Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Consultório de Psicologia

Espaço de transformação com a finalidade de orientar, ajudar, esclarecer dúvidas e inquietações. Encontre equilíbrio, use sua criatividade e deixe fluir sua energia. Mariagrazia Marini Luwisch

Consultório de Psicologia

Espaço de transformação com a finalidade de orientar, ajudar, esclarecer dúvidas e inquietações. Encontre equilíbrio, use sua criatividade e deixe fluir sua energia. Mariagrazia Marini Luwisch

Filho e mentira

miro9.jpg

 

 

Tenho um filho de 9 anos e ele mente muito e acredita na própria mentira. Já conversei e não adianta, ele tem medo de falar a verdade, pode me ajudar por favor?

 

Cara mãe,

 

Aos 9 anos, as crianças já compreendem a diferença entre a realidade e a fantasia e já distinguem o que está certo do que está errado e podem mentir por várias razões.

 

Não têm idade suficiente para entender a diferença entre verdade e mentira e entre certo e errado.

Têm medo de serem castigadas ou de perder o afeto dos pais.

Têm baixa autoestima e querem parecer, aos olhos dos adultos, melhores do que julgam ser.

Querem impressionar positivamente os seus amigos.

Acreditam que o que estão a dizer é verdade.

Copiam pessoas da família que dizem mentiras.

 

No caso de seu filho procure reagir adequadamente. É importante não ignorar, nem achar graça à ”mentira” para que ele não a venha a encarar como um comportamento aceitável, mas também é importante não se preocupar em demasia, já que a mentira é utilizada com bastante frequência no quotidiano das pessoas.

 

Dialogar: É essencial que os pais conversem tranquilamente com os filhos, para lhes explicar a importância do uso da verdade e quais podem ser as consequências positivas e negativas da mentia. Se a criança mente porque receia o castigo, há que lhe mostrar as diferentes formas que os adultos têm para lidar com os erros; desta maneira a criança aprenderá a não ter receio de contar a verdade.

 

Confiar: Uma criança, de qualquer idade, vai sentir-se mais feliz e importante se os pais lhe demonstrarem com frequência que confiam nela. Se a criança for apanhada a mentir, os pais terão de lhe dizer que isso não irá fazer com que eles deixem de confiar nela, mas, se esse comportamento continuar, será difícil, para eles, manter uma relação de confiança

 

Dar segurança: A criança tem de se sentir segura para dizer a verdade, sem ameaças e sem receios. As mentiras nem sempre são fáceis de descobrir, pelo que os pais devem certificar-se sempre da veracidade ou não do comportamento; se realmente a criança mentiu é importante dar-lhe uma oportunidade para esclarecer a verdade e pedir desculpa.

 

Não rotular: As crianças rotuladas de mentirosas tendem a reforçar o comportamento e a mentir mais frequentemente.

 

Espero que essas dicas possam ajudar. Se entretanto a situação se mantiver inalterada é indicado que procure ajuda especializada.

 

Tudo de bom

 

1 comentário

Comentar post