Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Consultório de Psicologia

Espaço de transformação com a finalidade de orientar, ajudar, esclarecer dúvidas e inquietações. Encontre equilíbrio, use sua criatividade e deixe fluir sua energia. Mariagrazia Marini Luwisch

Consultório de Psicologia

Espaço de transformação com a finalidade de orientar, ajudar, esclarecer dúvidas e inquietações. Encontre equilíbrio, use sua criatividade e deixe fluir sua energia. Mariagrazia Marini Luwisch

Dicas para viver o Natal

 

 

Se estiver distante das pessoas queridas: aproveite para se ocupar com atividades diversas que lhe dão prazer.

 

Se não tem família: confraternize com amigos ou aproveite para por em dia projetos adiados como: fazer uma viagem, ler um bom livro ou assistir um filme tranquilamente em casa.

 

Se não tem dinheiro para gastar: faça uma comemoração ao seu alcance, pequenas lembranças podem ser muito significativas. O importante é o afeto.

 

Se trabalhar na noite da Consoada: trabalhe com ânimo, sinta-se importante e insubstituível.

 

Se terminou o seu namoro: lembre-se do parceiro com carinho e não com tristeza. Não se isole, participe das comemorações, confraternize e dedique-se à família.

 

Se está doente: aproveite o Natal para descansar, descontrair e repor as energias. Pense em todas as coisas que poderá fazer quando estiver sarada.

 

Se não gosta do Natal: invente novas maneiras para celebrar: faça uma viagem, participe num trabalho de voluntariado, numa creche ou numa instituição de crianças desamparadas, ou num asilo de idosos, ofereça o seu “trabalho” com amor e verá que se sentirá muito “recompensada” e feliz.

 

Se optar por ficar em casa: comemore, junto com a pessoa amada, com um jantar romântico, à luz de velas.

 

Participe, celebre e procure conviver sempre respeitando seus limites, dentro de suas possibilidades económicas e psicológicas. É importante se permitir estar triste ou nostálgico. Esses são sentimentos normais da época de Natal e se sentir uma depressão de Natal saiba que ela é passageira.

 

Viva o Natal com naturalidade, descontração, sem idealizar e com expectativas reais: um Natal Possível!

 

 

Amor aos Estudos

 

 

Para que crianças e jovens rendam nos estudos é preciso lembrar que não é indispensável concentrar-se durante horas em uma matéria. É muito mais profícuo alternar breves sessões de diferentes disciplinas. E, não faz sentido obrigar quem estuda a permanecer fechado sempre no mesmo ambiente: ao se mudar de local há uma maior probabilidade de se decorar aquilo que se lê. E além do mais não há provas de que cada pessoa tenha uma modalidade de aprendizagem, p. ex. visual ou auditiva.

 

O método mais indicado é o mesmo para todos, assim como os métodos educativos. Enfim, não deveríamos considerar os temidos exames como testes esporádicos. Seria mais frutífero pensar os testes como sendo uma rotina de estudo, pois mais se verifica, mais se memoriza.

Essas são algumas das surpreendentes conclusões de pedagogistas e psicólogos dos últimos anos. 

 

Para obter o máximo dos estudos é importante que os docentes deixem os ensinamentos em concreto, dando exemplos que os jovens conheçam, mostrando-lhes como aplicar aquilo que aprenderam na vida do dia-a-dia.

 

Um papel importante é o da família. Para ajudar a recordar os pais devem colaborar, interessando-se, falar sobre as lições, exprimir entusiasmo e ajudar nas tarefas de casa quando necessário.

Além disso há a brevidade das sessões de estudo, alternância das matérias e dos ambientes e os testes muito úteis por levar a uma melhor concentração, ajudam a fixar os conceitos, especialmente se aplicados à breve distância de tempo e desde que se tenha aprendido a matéria em questão.

 

Todos amam aprender coisas novas, mas se a explicação é muito complicada ou muito elementar nos farta. É portanto fundamental que os docentes mantenham um nível de dificuldade muito próximo ao da capacidade de aprendizagem individual. Todos os estudantes devem fazer a sua parte. O importante é organizar o estudo, pois ao não conseguir acompanhar, surge a frustração e há tendência ao desinteresse. Por isso o estudante, se for suficientemente crescido, deve planejar os estudos da semana e aprender a geri-los.

 

Se a criança for pequena, é necessário que seja habituada a subdividir o esforço em tempos certos.

 

E isso leva ao conceito mais importante: a escola deve ser vivida por todos: estudantes, pais e professores em modo ativo, pois só assim é mesmo útil.

 

Dicas para Amar os Estudos

 

1 Não estudar quando se está muito cansado ou se não está bem alimentado

 

2 Concentrar-se no essencial, melhor se num lugar tranquilo

 

3 Estudar em modo ativo. Procurar relacionar com outras matérias e com a experiência pessoal

 

4 Tomar notas ou sublinhar e formular perguntas sobre o que foi lido

 

5 Quando nos preparamos a um teste, responder perguntas formuladas por nós

 

6 Repassar periodicamente a matéria: ajuda a fixar as noções

 

7 Não ter medo de  perguntar ao se ter dúvida ou quando não se tenha entendido completamente  a matéria.

 

8 Os pais devem trocar impressões com os professores, que tem a experiência com muitos alunos.

 

 

fonte: Psychologies Magazine Outubro 2010

Depressão de Outono

Luisa Mainardi

pittrice Casa Dogana (Grosseto)

luisamainardi@gmail.com

 

No início do Outono, com os dias mais curtos e escuros e com o aparecimento do mau tempo há uma maior probabilidade para o aparecimento de depressões. Mais pessoas sofrem de mal-estar do humor, apresentando melancolia e uma certa tristeza.
Isso decorre de um processo conhecido por "depressão outonal”, uma depressão sazonal provocada pela menor incidência de luz no inverno, bem como pela mudança de hábitos, com a tendência de ficarmos mais dentro de casa ou em lugares fechados e com menos convívio.
 
Os americanos definem essa síndrome como''seasonal affective disorder (SAD)''.
 
O desânimo e a ansiedade são os sinais mais evidentes, mas os sintomas incluem tristeza, sensação de vazio, insatisfação, fadiga, perturbações do sono e do apetite, isto é, há uma alteração substancial do estado emocional da pessoa.
 
A depressão de Inverno atinge em, pelo menos alguns dos seus aspectos, cerca de 10% da população europeia.
 
Do ponto de vista psicológico a falta de luz e os dias mais curtos remetem para uma postura mais interiorizada, onde a energia é redireccionada para o mundo interno, favorecendo a reflexão e dando espaço para fazer-se um balanço do momento actual e previsões futuras que poderá levar a um sentimento de tristeza e frustração.
 
O facto da depressão invernal ser comum, não significa que deva ser ignorada e nem que nos deixemos dominar pelo mal-estar.
 
Para compensar e afastar a frustração e o pessimismo devemos ter em conta alguns hábitos saudáveis.
 
Dicas para ultrapassar o período outonal:
 
•    Fazer uma alimentação saudável
•    Ter um sono reparador
•    Praticar actividade física moderada
•    Fazer um relaxamento adequado
•    Manter o convívio social
•    Evitar o uso de substâncias como álcool e tabaco
•    Aproveitar a luz do sol e caminhar ao ar livre
•    Amar/Perdoar/Rir/Brincar
 
 
É importante aproveitar o tempo de maior recolhimento para estabelecermos novas metas e novos projectos com uma postura positiva e uma atitude resolutiva.

 

 

Dicas para controlar a ansiedade

 

Dicas para controlar a ansiedade
 
1 Praticar exercícios físicos
2 Reduzir o stress diário
3. Controlar a respiração
4 Evitar pensamentos negativos
5 Ingerir alimentos que contenham triptofano

Dicas para aliviar a dor da traição

 

Gustav Klimt

 

 
Elabore o luto. Não precisa perdoar de imediato. Precisa dar tempo para lidar com a dor.
 
Perdoe por inteiro. Esqueça e não pense mais nisso.
 
Não se culpe. Não se responsabilize pela infidelidade do outro.
 
Não alimente a autocompaixão. Não se coloque na posição de vítima. Invista na na
auto-estima, cuide de si, da relação com os amigos, com o trabalho, com a família.
 
Atenção à repetição. Se repete esse padrão, uma terapia pode ajudar a descobrir os motivos desse comportamento repetitivo.
 
Seja natural. Não force nada. Espere sentir-se pronto a perdoar.

Dicas para Emagrecer

 

1. Comer de três em três horas e parar três horas antes de dormir.
2.Servir as refeições em pratos de sobremesa e comer sopa antes.
3.Vinte minutos antes de jantar, comer 15 gramas de nozes: reduz o apetite.
4.Em caso de ataque de fome, ter sempre à mão: maçãs, amêndoas, nozes, pastilhas sem açúcar, água, vegetais às tiras, iogurte magro ou meio-gordo, queijo fresco.
5.Colocar no lixo todos os alimentos que contenham açúcares, frutose e todos os derivados acabados em ose bem como os terminados em ol, álcoois que se transformarão em açúcares, hidratos de carbono simples, gorduras trans e saturadas, farinhas brancas, enriquecidas ou refinadas.
6 Não comprar nada que contenha mais de 4 g de açúcar ou gordura saturada ou trans por dose.
7 Não comer nada 3 horas antes de dormir.
 
Fonte: "You, A Sua Dieta", escrito pelos médicos americanos Mehmet Oz, cardiologista e Michael Roizen, especialista em medicina interna.

 

7 Dicas Para a Auto Realização

 

 

 

 

1 Assumir a responsabilidade pessoal de cada atitude tomada
2  Acreditar em algo grandioso
3 Praticar a tolerância
4 Ser corajoso ( é enfrentar a situação quando estamos com medo)
5 Amar alguém
6 Ser ambicioso
7 Sorrir (pessoas bem humoradas são sempre mais simpáticas!)

 

 

Dicas Saudáveis para comemorar o Ano Novo

 Dicas para comemorar o Ano Novo com saúde psicológica:

 

- Aceite o balanço 2007
- Depressão e a ansiedade dificultam o desejo
- Aprenda a controlar a ansiedade.
- Faça um relaxamento e um exercício de meditação
- Estipule metas realistas para 2008 
- Sinta sempre esperança
- Confie em si
- Busque a força e a energia dentro de si.
- Liberte a sua energia
- Deixe fluir a sua força interior.
- Planeje com naturalidade e não deseje sucesso total
- Programe um espaço para ajudar o próximo
- Transforme seu sonho em meta
- Torne a meta realidade
- Aposte na vida
 
- Lembre-se que a Felicidade está em si  
 
Um FELIZ 2008!
Mariagrazia
 

O que é Felicidade?

 

Felicidade
 

Enigma que desde sempre inquieta a humanidade.

 

Segundo Daniel Gilbert, professor de psicologia da Universidade de Harvard, nos Estados Unidos, que estuda a felicidade há mais de duas décadas, conceitua a sensação de bem-estar: “É difícil dizer o que é, mas sei quando eu a vejo. É simplesmente se sentir bem”. Em suas pesquisas e livros sobre o tema, Gilbert mostra o que teimamos em não perceber no dia-a-dia: a felicidade não é uma sensação eterna, é um estado de êxtase, daqueles que se atingem nos momentos de extremo prazer.

Estar feliz ou triste é um ir e vir. Apesar de difíceis, os processos de infelicidade também funcionam como um momento para amadurecer, pensar e repensar as atitudes, os projectos.

 

Não há respostas concretas mas há pistas do que leva até ela. O filósofo grego Aristóteles afirmava, há mais de 2 mil anos, que a felicidade se atinge pelo exercício da virtude e não da posse.

 

Segundo o psicólogo israelita Daniel Kahneman, da Universidade Princeton, nos Estados Unidos, passamos a julgar nossa felicidade não pela situação actual, mas pela perspectiva de melhorar de vida no futuro. A conclusão de Kahneman faz parte de um estudo feito nos últimos anos sobre o modo de viver dos americanos. Há meio século, o sonho de uma família de classe média era ter a casa própria, um carro na garagem e pelo menos um filho na universidade. Os dados mostram que o sonho americano se transformou em realidade. E, apesar de alcançar seus objectivos, esse povo não se considera satisfeito ou feliz.

 

A felicidade não é permanente porque não dá para estar bem o tempo todo. Mas também não precisa ser uma eterna projecção.

 

Dicas para felicidade

 

• Aprenda a viver aqui e agora.

• Valorize o aspecto positivo.

 Redescubra a sua própria inocência.

 Conceda-se pequenos prazeres.

 Deixe agir o seu instinto.

 Fotografe seus momentos felizes.

Respire profundamente, faça exercícios e cuide da saúde

 Use a criatividade

Deixe fluir a sua energia interior.

Ouse

 

 

A alegria de viver

 

É compreender que dentro de nós próprios, no profundo há uma inteligência enorme, simples, natural que sabe sempre o que fazer e onde nos levar. Trata-se de não bloqueá-la, mas sim deixá-la fluir, para que nos indique o caminho.

 

Ao ouvirmos e acolhermos tudo o que surge em nós: tristeza, alegria, coisas boas ou más, bonitas ou feias, sem preconceitos, sem bloqueios e sem nos opormos, descobriremos o contacto com o nosso espaço interior e com a nossa essência.
 
Observar os incómodos e as inquietudes que invadem o nosso espaço interior e acolher tudo o que é nosso, o que gostamos e o que não gostamos é a via mestra para estarmos bem com nós próprios.
 

 

Nos aceitarmos e deixarmos a nossa essência nos guiar, a desabrochar e a realizar o nosso caminho sem esforços e sem guerras interiores pela vida.

 

 
"Felicidade não é o que acontece na nossa vida, mas como nós elaboramos esses acontecimentos. A diferença entre o sábio e o ignorante é que o primeiro sabe aproveitar suas dificuldades para evoluir, enquanto o segundo se sente vítima de seus problemas"
(Roberto Shinyashiki)
 
A felicidade é como a pluma
Que o vento vai levando pelo ar
Voa tão leve
Mas tem a vida breve
Precisa que haja vento sem parar
(A Felicidade – Tom Jobim)
 

"A felicidade não é algo que sucede, nem parece depender dos acontecimentos externos, mas mais de como os interpretamos (...) as pessoas que sabem controlar a sua experiência interna são capazes de determinar a qualidade das suas vidas."

(Mihaly Csikszentmihaly)

 

"A porta da felicidade abre só para o exterior; quem a força em sentido contrário acaba por fechá-la ainda mais."

(Soren Kierkegaard)

 

"Ah, nossa felicidade depende de coisas tão pequenas!

(Oscar Wilde em "O rouxinol e a rosa")

 

 

 

Entrevista de Daniel Gilbert  Oxford Julho 2005 

 

 

  

 

Dicas para pais de adolescentes

 

1 É importante educar- Muitos pais acreditam erroneamente que quando os filhos são adolescentes, não há mais nada a fazer por eles. Errado. Estudos mostram claramente que a boa educação familiar continua a ajudar os adolescentes a se desenvolverem de uma maneira saudável, evitar problemas e ter um bom desempenho escolar.

2.Ser muito amoroso.- Não evite a expressão do afecto físico. Não há evidências que os adolescentes não gostem de receber afecto desde que não os embarace na frente dos amigos.

3 – Manter-se envolvido – Muitos pais que estão afectivamente envolvidos com os seus filhos durante os primeiros anos os abandonam quando se tornam adolescentes. Isso é um erro. É muito importante para os pais estarem envolvidos agora, inclusive até mais. Participar em programas escolares. Conhecer os amigos dos filhos. Passar tempo juntos.

4 – Adaptar a educação – Muitas estratégias educativas que funcionavam para uma idade deixam de funcionar numa etapa sucessiva do desenvolvimento. Com o crescimento, por exemplo, a capacidade dos filhos raciocinarem evolui muito e eles desafiam os pais se o que eles dizem não tem sentido.

5 – Colocar limites – O mais importante que os filhos necessitam dos pais é o amor e em seguida é a estrutura. Mesmo os adolescentes necessitam de regras e limites. Seja firme mas justo. Diminua suas regras pouco a pouco conforme seus filhos demonstrem mais maturidade. Se eles não conseguem gerir sua liberdade puxe as rédeas e tente novamente soltar em alguns meses.

6 –Dar independência- - Muitos pais comparam o impulso de independência dos filhos com rebeldia, desobediência ou falta de respeito. É saudável que os filhos evoluam para a autonomia. Dê a seus filhos espaço psicológico para serem auto-suficientes e resistam a tentação de gerir a vida deles.

7 – Explicar as decisões – Bons pais tem expectativas, mas para aos adolescentes estarem bem com as regras e decisões dos pais, estas devem ser claras e apropriadas. Conforme seus filhos se tornem mais aptos a raciocinar não podem mais para dizer “ por que eu digo isso».