Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Consultório de Psicologia

Espaço de transformação com a finalidade de orientar, ajudar, esclarecer dúvidas e inquietações. Encontre equilíbrio, use sua criatividade e deixe fluir sua energia. Mariagrazia Marini Luwisch

Consultório de Psicologia

Espaço de transformação com a finalidade de orientar, ajudar, esclarecer dúvidas e inquietações. Encontre equilíbrio, use sua criatividade e deixe fluir sua energia. Mariagrazia Marini Luwisch

Principio de Paranóia

 

Claude Monet

Olá Mariagrazia
Encontrei seu blog por acaso, em pesquisas que faço periodicamente sobre comportamento humano. Li muitas postagens suas no seu blog e tive a ideia de pedir a sua opinião em um caso que me preocupa a muito tempo.
Tenho um amigo, que parece sofrer de um principio de paranóia. Ele é um rapaz de grandes talentos culturais, escreve livros e poesias. Apesar de ser muito bom no que faz, não recebe retorno financeiro, talvez isso gere algum tipo de frustração. Nos últimos tempos ele tem agido de maneira paranóica: se as pessoas rirem no autocarro, ele olha a pensar que estão a rir dele. Muitas vezes ele grita com pessoas que nem conhece, pois passam rindo perto dele. Isso chegou à um ponto em que gera constrangimento sair em publico com ele. Essa paranóia é presente até quando ele esta em casa, junto sua família.
Como é possível lidar com essa situação e mostrar para ele que está paranóico, sem que eu faça parte da imaginaria conspiração que acredita estar contra ele?
Sinta-se livre para postar esse tema, mas peço o anonimato.
Obrigado. Parabéns

 


Cara Leitora,
Pessoas com Desordem Paranóica de Personalidade raramente procuram tratamento por acharem que não precisam de ajuda. A desconfiança das pessoas paranóides torna difícil o tratamento da doença. Raramente, falarão com espontaneidade em uma consulta. Desconfiam do tipo de sondagem aberta que muitos terapeutas utilizam para conhecer a história do paciente Podem não aceitar medicamentos temendo a perda de controle ou outros perigos, reais ou imaginários.
A psicoterapia é o tratamento mais eficaz e propicia a oportunidade de expressar os temores e desconfianças de forma regular e pode ajudar o paciente paranóide a se ajustar à vida social. Embora as ideias paranóides pareçam persistir, elas podem tornar-se menos prejudiciais. Há outros tipos de psicoterapia que também podem ajudar o comportamento social que são a terapia familiar, a terapia de grupo e a arteterapia.
O que pode fazer é tentar motivá-lo para uma dessas terapias, com o intuito de diminuir o stress e propiciar um melhor desempenho laboral e afectivo.
Tudo de bom
 
Mariagrazia

 

3 comentários

Comentar post