Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Consultório de Psicologia

Espaço de transformação com a finalidade de orientar, ajudar, esclarecer dúvidas e inquietações. Encontre equilíbrio, use sua criatividade e deixe fluir sua energia. Mariagrazia Marini Luwisch

Consultório de Psicologia

Espaço de transformação com a finalidade de orientar, ajudar, esclarecer dúvidas e inquietações. Encontre equilíbrio, use sua criatividade e deixe fluir sua energia. Mariagrazia Marini Luwisch

Despertar para a maternidade

Olá a todos!

 

Sou uma mulher de 30 anos e vivo com o meu namorado há 5 anos.

 

Como é normal, de há uns tempos para cá, começo a sentir-me a despertar para a maternidade e para um compromisso mais sério. Infelizmente, o meu namorado não pensa da mesma forma que eu e resolveu agora começar a afirmar que não se sente desperto para a paternidade e que é feliz com a relação como está, em liberdade.

 

Eu amo-o muito, e nem me importo com o facto de não haver casamento. Muito sinceramente, até é uma coisa com a qual pouco me identifico. Mas, pelo contrário, um filho é o que eu mais desejaria no mundo e não me imagino a envelhecer sem ter passado por esse caminho. Posto isto, a minha pergunta é a seguinte: como posso despertar o meu namorado para a paternidade?

 

Muito grata por toda a ajuda.

Obrigada,


F.

 

Cara F.,

 

Ter ou não ter filhos deve ser uma decisão conjunta, do homem e da mulher.

 

A decisão de ter um filho está relacionada com: a idade reprodutiva, a estabilidade da relação e o equilíbrio profissional e financeiro, ou participam: a biologia, a emoção e a razão. É sabido que a mulher tem uma idade reprodutiva ideal, que vai dos 18 aos 35 anos, com alguma variação de mulher para mulher, e por isso o dito “despertar para a maternidade”, enquanto que o homem poderá ser pai quase em qualquer idade.

 

O desejo de ter um filho não é tudo, é preciso também ter vontade. O desejo é dado pela psique, libido, biologia – é um fato natural. A vontade é construída pela consciência, disciplina, interacção – é um fato social. O que é preciso, no vosso caso, é falar sobre o assunto para despertar uma decisão consciente quando sentirem que é momento.

 

Um abraço

Mariagrazia

2 comentários

Comentar post