Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Consultório de Psicologia

Espaço de transformação com a finalidade de orientar, ajudar, esclarecer dúvidas e inquietações. Encontre equilíbrio, use sua criatividade e deixe fluir sua energia. Mariagrazia Marini Luwisch

Consultório de Psicologia

Espaço de transformação com a finalidade de orientar, ajudar, esclarecer dúvidas e inquietações. Encontre equilíbrio, use sua criatividade e deixe fluir sua energia. Mariagrazia Marini Luwisch

Dúvidas de relacionamento

miro10.jpg

 

Olá. Soube do seu e mail numa página da net e resolvi entrar em contacto porque pretendia que alguém entendido em relacionamentos me ajudasse. E por isso agradeço desde já a ajuda.

Para ser breve a questão é a seguinte: O meu nome é SS, tenho 29 e conheci um rapaz de 29 com a mesma idade em trabalho. Houve logo uma química entre nós e começamos a sair. Estávamos nos conhecendo até que um dia eu o beijei. Fiquei na casa dele porque ele me convidou mas não aconteceu nada. Continuámos falando e passado uma semana, ele convidou-me a jantar em casa dele e assistir um filme. Ele pediu para eu ficar lá e eu disse sim eu posso ficar porque quero estar contigo, mas já te vou avisar que não vai acontecer nada íntimo entre nós. Claro que eu fiquei lá a dormir em casa dele, mas fiquei porque pensei que nós íamos continuar a sair ou seja pensei que íamos namorar. A partir daí ele começou a ficar diferente, ignorou me e tratava me com indiferença. Eu fui a casa dele e pedi lhe para me explicar o porquê de estar assim e ele disse- me que estava confuso, que não sabia o que queria, que não estava preparado, que sabia que me devia ter respeitado e tratar me de outra forma e que tinha a consciência pesada, e que queria espaço. Eu dei meia volta e fui embora sem olhar para trás. Eu ainda lhe mandei duas mensagens mas ele nunca mais me respondeu. E eu nunca mais lhe disse nada. Passado um mês e meio, recebo um sms a dizer que me devia um pedido de desculpa, que estava com remorsos de me ter feito o que fez, que sabia que eu era uma pessoa diferente, que sabia que eu era séria, e que não sabia se um dia íamos ter mais alguma coisa ou não, mas que se tivéssemos que já sabia q eu era uma pessoa de confiança e que confiança era uma coisa que ele prezava muito e que me devia ter levado mais a sério. Claro que eu fui fria com ele e até me mostrei indiferente ao que ele disse embora ainda lhe tenha feito alguns elogios. Mas disse lhe também que o pedido de desculpas dele agora já não fazia diferença. Contudo, passado uns dias, ele foi dizer a uma amiga que temos em comum que gostava mas de mim, mas que tinha medo, porque eu era muito dona do meu nariz e que isso o tinha assustado dizendo ainda que eu era boa demais para ele. A minha questão é a seguinte: Será que ele apenas me viu como um momento? Será que esta história do assustado é mesmo verdade? E porquê que ele não corre atrás de mim? E porquê que até ao momento ele ainda não tomou uma decisão?? E como eu me devo comportar? Devo procurá-lo?

 

Preciso de alguém que esteja de fora que me dê uma ajuda, porque eu acho que quando uma pessoa gosta que corre atrás e eu não o percebo.

 

Obrigada

Cumprimentos

SS

 

Cara SS,

atualmente há muito homem mais retraído por conta da liberação feminina.

Pelo que contou penso que ele tenha ficado realmente assustado e não corre atrás por ter “medo “ de ser rejeitado e deve estar à espera de “coragem” ou de oportunidade onde se sinta que é bem recebido.

Pode procurá-lo, mas demonstre interesse de forma sutil para que ele não se sinta pressionado. Ele parece que já conseguiu ter alguma coragem para voltar a fazer contato e pedir desculpa.  Pode ser que ele tenha dificuldade  para dizer algo ou demonstrar interesse, o que pode partir de si principalmente com o olhar e deixar que ele se aproxime, pois os homens adoram estar no controle da situação. Seja paciente e dê a oportunidade dele chegar a si. Deixe que ele se autodescubra e ganhe confiança no tempo dele, mas continue sempre dando sinais de interesse para conquistá-lo.

Felicidades