Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Consultório de Psicologia

Espaço de transformação com a finalidade de orientar, ajudar, esclarecer dúvidas e inquietações. Encontre equilíbrio, use sua criatividade e deixe fluir sua energia. Mariagrazia Marini Luwisch

Consultório de Psicologia

Espaço de transformação com a finalidade de orientar, ajudar, esclarecer dúvidas e inquietações. Encontre equilíbrio, use sua criatividade e deixe fluir sua energia. Mariagrazia Marini Luwisch

Ouvir coisas

7.jpg

Olá Dra. Boa noite. Tenho uma pergunta tenho 46 anos e desde a minha adolescência escuto a mesma frase!

"Tá com saudades de mim?" A frase por si só não me é estranha, porém não existe estado emocional nem lugar pra ouvir, a não ser pelo fato de que eu sempre estou só, sem amigos ou familiares junto comigo.

As vezes eu nem ligo outras me encabula, porque de eu ouvir sempre está pessoa me perguntando isso?

 

Um novo estudo publicado recentemente no “The Lancet Psychology”, resultado de uma pesquisa online e análise em profundidade de 153 pessoas que ouviam vozes, diz que há uma enorme variação de formas entre as pessoas que “ouvem coisas”.

 

Muitas vezes, elas são vozes internas e não dizem nada em voz alta

 

É quase como se as pessoas estivessem exagerando na dose daqueles diálogos internos que temos em nossas cabeças todos os dias.

 

Na verdade, a pesquisadora Angela Woods, da Universidade Durham, que liderou o estudo, observou que 15% das pessoas que relatam ouvir vozes não foram diagnosticadas com qualquer distúrbio psicológico. As pessoas que ouvem vozes dizem que elas podem ser assustadoras, mas também podem ser amigáveis.

 

No seu caso é "ouvir coisas" de uma voz amigável, embora a alerte para o fato de “sentir solidão” e talvez de uma necessidade interior de sentir-se mais acompanhada.

 

Uma psicoterapia poderá ajudá-la a entender essas vozes como parte de si e a revelar suas preocupações subconscientes.

Vozes no pensamento

estatuas.jpg

Eu sou M. Eu escuto vozes no meu pensamento de pessoas conhecidas. Eu faço tratamento psiquiátrico há 3 anos. Eu tenho 31 anos. Esse problema surgiu quando eu perdi a minha mãe e tive muito stress no trabalho. Essas vozes ficam o tempo todo conversando comigo parecem até espíritos. Eu tenho cuidado do meu psicológico e do meu lado espiritual também. Essas alucinações têm-me perturbado muito. As vozes são de pessoas boas e conhecidas. Eu vi na novela um personagem que teve esta doença que mostrava vozes agressivas e más. Ele fez tratamento psicológico também.

Qual é o seu diagnóstico?

 

Cara M,

O que ouve são alucinações auditivas, que são uma característica comum de muitos transtornos psiquiátricos, como psicose, esquizofrenia e transtorno bipolar. Mas, também são experimentadas por pessoas sem condições psiquiátricas. A terapia vai ajudar a que possa entender as vozes como parte de si a revelar preocupações inconscientes.

O fato de ter perdido a sua mãe pode ter interferido no sentido de tentar mantê-la presente na sua mente com a recordação de frases que se presentificam como vozes.

O importante é como interpreta essas vozes. A melhor maneira é ter consciência que essas vozes são parte de seus pensamentos e é como se pensasse alto e falasse consigo mesma.

 

Segundo Pichon, a personalidade se constrói numa relação bi-pessoal entre o eu e o outro que existe dentro de mim. Esse outro eu é uma imagem com a qual discuto enquanto penso, é como se eu falasse comigo mesmo. Pichon busca o fundamento teórico nos conceitos de id, ego e superego de Freud, onde o ego (indivíduo) se localiza entre os anseios e desejos do Id (volição interna) e as regras e repressões do superego (valores absorvidos).

 

O pensamento é uma atividade lingüística, uma vez que pensamos em palavras, queremos compreentender os sentimentos e transformá-los em palavras que provoquem o entendimento do que estamos sentindo.

Um abraço.

 

Esquizofrenia e cannabis

colorido.jpg

 

Olá Dra, 2 meses atrás eu fui em uma festa e usei cannabis. (Foi a 3ª vez na minha inteira vida) Fiquei mal a noite toda, depois fui pra casa onde dormi e quando acordei já estava melhor. Estudei para a prova que eu teria no dia seguinte, fiz tudo normalmente. Quando foi na hora de dormir eu senti minhas pernas a terem calafrios, minhas mãos suavam, meu coração disparava, eu fiquei muito confuso, desnorteado, etc. Dai fui ver que poderia ser ansiedade. Mas sentia as coisas como se elas não fossem reais e vi que poderia ser despersonalização e desrealização. Mas depois eu vi que uso de cannabis poderia causar esquizofrenia e a despersonalização era um sintoma.

Então meu quadro de ansiedade foi aumentando cada vez mais. E comecei a achar que eu poderia ter câncer, e logo depois achei que tinha problema de personalidade (algum distúrbio) A seguir eu voltei a achar que tenho esquizofrenia. Agora meu ouvido fica muito sensível a qualquer barulho e estou sempre perguntando se alguém também ouviu o que eu ouvi, com medo de estar tendo alguma alucinação auditiva. Só que eu nunca tive uma, ou ouvi vozes, ou vi coisas, etc.. nunca tive nenhuma alucinação. Só que eu li que esquizofrénico cria paranóias de conversar com a TV ou rádio e agora quando assisto TV começo a ficar ansioso, vi também que esquizofrénico não olha nos olhos porque se sente incomodado e agora quando eu olho paro o olho de alguém eu fico ansioso também, mas sei que está tudo bem e que ninguém me vai prejudicar. Vi que esquizofrénico ouve vozes que dão ordem a ele, e aí vem uns pensamentos do tipo que eu fico com medo de olhar pra uma faca ou tesoura.

 

Cheguei até guardar uma tesoura numa caixa e esconder com medo de ouvir alguma voz. Será que eu estou ficando louco? Sinto que a despersonalização fica mais forte cada vez que eu tenho crise de ansiedade ou lembro de todas essas coisas. Mas eu acordo ansioso e durmo ansioso. Por favor me ajuda!!

 

Caro leitor,

Como não é usuário frequente de cannabis todas essas sensações estão, provavelmente, relacionadas com um excesso de ansiedade. O uso de cannabis pode dar sintomas psicóticos, que podem durar, por vezes, algum tempo, mas não provoca esquizofrenia. O que acontece é que se a pessoa tiver predisposição para esquizofrenia o consumo de cannabis poderá precipitar a doença. Portanto o consumo regular de cannabis pode induzir sintomas psicóticos principalmente entre pessoas predispostas ao surgimento de quadros esquizofreniformes.

No seu caso é a sua ansiedade que alimenta esses sintomas. No entanto apenas uma avaliação clínica especializada poderá avaliar um diagnóstico preciso.

Ouvir vozes

 

chagall26.jpg

 

Doutora, aqui quem escreve é V, eu tenho síndrome do pânico faz 2 anos, e antes eu tinha muito medo de enfartar mas já me tratei disso e hoje consigo me controlar, porém recentemente de uns meses pra cá, ao dormir, não é toda noite, em algumas ao deitar e fechar os olhos eu ouço vozes conversando aleatoriamente ou barulhos e as vezes chega a incomodar o sono, dai se eu abrir os olhos esses sons param na hora, porém eu fui ler sobre isso na internet e vi que são sintomas da esquizofrenia essas vozes, e agora eu estou com isso na cabeça, porque minha avó materna tinha essa doença, e agora estou com o medo de ter essa doença misturado com o pânico, e no momento estou sem condições financeiras para ir a um médico especialista, gostaria da sua ajuda, o que são essas vozes?

Devo preocupar-me?

 

Caro V.,

Ouvir vozes ou barulhos podem ser produto da sua imaginação. Essas vozes podem ser entendidas quase como um exagero na dose daqueles diálogos internos que temos em nossas mentes todos os dias, enquanto debatemos com nós mesmos o que fazer. 15% das pessoas que relatam ouvir vozes não foram diagnosticadas com qualquer distúrbio psicológico.

É preciso entender as vozes como parte de si, que revelam suas preocupações subconscientes.

De qualquer maneira para gerir melhor esses seus problemas é preciso fazer uma terapia com um especialista .

Abraço.

 

 

Vazio, medo e ansiedade

niki9.jpg

Oi doutora tudo bem, gostaria muito de um conselho da senhora para me dizer o que eu faço da minha vida.

Me chamo J. tenho 23 anos e de uma tempos pra cá passei a sofrer com ansiedade que eu ía levando. Só que agora ultimamente do nada comecei a ter medo de ter esquizofrenia, mas um medo intenso mesmo, sabe de me dar dor de barriga, enjoo, falta de apetite suor e etc. Daí comecei a ver os sintomas da esquizofrenia na internet e dai que me deu mais medo ainda e fico imaginando que estou com os sintomas.

Não escuto vozes as únicas vozes que escuto são meus pensamentos dentro da minha cabeça me dizendo que estou louca. E depois que passei a ver os sintomas na internet passei a acreditar que tudo que eu li esta acontecendo comigo. Vivo com crises de choro, medo de ficar louca e ando com insónia e nem consigo mais dormir. Sinto um desespero junto com um vazio muito grande dentro de mim. Nada enche esse vazio mesmo quando saio pra distrair a minha mente, esse vazio está dentro de mim.

Doutora o que eu faço será que estou ficando louca?

 

Cara J.,

Todos nós temos alguns sintomas de perturbações mentais, mas para termos uma patologia, depende da quantidade. No seu caso, parece seja somente uma questão de ansiedade e medo de estar doente. Tem bem a consciência que os “pensamentos estão dentro a sua cabeça” e, atenção, que se for muito impressionável quanto mais pesquisa para ver sintomas, mais vai se identificar com alguns deles. Ao pesquisarmos é preciso agir com discernimento e sensatez, do contrário podemos por em evidência a “loucura”.

 

O vazio existencial está presente na vida de todo ser humano, em maior ou menor grau. É sentido e vivenciado em inúmeras circunstâncias da existência humana. Emerge diante de situações peculiares e às vezes stressantes na vida da pessoa.

O vazio que sente dentro de si, pode estar relacionado com o seu momento de vida e quem sabe se a partir daí vai se revelar uma “oportunidade” e procurar desenvolver e aprofundar todos os seus recursos e capacidades no caminho da autorrealização e a responsabilidade pela própria vida.

 

Feliz 2016!

Ouvir vozes

portinari11.jpg

 

Olá, Dra.

 

Como vai? Sou Maísa, tenho 20 anos. Gostaria de conversar sobre algo que vem acontecendo comigo. Desde pequena, antes de dormir, eu escuto vozes na minha cabeça, às vezes são de pessoas conhecidas, outras eu não sei de quem são. Isso nunca me incomodou muito pois acontecia sempre antes de dormir, ou quando estou com muito sono, com a cabeça cansada. Quando durmo pouco, também, minha cabeça fica super confusa, estranha, como se meus pensamentos gritassem. Essas vozes conversam entre si ou simplesmente falam coisas aleatórias, não me lembro o que falam, são coisas que não fazem muito sentido, como que um "pré-sonho". Não confundo com vozes reais, sei que são da minha cabeça... 

 

Mas de um tempo pra cá, desenvolvi ansiedade em excesso, quadros de síndrome do pânico, porém com acompanhamento psicológico melhorei bastante. Nunca conversei com a minha psicóloga sobre ouvir essas vozes, pois como disse, elas não chegavam a me incomodar. O problema é que com a ansiedade, tudo me preocupa demais e sempre coloco na minha cabeça que estou com alguma doença, seja risco de enfartar até outras coisas e agora tenho medo de Esquizofrenia. Assim, não sai da minha cabeça que essas vozes são um dos sintomas, que eu estou ficando louca e parece que por pensar assim, sempre que vou dormir eu presto mais atenção nelas e elas ficam mais evidentes. Depois eu passo o dia inteiro pensando nisso, se estou doente... Essas vozes podem ser um sintoma? Durante o dia não ouço nada, mas sinto alguns desconfortos, como já te disse, barulhos altos me incomodam, parece que ficam ecoando na minha cabeça, além de outras sensações ruins que imaginam ser por ansiedade.

O pior de tudo é que minha família está passando por uma crise financeira e eu não tenho mais condições de pagar um tratamento com psicólogo. Tento me convencer de não é nada demais, mas creio que a ansiedade não me deixa desligar. Por favor, me ajude. Aguardo resposta,

MM

 

Cara MM,

 

Não está a ficar louca, mas é melhor tratar esses sintomas para que não se agudizem. Pode procurar um médico psiquiatra para ver se é o caso de tomar algum medicamento que alivie a sua ansiedade.

Muitas vezes essas vozes são simplesmente parte de si que revelam suas preocupações subconscientes.

O importante é como interpreta estas vozes. Se acredita que todas as outras pessoas são agressivas, pode vir a interpretar as vozes como hostis, poderosas ou danosas. Por outro lado, se tem experiências de vida mais positivas e uma imagem mais positiva de si mesma e de outros pode desenvolver uma visão mais positiva das vozes. Segundo estudos, as pessoas que ouvem vozes geralmente tiveram uma infância traumática.

 

A melhor maneira é ter consciência que essas vozes são parte de seus pensamentos, é como pensar alto.

 

Um abraço

Esquizofrenia

picasso46.jpg

 

 

 

Olá, Dra.

Meu nome é P. e tenho 20 anos. Gostaria, se possível, de sua ajuda, porque tenho medo de falar com meus pais e causa-los apreensão.

 

Bom, eu tenho MUITA coisa pra falar e não sei nem por onde começar, mas tentarei.

 

Eu sempre fui uma criança saudável, nunca reclamei da minha saúde nem tinha preocupação com ela quando criança, sempre brinquei, me diverti bastante e tudo mais. Nunca demonstrei nenhum sinal de loucura quando pequeno, não ouvia/ouço vozes, não via/vejo coisas e nem tinha mania de perseguição. O tempo foi passando, amadureci e no momento sou estudante de medicina. Reconheço que no momento sou um pouco hipocondríaco, qualquer coisa já penso que é algo sério. Dor no tórax?

Enfarto ou embolia pulmonar. Dor no estômago? Possivelmente úlcera. Câncer? Penso que talvez tenha e não sei. Bem, até o momento isso não me incomodava, tinha esses pensamentos mas depois esquecia e melhorava. O que vem agora é o que mais me perturba e inclusive tenho até um pouco de vergonha em falar isso do tanto que é absurdo e estranho, chega até a ser engraçado, creio eu. Quase que junto com a minha hipocondria, eu desenvolvi uma espécie de conflito com a minha cabeça. Por exemplo, um dia eu pensei sobre a minha respiração e até hoje às vezes tenho de respirar no manual.

Outro dia eu pensei como seria uma pessoa que não saberia engolir, e adivinhe: desenvolvi uma espécie de dificuldade pra engolir, mas que agora já não tenho mais isso, passou. Ou seja, sempre que penso sobre alguma coisa, parece que minha mente faz com que ocorra em mim e tento lutar contra isso e isso é bem desagradável. Isso foi evoluindo e chega até hoje, que é onde eu quero chegar com este e-mail.

Depois que eu comecei a cursar medicina, minha hipocondria de certa forma tinha piorado, tudo era preocupação com meu coração, estava neurótico, mas não a ponto de me inutilizar ou me impedir de fazer minhas tarefas, neurótico que falo no sentido de todos os dias pensar nisso e inclusive pesquisar na Internet. Até que um dia, tive uma vertigem bem rápida, mas que pra mim ela não tinha passado e fiquei pensando nela, olhava para os lados ou movimentava minha cabeça para de certa forma verificar se a tontura realmente tinha passado, só que isso evoluiu para uma preocupação constante, do tipo preocupação mesmo, como o que uma pessoa sente antes de fazer uma prova de vestibular, por exemplo, aquele frio na barriga, enjoo, não sentir fome, essas coisas. Foi uma crise tão forte que achei que estava enlouquecendo ou que estava em depressão, já que até um pouco mal-humorado eu estava. Pesquisei um pouco na Internet, eu vi que isso poderia ser ansiedade, então de certa forma fui me acalmando e depois de uns 4 dias já estava bem melhor em comparação a antes. Só que aí, peguei uma virose grande, que me fez ficar preocupado novamente, só que dessa vez, eu comecei a me sentir mais estranho, como se o mundo em que eu vivesse estivesse estranho, não sei explicar bem, mas era como se eu fosse um personagem de um jogo, por exemplo. Fui pesquisar outra vez na Internet e vi que isso TALVEZ fosse despersonalização, coisa que segundo a Internet acontece com quem tem crise de ansiedade ou síndrome do pânico, então eu pensei que realmente era ansiedade, mesmo. Parece que tudo está resolvido, não é?

Mas não. Um dia, navegando pela Internet, fui ler novamente sobre despersonalização e acabei por ver que isso também poderia ser sinal de esquizofrenia. Pode adivinhar o que aconteceu? Comecei a pensar: "será que estou com esquizofrenia?" PRONTO. Isso me bastou para que eu ficasse preocupado outra vez, e desde então (faz uns 3 dias) penso que qualquer coisa que acontece comigo é um sinal de esquizofrenia. Estou de certa forma, vigilante. Fico constantemente olhando para os lados na angústia de ver coisas, fico olhando para ver se já estou tendo alucinação visual, qualquer som que escuto fico na apreensão de ver o que é para saber se já estou ouvindo coisas que não existem. Estou tão preocupado, que quando passo rápido por alguma coisa, como um reflexo, por exemplo, já acho que estou vendo coisas.

 

Vê como sou perturbado? Estou ficando louco de vez, não é? Tenho medo de perder o controle e ficar insano de vez. Novamente, fiz buscas na Internet e alguns sintomas da esquizofrenia parece-me que são comuns. Não sei se a senhora Dra. acredita em Deus, mas eu sempre acreditei mas não era do tipo fiel, as vezes parecia até que estava virando ateu por não dar muita importância. Mas depois da minha primeira crise de ansiedade (aquela antes de que eu achasse que era esquizofrenia) eu fiquei muito mais próximo de Deus e da religião, para pedir ajuda a superar essa situação. Esses são sintomas iniciais da esquizofrenia, não é? Se preocupar com religião e ter crise ansiosa.

 

O que me deixa mais angustiado, é que transtornos mentais acompanham minha família, como Alzheimer e a esquizofrenia, mas ninguém nunca foi para um hospício, cada um vive sua vida mas sabemos que cada um tem alguma característica que não achamos normal.

 

Dra., eu não sei mais o que fazer, estou louco de vez? Estou esquizofrénico de vez? Tenho medo de não ser mais como era antes, tenho meso de mudar totalmente para uma pessoa louca. Me perdoe pelo tamanho do texto, mas pelo menos achei uma forma de desabafar com alguém.

 

Obrigado, de coração.

 

PS: Não estou vendo coisas ou ouvindo vozes, mas fica naquela apreensão de a qualquer momento começar a ter essas coisas.

 

Caro P.,

Não está ficando louco e nem esquizofrénico. Provavelmente sofre de ansiedade e está a passar crises hipocondríacas e tudo que lê ou estuda ou vê ou ouve é motivo para sentir em si. Hipocondria e ansiedade andam de mãos dadas. O hipocondríaco sofre com ansiedade e assim tende a aumentar cada sensação corporal normal a ponto de considerar que algo não vai bem.

 

A patologia mental depende da quantidade. Todos nós temos alguns traços das diferentes patologias e nem por isso somos loucos. A doença está em relação com a quantidade. O doente é aquele que tem traços patológicos em excesso que o prejudicam e o impedem de viver uma vida normal.

 

O melhor será se puder ter um acompanhamento psicológico para se compreender melhor e para mudar certas crenças infundadas que prejudicam a sua vida. O que precisa é alguém para falar seus problemas e alguém que o ajude a esclarecer, confirmar ou retificar, clarificar, interpretar, bem como o ajude a identificar recursos pessoais e sociais sobre os quais se possa apoiar para resolver o seu problema.

Confie em si, na sua força e motivação interior para mudança e tratamento.

Um abraço