Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Consultório de Psicologia

Espaço de transformação com a finalidade de orientar, ajudar, esclarecer dúvidas e inquietações. Encontre equilíbrio, use sua criatividade e deixe fluir sua energia. Mariagrazia Marini Luwisch

Consultório de Psicologia

Espaço de transformação com a finalidade de orientar, ajudar, esclarecer dúvidas e inquietações. Encontre equilíbrio, use sua criatividade e deixe fluir sua energia. Mariagrazia Marini Luwisch

Afastamento sexual

Amedeo Modigliani

Boa tarde,
 
Em primeiro lugar, gostaria de congratular a iniciativa e disponibilidade demonstrada, em ajudar on-line, pessoas que se encontram perante situações e encruzilhadas da sua vida. Infelizmente, eu também me encontro nessa lista.
 
O meu nome é M, tenho 30 anos e sou casada há 5. O início do meu relacionamento foi tirado do mais belo romance alguma vez escrito. Durante bastante tempo a cumplicidade entre mim e o meu marido era do melhor que podia haver. O mesmo não poderei dizer agora. O primeiro sinal de afastamento sentiu-se a nível sexual, a frequência começou cada vez a diminuir mais e neste momento posso afirmar que simplesmente não existe.
 
Como a base do nosso relacionamento sempre foi o diálogo e sinceridade, nós falamos inúmeras vezes sobre o assunto. A primeira razão apontada era o facto de eu não tomar iniciativa (muito sinceramente não concordei mas, a questão na altura não era ver quem tinha razão mas, resolver um problema que nos afectava aos dois). Depois de essa questão ser ultrapassada, a segunda razão era o trabalho e neste momento é a falta de apetite sexual por parte do meu marido. Ao colocar-se esta questão e de muito o ter "chateado" ele foi ao médico mas, a verdade é que tudo continua na mesma.
Já não sei o que fazer mais! A questão é que tudo isto me tem afectado bastante. Sinto a minha auto-estima como mulher a cair de dia para dia e começo a colocar sérias dúvidas sobre a sinceridade do meu casamento. Para agravar ainda mais as coisas não temos conseguido comunicar como dantes, provavelmente porque para mim as questões levantadas anteriormente já não fazem sentido.
 
Toda esta situação fez com que saltasse um fantasma do meu armário. Há coisa de 3 anos atrás, já a minha relação sexual com o meu marido tinha adormecido um pouco, ocorreu uma situação bastante dolorosa para mim. Tive conhecimento que uma amiga (tb ela casada) de longa data e comum aos dois, tinha tentado ter algum envolvimento com ele. A verdade é que ele afirma que não aconteceu nada físico mas, admitiu que o teor da conversa não foi nada normal! Desde ela fazer perguntas muito especificas sobre a nossa vida sexual e que ele não teve pudor nenhum em responder, violando assim, para mim, a minha privacidade, desde inclusivamente ela ter proposto uma troca de casais. Na altura isto afectou-me bastante mas, pensei que já tinha ultrapassado. A verdade é que agora penso se o meu marido foi realmente sincero comigo e se neste momento não terá uma relação extraconjugal?
 
Com os mais sinceros cumprimentos
 
M
 
Cara M,
 
Não adianta procurar fantasmas de traição. Pode ser um momento de crise, uma fase passageira.
 
A relação precisa ser renovada e recriada no dia a dia. Procure melhorar seu casamento sem se fixar na frequência sexual, mas procure a qualidade e a harmonia. Tente não forçar, pois ele poderá se sentir mal e se afastar ainda mais por insegurança. Seja cúmplice, carinhosa e companheira. Mantenha aberto o diálogo.
Tente fortalecer a vossa relação e procure torná-la cada vez mais íntima e madura.
 
Deixe prevalecer o amor e o bom senso.
 
Felicidades
Mariagrazia