem ser responsáveis pelo seu aparecimento.

A Síndrome do Pânico é um distúrbio ou transtorno de ansiedade e pode ser controlada com tratamento psicológico, fazendo com que tenha uma vida absolutamente normal.

O importante é procurares um aconselhamento profissional e iniciar um tratamento para que voltes a te sentir confiante e possas ter uma vida normal, sem medo e ansiedade e para isso o melhor é falares com os teus pais.

Tudo de bom
De Gabriela a 10 de Abril de 2010 às 19:10
Olá, eu ja tive síndrome do panico e depressão, eu lembro que em certa epoca eu não conseguia nem abrir as janelas de casa, tinha medo de ficar perto delas e que alguem estivesse me olhando, eu tentava lutar contra isso mais não conseguia, não conseguia nem me mexer quando estava perto de uma janela aberta !! só quando eu fechava que me sentia a vontade.
Me tratei, fiz ioga, meditação, fiz de tudo pra encontrar um equilibrio. Hoje estou bem, porem de uns tempos pra ca estou tendo algumas 'recaidas', eu me mudei e estou sentindo um pouco de medo de sair sozinha por lugares que não conheço, isso pode ate ser normal ate certo ponto, mas tenho medo de voltar a ter problemas, isso está me prejudicando um pouco na adaptação no lugar onde estou, eu tenho um limite, ate certo lugar eu vou sozinha mais se vou mais longe não consigo, tipo se tiver de pegar um metrô eu ja não consigo pegar sozinha, preciso de alguem comigo, isso é ruim, quando se é adulta e não se consegue se virar sozinha e é ate mal visto por outras pessoas, a gente acaba sendo vista como 'folgada' que se aproveita dos outros pra fazerem tudo pra nos e é dificil chegar e dizer pra pessoa 'eu tenho medo' 'eu não sei fazer isso sozinha'.
Estou tentando melhorar isso, espero que seja só uma adaptação ou um choque passageiro pela mudança de cidade, mas com certeza quero procurar um psicologo e tbm a ioga pra me equilibrar.
De Gabriel Souza a 12 de Fevereiro de 2014 às 18:31
Eu sou Gabriel tenho 14 anos, minha primeira crise foi em 2013 em setembro. A partir dai eu nao fui mais a mesma pessoa de antes. Sempre que dou uma crise de panico acho que vou morrer,sinto fraqueza no corpo todo minhas maos e pes soam e ficam geladas,nao saio mais de muito vou so na Igraja e de vez em quando visito alguns parentes mais e raramente eu saio. Nao gosto mais de ficar sozinho.Mas em novembro comecei a ir a um pisicologo e na minha primeira consulta eu me senti bem melhor mas,depois eu iria ter que voltar la em uma semana e no dia seguinte que cheguei da minha primeira consulta eu comecei a dar as crises um dia atras do outro,e ai depois de mais duas consultas com o pisicologo ele me ondicou uma pisquiatra,muito gente boa! Neste momento estou um poico nesrvoso,me assim wm todas as crises que eu tenho e como se eu ja tivesse vivido aquele dia que eu estou vivendo entao ai vem um pensamenro de vou morrer,tambem tenho muito medo de que aconteca algo com meus familiares,me sinto fora da realidade,e muito ruim terrivel,quanto mais eu tenho uma crise mais eu penso que nao vou mais melhorar,ou voltar a ser mais a pessoa que eu era antes. Desde que eu comecei a ter essas crises nao fui mais a escola,mas quero muito voltar a estudar. A pisiquiatra me passou alguns remedios,tive algumas melhoras. Mas quando os remidios acabaram eu tive uma crise,e eu teria que voltar na pisiquiatra dois depois que o remedio tinha acabado ja estava marcado o retorno para o 7 de janeiro,mas eu viajei um dia antes da consulta entao nao voltei mais na pisiquiatra mais eu queria mas,nao tenho mais condicoes,em relacao ao dinheiro. Tambem tenho evito alguns numeros e algumas palavras. Neste momento estou com medo. O que eu faco quero muito voltar a escola?... E ser a pessoa que eu era antes mas,nao totalmente por que eu tinha muitos erros,mas agora sei o valor que a vida tem entao queria,voltar a viver normalmentw para eu poder ser uma pessoa melhor.

Comentar post

Drª Mariagrazia Marini Luwisch
Psicóloga - Psicoterapeuta

Licenciada em Psicologia Clínica, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, Brasil.
Equivalência, Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação da Universidade de Lisboa.
Membro Sociedade Portuguesa de Psicoterapias Breves.
Membro Efectivo da Ordem dos Psicólogos nº 8372

Consultório:
Av. Luís Bivar 93, 6ºandar E
1050-143 LISBOA
Marcação de consultas:
213 146 274
914 749 474
ou
por email: E-mail

| Site Oficial

email:mariagrazia@sapo.pt

Parcerias e Acordos

ADSE
ADM
SABSEG
AXA
Cruz Vermelha Portuguesa

Visitas Online

Pesquisar

Perguntas recentes

Violência doméstica sexua...

Solidão

Sogra possessiva

Divórcio e novo amor

Medo de comer

Nova experiência

Comoção e choro

Violada pelo tio

Depressão pós-parto e cur...

Autoflagelação

Temas

relacionamento

depressão

traição

amor

medo

sexo

ansiedade

separação

ciúme

adolescente

casamento

psicologia

mãe

namoro

auto-estima

filho

infidelidade

sexualidade

trabalho

desejo

todas as tags

Artigos

Psicologia
Testes
Saúde
Exercícios
Dicas
Pensamentos

Citação do dia

Tradutor

Google-Translate-ChineseGoogle-Translate-Portuguese to FrenchGoogle-Translate-Portuguese to GermanGoogle-Translate-Portuguese to ItalianGoogle-Translate-Portuguese to JapaneseGoogle-Translate-Portuguese to EnglishGoogle-Translate-Portuguese to RussianGoogle-Translate-Portuguese to Spanish
Translator Widget by Dicas Blogger

Arquivo

blogs SAPO