Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Consultório de Psicologia

Espaço de transformação com a finalidade de orientar, ajudar, esclarecer dúvidas e inquietações. Encontre equilíbrio, use sua criatividade e deixe fluir sua energia. Mariagrazia Marini Luwisch

Consultório de Psicologia

Espaço de transformação com a finalidade de orientar, ajudar, esclarecer dúvidas e inquietações. Encontre equilíbrio, use sua criatividade e deixe fluir sua energia. Mariagrazia Marini Luwisch

Confusa

 

 

Paula Rego

Olá,

 

Ao passear pela net descobri que havia o consultório on-line. Não sei bem o que pretendo com esta mensagem, talvez uma esperança de que ainda haja alguma esperança para mim.

 

O meu nome é Lara e aos 13 anos fui violada. Hoje tento a todo o custo esquecer, ou pelo menos minimizar na minha cabeça o que aconteceu e simplesmente não consigo. Não sou capaz de contar isto a ninguém, a não ser na net em que não tenho que revelar quem eu sou. Tenho muita vergonha...

 

Para além disso um ano depois de tudo isso ter acontecido conheci um rapaz por quem me apaixonei. Estávamos os dois muito apaixonados, vivendo um amor muito intenso, quando eu engravidei. Não entramos em acordo quanto a um possível aborto e acabámos por nos separar. Eu quis abortar... não sei se fiz bem ou mal, mas naquele momento eu tinha que tomar uma decisão e sinceramente não me arrependo. Eu era muito nova e a minha família nem sabia que eu namorava. Não lhes contei porque ele é 11 anos mais velho que eu. Enfim, o facto é que ele já tinha perdido um filho no antigo relacionamento e não aceitou que isso acontecesse outra vez.

 

Isto tudo paira na minha cabeça como se tivesse acontecido hoje! Agora com 20 anos não consigo manter uma relação... por diversos motivos: procuro aquele homem que amei em todos os homens, sabendo que nunca vai ser o mesmo; não consigo ter relações sexuais, morro de medo que algum homem me toque, aliás só ainda tive prazer com o único homem que amei! Lutámos muito os dois para que eu conseguisse, pois com ele acontecia-me o mesmo, sempre que estávamos mais juntos eu fugia e em vez de o ver a ele, via o homem que me violou. Com o tempo ele conquistou a minha confiança e ensinou-me a amá-lo e a sentir prazer com a nossa relação. Agora que não o tenho apenas está ali o meu corpo enquanto aquilo acontece. Sujeito-me a sexo para tentar manter as relações que vou tentando ter. Já gostei de alguns rapazes (apesar de nunca ter amado nenhum deles como amo aquele que já referi), mas simplesmente afasto-os sem querer...

 

A minha cabeça está uma confusão...

 


Cara jovem,

 

Sempre há esperança. Imagino que esteja confusa e que se sinta muito mal a falar e a pensar no seu passado mas precisa aceitá-lo com coragem. Procure viver o presente sem culpa e com bom senso e verá que qualquer hora encontrará alguém para amar de verdade, alguém que possa realmente se entregar com prazer e dedicação.

 

Nem sempre a vida é fácil mas o que passou já passou e as experiências tristes podem nos ajudar a enfrentar a vida de uma forma mais amadurecida. Procure agir segundo a sua essência e viva com naturalidade e com confiança em si mesma.

 

Tudo de bom

Mariagrazia



 

 

7 comentários

Comentar post