Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Consultório de Psicologia

Espaço de transformação com a finalidade de orientar, ajudar, esclarecer dúvidas e inquietações. Encontre equilíbrio, use sua criatividade e deixe fluir sua energia. Mariagrazia Marini Luwisch

Consultório de Psicologia

Espaço de transformação com a finalidade de orientar, ajudar, esclarecer dúvidas e inquietações. Encontre equilíbrio, use sua criatividade e deixe fluir sua energia. Mariagrazia Marini Luwisch

Mulher mal amada

 

 

Tenho de 25 anos. Uma mulher à beira de loucura e que precisa urgentemente de ser ajudada. 

 

Namoro há 7 anos e juntei-me há 2. O início da relação já não foi o melhor, porque eu tinha apenas 18 anos e ele 29 e a juntar a isto ele ainda era o tio da minha melhor amiga de infância, com quem estava sempre.

Contra tudo e todos, ele deixou a namorada de 4 anos e ficou comigo. Mas passado um mês de estarmos juntos, descobri que ele ainda andava com a ex-namorada. Foi desesperante, confrontámo-nos os três e passadas umas semanas eu estava novamente com ele. Até hoje. 

Mas desde o início que sempre houveram discussões e mais discussões, ciúmes descontrolados da minha parte, implicância com a família dele, porque não queriam e aceitavam o nosso namoro. E agora há pouco tempo o corte de relações entre mim e o irmão gémeo dele, pessoa que ele idolatra por completo.

 

E todas estas coisas tornaram-se num ciclo vicioso e eu não consigo sair. Quando há uma discussão está dias sem me falar e quando fala, para responder às dezenas de mensagens que lhe mando é para me chamar louca, maluca e me dizer para eu sair de casa. Sim a casa e o carro são dele. Sinto-me inútil, mal amada, desprezada como nunca fui na vida e sem saber para onde ir.

Já não sei se ainda está comigo, porque lhe pago as contas ou porque passados uns dias eu vou ter com ele a chorar e imploro que fique comigo. Não sei nada.

Ele só me diz para eu me tratar, que sou obcecada, possessiva, que quero mandar em todas as relações dele. A verdade é que tenho ciúmes de todos. 

 

Diga-me Doutora, dê-me só um estímulo para eu poder seguir a minha vida.

 

Cara leitora,

a sua situação é inquietante que precisa ser trabalhada e resolvida.

 

O CIÚME EXCESSIVO vai sempre trabalhar contra a vossa relação. O fato dele ser tão distante também não trabalha a seu favor. Parece que esteja a precisar de uma ajuda psicológica para por as ideias em claro e poder investir na sua relação com maior rigor e sensatez.  

 Não existe uma receita pronta para tratar problemas afetivos e psicológicos. Cada pessoa é uma e cada conflito é diferente do outro. De qualquer maneira quando estiver bem consigo mesma vai conseguir estar bem com o namorado, com a família e com o mundo ou pelo menos vai conseguir compreender e tomar as decisões mais apropriadas e mais acertadas.

 

Para tal é preciso fazer uma psicoterapia para se conhecer melhor e poder enfrentar as suas dificuldades, com maior serenidade.

A psicoterapia proporciona formas de transformação da pessoa na sua maneira de ser, pensar e agir, no sentido de uma maturação, do ultrapassar dificuldades de gestão emocional e pessoal, de comunicação interpessoal, de resolução de crises e manejo dos sintomas, por forma a melhor lidar com a vida na sua complexidade.

Não se desespere, mas aprenda amar a si mesma, perceber todo o seu potencial positivo e pô-lo em prática, na sua vida. A partir daí procure estender o seu amor ao seu companheiro, amigos e ir ampliando cada vez mais este círculo amoroso, abrangendo cada vez mais toda a sua natureza.

Comece logo a planejar o seu tratamento junto com uma psicóloga capaz de compreendê-la.

Tudo de bom