Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Consultório de Psicologia

Espaço de transformação com a finalidade de orientar, ajudar, esclarecer dúvidas e inquietações. Encontre equilíbrio, use sua criatividade e deixe fluir sua energia. Mariagrazia Marini Luwisch

Consultório de Psicologia

Espaço de transformação com a finalidade de orientar, ajudar, esclarecer dúvidas e inquietações. Encontre equilíbrio, use sua criatividade e deixe fluir sua energia. Mariagrazia Marini Luwisch

Retomar a vida

René Magritte

 

Boa tarde Dra. Grazia .

Não estou bem, ando com pensamentos bobos, tenho medo pois já aconteceu uma vez.

 

Estou só, não falo com muita gente para não afastá-los e mim, pois muitos depois que perdi o emprego se foram. Diz o ditado só valemos o que temos. Em 2006, depois de 19 anos passei passagem de ano com minha família no Brasil, onde só me resta os irmãos, cheguei de férias 2006, dei entrada nacionalidade, comprei minha casa, pedi demissão onde era efectiva, para ganhar mais pois tinha mais encargos, fui despedida a seguir, não tive direito fundo desemprego pois fiquei menos do tempo que a lei manda, acabou uma relação que tinha durante 11 anos, com 30 anos foi meu primeiro homem, o conheci 5 anos depois de cá estar.

 

Um dia julguei as (meninas de bares de alternes de Bragança) eu tinha meu trabalho, e agora, nem ESCADA arranjei para limpar, dinheiro está a acabar, contas só a chegar, fui trabalhar para um bar de alterne, não faço sexo , estes chamam "sobe e desce", este se faz companhia para os homens, dá muita conversa , querem sempre algo mais , o objectivo é te conquistar para te levar para cama , temos que nos livrar das mãos no rabo, ou nos seios , tudo para garantir o pagamento daquele copo.

É nojento, não se tem conversa que se aproveite, é o cenário em que nunca pensaste fazer parte, e ainda por cima ser chamada de prostituta.

 

Perdi meus pais cedo, cuidei dos meus irmãos, juventude, não sei o que foi isso. Vim para cá com 25 anos, resolvi por mim ir para cama com um homem já tinha feito 30 anos, pois fiz anos 21/05/05, aconteceu dia 29/05.

 

Depois comprei a casa, perdi o trabalho, me atolei em dívidas, muitas vezes resolvia com subsídios férias, natal, agora nada.

 

Sabe quando esta tudo a ficar tão distante, ODEIO a noite, tenho tomar remédio para dormir este não é meu horário, arranjei umas limpezas na parte da tarde, mas não da para me sustentar, nunca procurei "emprego". Esta difícil sair de casa, tenho telemóvel quase sempre desligado, medo abrir caixa correio, tenho correspondências fechadas não sei do que é, tenho medo de abrir, tenho dívidas, vi reportagem eles ir casas das pessoas despejadas, tenho medo, comprei vidro de álcool, se cá vierem penso atirar fogo em tudo e abrir o gás , penso quando chego do bar, moro 8ª andar se não esta na hora de acabar com isso, dizem vai dar uma volta para distrair vai ver o mar... me vejo jogar o carro contra outro, penso as vezes que no guincho é mais fácil .

 

Tomo remédio para me relaxar, mas já não faz nada, mas tenho uma carta pedir desculpa para o governo português, antes vivia rindo, agora só choro, o ano passado por esta altura, sai da noite estava fazer promoção, acordava cedo o cheiro é diferente, acabou o contrato, vim para rua, fiquei janeiro a procura e nada voltei para o bar, em 97 fiquei só um mês sem trabalho e logo arranjei outro.

 

Comecei a gostar de uma pessoa, ele só queria para despejar, quando perguntei porque que ele perguntava se eu o amava, ele disse "que era no intuito de que eu não tivesse este sentimento por ele pois não queria me ver sofrer no futuro", ai acabei tudo.

 

Estou cansada muito cansada, não vejo saída rápida, não posso esperar mais muito tempo, to sempre a lutar, lutar, lutar, eu queria viver sem tudo isso queria minha vida de volta o que faço...????? Por favor

Obrigada.

 

 

 

Cara Rose,
 
Retome a sua vida de volta. Recomece por outro caminho, mais saudável. Tente refazer sua vida para não cair na degradação. Essa vida que começou não é para si e nem para ninguém. Procure um emprego digno, com alguma perspectiva de futuro.
 
Acredite em si e lembre-se que quanto mais cedo mudar de vida melhor, pois arrisca-se a perder a sua honra.
O importante é não desesperar e agir com bom senso para fazer das experiências negativas um ensinamento para o futuro.
 O amor chegará quanto menos espera e encontrará um homem que a amará com respeito.
 
Felicidades
Mariagrazia

3 comentários

Comentar post