Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Consultório de Psicologia

Espaço de transformação com a finalidade de orientar, ajudar, esclarecer dúvidas e inquietações. Encontre equilíbrio, use sua criatividade e deixe fluir sua energia. Mariagrazia Marini Luwisch

Consultório de Psicologia

Espaço de transformação com a finalidade de orientar, ajudar, esclarecer dúvidas e inquietações. Encontre equilíbrio, use sua criatividade e deixe fluir sua energia. Mariagrazia Marini Luwisch

Adolescente síndrome de pânico

magritte34.jpg

 

Meu filho tem 14 anos e ainda dorme no meu quarto e agora está pensando que eu vou morrer e chora

Obs: ele joga muito jogos violentos no computador e já foi assaltado quando tinha 12 anos passado um mês foi diagnosticado com síndrome do pânico o que pode estar acontecendo agora?

 

Cara mãe de adolescente,

 

Seu filho está a sofrer as consequências por excesso de jogos violentos no computador, agravado com trauma por ter sido assaltado.

Ele precisa voltar a sentir segurança e confiar nas pessoas e nele próprio. De qualquer maneira o primeiro ponto a começar é na independência dele conseguir dormir sozinho no próprio quarto e ao mesmo tempo diminuir o tempo de jogo no computador. Para tal vai precisar da sua ajuda. Dar alguns limites quanto ao tempo de uso do computador, aprender diferenciar entre fantasia e realidade e sentir que não é bem-vindo a dormir na sua cama.

 

A adolescência é um período que poderá revelar-se como uma fase do desenvolvimento humano particularmente complicada. É uma fase em que os adolescentes procuram a sua própria identidade e questionam as regras e limites impostos. Existe uma enorme instabilidade emocional, juntamente com a vontade de crescer rapidamente.

 

Para os pais é um desafio diário lidar com este turbilhão de emoções e comportamentos. Além de heróis, os pais têm um papel determinante na construção da identidade do filho. Inicialmente o adolescente não se identifica com os modelos parentais e pode revoltar-se contra eles, rejeitando o seu domínio. Esta rejeição é necessária para separar a sua identidade da dos pais. No adolescente há um aumento da fantasia como forma de compensar a insegurança que sente no mundo real e parece estar a viver num mundo próprio, o que torna difícil o diálogo com os pais.

 

O melhor seria se ele tivesse um acompanhamento psicoterápico para evoluir no sentido de se tornar independente e ao mesmo tempo responsável e alcançar os objetivos relacionados às expectativas culturais da sociedade em que vive. De qualquer maneira é preciso que também o ajude para que ele possa se tornar independente e possa crescer em maturidade. Fale com ele e negocie que ele vá dormir no próprio quarto, explique que ele já é um adolescente e que quanto mais se acostumar a ficar sozinho, melhor se sentirá.

Fale com ele sobre a morte e explique que vai morrer um dia, mas esse dia ainda está muito longe. Não se deixe influenciar pelas lágrimas, ele vai chorar alguns dias, mas vai passar.

 

Procure ser assertiva sempre com muita responsabilidade e amor e esteja sempre disponível para conversarem sobre qualquer assunto, incluindo drogas, sexo, doenças sexualmente transmissíveis, sem constrangimentos.

 

Um abraço

 

1 comentário

Comentar post