Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Consultório de Psicologia

Espaço de transformação com a finalidade de orientar, ajudar, esclarecer dúvidas e inquietações. Encontre equilíbrio, use sua criatividade e deixe fluir sua energia. Mariagrazia Marini Luwisch

Consultório de Psicologia

Espaço de transformação com a finalidade de orientar, ajudar, esclarecer dúvidas e inquietações. Encontre equilíbrio, use sua criatividade e deixe fluir sua energia. Mariagrazia Marini Luwisch

Cisma com doença

 

Frida Kahlo

 

Boa tarde Dra,

 Antes de mais gostaria de lhe agradecer pelo espaço, pois permite-nos tirar algumas dúvidas que nos atormentam de uma forma simples.

A questão que quero colocar-lhe é mais um "conjunto" de questões... eu sou uma pessoa um bocado cismada com certas coisas, até acho que tenho um problema relacionado com obsessão/compulsão... preocupo-me muito e por vezes reconheço que é demais... já me aconteceu magoar-me no ginásio, e como fiquei um bocado arranhada (sem sangue)pus-me a pensar horas e horas se não poderia ter adquirido alguma doença devido a esse embate, isto apesar de eu conhecer as formas de transmissão do vírus hiv e saber que naquela situação não seria viável. Eu sei que é exagerado, mas este foi só um exemplo para agora lhe colocar a questão que me preocupa realmente: há cerca de 2 dias fui fazer um teste rápido de detecção do vírus do HIV, no CAD do Porto, pois como ando sempre muito preocupada este assunto não podia ser excepção... falei com a enfermeira e com a psicóloga, que me aconselharam, e fiz o teste, que deu negativo. Eu já esperava, mas quis ter a certeza absoluta, que só podemos ter com o teste.
 
Fiquei muito contente, mas quando cheguei a casa pus-me a pensar que na altura do teste, com o meu nervosismo, não me lembro de ter verificado se a enfermeira teve todos os cuidados de higiene necessários... vi que ela abriu uma embalagem cinzenta prateada na minha frente, que suponho teria dentro o aparelho usado para o teste, mas não vi se ela retirou de lá a agulha... seria possível ter usado uma agulha que não fosse nova? Tenho pavor de pensar que estava bem e fui fazer um teste e pensar que isso é que me poderia ter contaminado...
O material é todo descartável? E  se sim, ser descartável quer dizer que não é usado mais do que uma vez ou é mesmo tecnicamente impossível usá-lo?
 
Mais um pormenor, neste momento tomo um ansiolítico leve para a ansiedade, visto que tenho bastantes cismas com tudo, penso sempre que tudo irá correr pelo pior, não tenho muita confiança em mim e vivo com um medo patológico de tudo... talvez precise de ajuda mesmo...

Muito obrigada pela atenção e peço desculpa pelo longo texto.
 
Melhores cumprimentos,
J
 
 
Cara J.,
 
As suas preocupações são infundadas e exageradas e beiram a hipocondria.
 
A hipocondria, também conhecida por nosomania, é um estado psíquico que se caracteriza pela crença infundada de se sofrer de uma doença grave. Pode vir associada a um medo irracional da morte, a uma obsessão com sintomas ou defeitos físicos irrelevantes, à descrença nos diagnósticos médicos, preocupação e auto-observação constante do corpo. A hipocondria pode também vir associada ao transtorno obsessivo-compulsivo e à ansiedade.
 
Ao fazer o teste a embalagem da seringa é aberta na frente do paciente. Agora ser descartável significa que é feita para ser usada uma só vez, o que não garante a impossibilidade de ser reutilizada.
 
Se essas suas cismas continuarem, o melhor é procurar ajuda de uma psicoterapia para através de um auto-conhecimento, refletir sobre as suas crenças infundadas e evoluir enquanto pessoa saudável e segura de si
 
Um abraço
Mariagrazia

84 comentários

Comentar post

Pág. 1/6