Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Consultório de Psicologia

Espaço de transformação com a finalidade de orientar, ajudar, esclarecer dúvidas e inquietações. Encontre equilíbrio, use sua criatividade e deixe fluir sua energia. Mariagrazia Marini Luwisch

Consultório de Psicologia

Espaço de transformação com a finalidade de orientar, ajudar, esclarecer dúvidas e inquietações. Encontre equilíbrio, use sua criatividade e deixe fluir sua energia. Mariagrazia Marini Luwisch

Criança de 9 anos com medo


gonga.jpgOlá Bom dia!

Meu filho tem 9 anos, há 3 meses não consigo levá-lo a escola. Passou por um constrangimento em um aniversário escolar, que aconteceu em um restaurante, ele passou mal, vomitou, e as responsáveis pela festinha não trocaram a roupa dele, deixando-o vomitado, as crianças ficaram rindo dele, e não quiseram ficar perto dele!


Descobri porque depois de uma semana, que ele sofria para entrar na escola, ele conseguiu desenhar o que aconteceu!
Agora ele tem medo de ficar sem a minha presença, e ficar doente, morrer, ou acontecer alguma coisa comigo!
Estou tendo que ir na escola, para ele fazer provas, tenho que estudar em casa o conteúdo escolar.


Não se o que fazer, estou levando em uma terapeuta ocupacional, que foi a única que ele quis, e está tomando um medicamento, passado por um neurologista.


Levei em um psiquiatra, que passou em medicamento que deixou ele extremamente agitado, e disse que era para esperar ele se sentir seguro para voltar para escola, ele ouvindo isso, se apoiou nisso, e não consegue voltar!
Não estou sabendo mais o que fazer! Preciso de uma orientação!
Obrigada!
IC

Cara CI.,
Situações de stresse pós-traumático, como bullying aparecem como causadores de ansiedade de separação, ou seja, dificuldade de se adaptar a um novo espaço sem a presença do vínculo familiar. O seu filho pode ter receio de deixar a mãe, por ter fantasias de abandono ou destruição.


A maioria das crianças supera essa fase em, aproximadamente, uma semana. No entanto, apresentar algum tipo de insegurança e ansiedade em até quatro semanas ainda é considerado normal. Os pais devem ficar atentos se o temor do filho de ir para a escola se intensificar ou persistir por muito tempo que pode, sim, ser indício de fobia.


A adaptação desses alunos no ambiente escolar, deve ser feita de forma lenta e gradativa, seguindo o ritmo e a necessidade de cada um. O papel da escola é, aos poucos, mostrar ao aluno que ele possui habilidades e potencialidades, que os erros fazem parte do desenvolvimento e que o ambiente escolar e a aprendizagem podem ser muito prazerosos. Se a ajuda familiar e da escola por meio de conversas e combinados não for suficiente, deve-se procurar um profissional, de preferência um terapeuta familiar, que vai abordar a questão no contexto relacional do problema.


O que é preciso é que ele vá na escola sozinho para que esse medo não se cristalize. A terapeuta ocupacional é uma boa ajuda. Converse com seu filho sobre seus medos, passando-lhe a segurança de que precisa. Os pequenos sempre percebem a ansiedade e insegurança dos pais. Seja breve nas despedidas na escola. Nada de voltar para dar mais um beijinho ou falar algo que esqueceu. Isso aumenta o sofrimento.
Entretanto tranquilize-o sempre dizendo-lhe que não vai ficar doente e que não vai morrer. Procure sempre alimentar a autoestima do seu filho para que possa se sentir mais seguro. Só vai se sentir mais seguro e independente ao conseguir fazer as coisas sozinho e para tal procure sempre incentivá-lo e motivá-lo. A medicação deve ser mantida, mas assim que melhorar fale com o neurologista para retirar.

Fique sempre alerta: se os sinais de sofrimento não diminuírem, procure ajuda junto à escola.

Um abraço