Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Consultório de Psicologia

Espaço de transformação com a finalidade de orientar, ajudar, esclarecer dúvidas e inquietações. Encontre equilíbrio, use sua criatividade e deixe fluir sua energia. Mariagrazia Marini Luwisch

Consultório de Psicologia

Espaço de transformação com a finalidade de orientar, ajudar, esclarecer dúvidas e inquietações. Encontre equilíbrio, use sua criatividade e deixe fluir sua energia. Mariagrazia Marini Luwisch

Desgosto amoroso

Fernando Botero

 

Dra Maria
 
Nunca acreditei muito neste esquema de cartas mas há algum tempo que ando meio desesperada. Na universidade, um rapaz apaixonou-se por mim e eu nunca lhe dei muito crédito. Aos poucos e poucos, fui-me aproximando dele e e acabámos por namorar durante dois anos intempestivos, onde tudo correu mal. Houve outras mulheres, algumas das quais minhas amigas.
 
Fui-me afastando do mundo também, ficando cada vez mais sozinha.
 
Quando terminámos (a última vez 'oficial'), ele disse que eu era horrível e sempre o tinha tratado mal e tratou muito rapidamente de encontrar outra e de me contar que estava finalmente feliz com alguém que o amava. Doeu horrores. Eu chorei todos os dias e deixei de conseguir comer. Passado pouco tempo, soube que tinha ficado solteiro e ele veio atrás de mim. Eu nem me fiz de difícil… estava doida de saudades e de arrependimento. Mas ele já não gostava nem um terço de mim e acabámos por nos zangar outra vez. A coisa repetiu-se e repetiu-se… soube, no entretanto, que ele se tinha enrolado com outra colega minha. E ainda assim perdoei-o.
 
As vezes dormimos juntos. Não consigo dizer que não porque tenho uma obsessão mórbida por ele já. Aluguei a casa a uma das melhores amigas dele e ontem soube que eles iam sair e não consegui adormecer até ela chegar. Tenho um pânico de morte que aconteça alguma coisa e sempre faço de tudo para estar com ele. Quando sou mesmo magoada – quando ele encontra outra, por norma – afasto-me, mas ele vem sempre atrás. De resto, acabo por procurá-lo e quere-lo e só fico na merda. Mas quando imagino que possa estar com outra, as coisas que possa dizer, até a barriga me dói. não consigo sequer digerir,
 
Ele sabe que sou doida por ele e acabo por fazer qualquer coisa estúpida. Depois eu choro, e ele melhora…Tenho sofrido de tal maneira que perdi o emprego. Sempre fui boa aluna e responsável e agora nem a porcaria da carta de condução consigo tirar!! Ele nem tão pouco me valoriza e eu sinto-me a pessoa mais rasca da terra.
 
Já não sei o que fazer. Morro de ciúmes de todas as mulheres e vim-me enfiar na boca do lobo e nem tão pouco posso ser franca com a amiga dele. Nem com ele, porque já não há muito a fazer. As minhas amigas dizem-me apenas para ter juízo…
 
O que é que eu faço? Tenho 25 anos e so me sinto uma gorda flácida e borbulhenta, quando já acreditei que o mundo era meu..
 
Beijinhos e obrigada pela atenção, gostaria tanto que me ajudasse…
 
D.
 

Cara D.,

 

Precisa urgentemente se libertar dessa relação obsessiva que está estragando a sua vida e deteriorando a sua auto-estima. Afaste-se dele de uma vez.

Comece a pensar em si e no seu futuro. Dê um basta nessa situação de uma vez e renasça para a vida. Trate de arranjar emprego, trate do seu corpo e da sua mente. Faça novos planos para a sua vida e não volte mais a pensar nele.

Penso que não lhe disse nada de novo, e nada que já não sabia mas talvez precise de ouvir a mesma coisa para ter forças para iniciar um novo tempo.

 

Confie em si própria e tome atitudes positivas.

 

Seja feliz!

Mariagrazia

18 comentários

Comentar post

Pág. 1/2