Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Consultório de Psicologia

Espaço de transformação com a finalidade de orientar, ajudar, esclarecer dúvidas e inquietações. Encontre equilíbrio, use sua criatividade e deixe fluir sua energia. Mariagrazia Marini Luwisch

Consultório de Psicologia

Espaço de transformação com a finalidade de orientar, ajudar, esclarecer dúvidas e inquietações. Encontre equilíbrio, use sua criatividade e deixe fluir sua energia. Mariagrazia Marini Luwisch

Medo de morrer

10.jpg

Prezada,

estou passando por um dos maiores dilemas da minha vida, pois a dois anos venho sofrendo com uma perturbação mental que, não consigo me libertar: estou deixando de viver, pois tenho medo de morrer, este pensamento maldito, apoderou-se de minha mente, e eu não consigo mais ter paz em minha vida, vivo triste, com muita vontade de chorar, sem vontade de fazer nada, pois este pensamento, vive 24 horas em minha mente. Não consigo aceitar que um dia eu vou morrer, deixar minha família meus netos, irmão, esposa, parentes e amigos, deixar de existir, ser enterrado, ser deixado lá naquele buraco, sozinho, e nunca mais ver as pessoais e as coisas que eu amo, neste momentos que estou escrevendo, estou chorando muito, e assim que são os meus dias e noites, este tormento sem fim. Não sei como ainda tenho forças para trabalhar, pois a minha vida e um desânimo total, não tenho mais alegria, não consegue trazer um pouco de paz para minha vida, e uma tristeza profunda, que chegar a dor no meu peito.

 

Tenho 58 anos, sou casado, tenho 1 filha e um filho e quatro netos, minha maior dor e saber que um dia vou separar-me deles. Olhe doutora, quando eu fico sabendo que alguém morreu, mesmo que seja uma pessoa estranha, eu fico no maior desespero, toda esta minha loucura esta acabando comigo, pois até a minha vida sexual esta morrendo junto com os meus dias. Preciso de sua ajuda, pois por medo da morte, estou deixando de viver a cada dia. O que posso fazer?

 

Tem algum remédio para curar-me deste mal. Por favor me responda este e-mail. Tinha muita mais a lhe escrever, mais não consigo parar de chorar, e não consigo mais  escrever. Deus abençoe a senhora. 

 

Caro leitor,

O medo de morrer é um medo natural, espontâneo e necessário. Ele vem do nosso instinto de conservação que serve para a preservação da nossa vida. Este medo natural de morrer nos protege de situações arriscadas. Este medo natural, então, é um mecanismo para a nossa proteção. Quando este medo torna-se exagerado, passa a ser um medo patológico, fóbico que merece tratamento especializado. Portanto, o medo de morrer é necessário, bom e útil dentro de um limite equilibrado.

 

À medida, então, que o ser humano reflete mais sobre a morte, compreende melhor o assunto e aproveita melhor a vida. Assim, sua preocupação com a morte diminui. Compreendendo melhor nossa missão aqui na Terra, e, vivendo a vida cada vez com melhor qualidade, esperaremos a morte com mais serenidade, calma, resignação e sem medo.

 

Conviver bem com a morte é descobrir os encantos da vida. Muitos, tem medo da morte porque não vivem a vida em plenitude.

O que precisa é de um acompanhamento psicoterapêutico para poder falar e trabalhar esses seus medos e poder se libertar desses pensamentos irracionais e viver uma vida plena.

Entretanto confie em si e tome a decisão de se ajudar e de encarar a vida focando no momento presente e o aqui e agora.

 

Tome um minuto do seu tempo para se concentrar apenas no que está acontecendo ao seu redor. Ouça para ouvir o que pode ouvir. Olhe ao redor e veja o que percebe. Faça um exame rápido do seu corpo e preste atenção em como ele se sente.

Com uma prática regular, aumentará sua capacidade de focar o momento, o que é difícil de fazer no mundo acelerado de hoje. E também poderá aproveitar cada momento porque estará menos distraído com os problemas de ontem e as preocupações de amanhã.

Um abraço