Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Consultório de Psicologia

Espaço de transformação com a finalidade de orientar, ajudar, esclarecer dúvidas e inquietações. Encontre equilíbrio, use sua criatividade e deixe fluir sua energia. Mariagrazia Marini Luwisch

Consultório de Psicologia

Espaço de transformação com a finalidade de orientar, ajudar, esclarecer dúvidas e inquietações. Encontre equilíbrio, use sua criatividade e deixe fluir sua energia. Mariagrazia Marini Luwisch

Filho inquieto

29.jpg

Olá boa tarde,

Não sei se costuma responder aos emails mas estou com um problema e não sei se me pode dar uma ajuda ou umas ideias o meu filho tem 12 anos desde muito pequenino que tem muita vida e é muito desinquieto desde que entrou pequenito na infantil as educadoras sempre se queixaram que era uma criança bastante desinquieta e que acabava sempre por ter as atenções todas viradas para ele coisa que ainda hoje adora ter atenções todas viradas para ele.

 

Na primaria as professoras queixavam-se que era desinquieto e que destabilizava muito as aulas ele é bastante inteligente tem muito boas notas mas não é porque estude porque ele não gosta nem porque esteja quieto nas aulas ele capta o que os professores falam e porque é mesmo essa a questão nas aulas não esta nunca quieto nem calado perturba as aulas o tempo todo e mandam-lhe sempre sair para o GAA ( gabinete de apoio ao aluno) nos pais colocamos ele de castigo tiramos o telemóvel a televisão computador etc. e falamos bastante com ele.

 

Ele está no 7 ano diz-nos sempre a mesmo coisa que não volta a fazer mas todos os anos é sempre a mesma coisa e este ano sem exceção já começou o diretor de turma a ligar-me quase todos os dias que portou-se mal que respondeu mal a professora enfim já não sei que mais castigos lhe dar que fazer estou cansada desta situação toda que já se arrasta há anos.

 

Se existe alguma coisa natural que ele possa tomar pra acalmar, gostaria que me pudesse ajudar.

 

Cara mãe,

Essa inquietação excessiva pode estar relacionada com um transtorno de déficit de atenção com hiperatividade.

 

Para ajudar o seu filho a estar menos inquieto, poderá dar-lhe café com leite ao pequeno-almoço. Segundo estudos a administração de cafeína em doses adequadas controla o défice de atenção e hiperatividade, sem causar efeitos secundários.

 

Também uma atividade física é importante para gastar as energias e acalmar. Incentive seu filho a fazer atividades ao ar livre (andar de bicicleta, dar um passeio pelo parque). São algumas estratégias que podem fazer a diferença na gestão das suas emoções.

Castigo não resolve, converse com seu filho para que se comprometa a ser responsável e atento, colaborando sempre com os pais e professores.

 

Aqui algumas dicas os pais :

 

Promova atenção positiva –

Elogios: use e abuse

Valorize o processo e não tanto o produto/resultado

Forneça recompensas

Aplique consequências e recompensas imediatas, aos bons comportamentos.

Antecipe situações públicas/ou desobediências ocasionais

Encoraje o seu filho a desenvolver pensamentos positivos: “Vou ser capaz”; “Eu consigo”; “Vou acalmar-me”; “Vai correr tudo bem

Aliviem a pressão e recarreguem baterias

 

Se essa situação perdurar está indicada uma psicoterapia. Na adolescência, onde surgem diversos conflitos, a psicoterapia pode ser de grande ajuda para o hiperativo lidar melhor com suas dificuldades e com a vida.

Filho hiperativo

 


 

 

É um prazer compartilhar com você essa minha inquietação. Tenho dois filhos: uma adolescente 17 e outro menino de 7anos, eles sempre viveram em conflitos. Há alguns meses descobri através de uma avaliação psiquiátrica que ele tem hiperatividade, inquietação, manifestada por agitação de mãos ou pés e não conseguir permanecer parado na cadeira. Ele é uma criança que quase sempre sai de seu lugar em momentos não apropriados, corre em demasia, têm dificuldade de permanecer em silêncio, estando frequentemente "a mil".

 

Outra coisa é a impulsividade, que aparece em respostas precipitadas mesmo antes de as perguntas terem sido completadas. Têm dificuldade de aguardar sua vez, interrompendo ou intrometendo-se em assuntos alheios. Tudo isso causa maiores prejuízos ao desenvolvimento interpessoal e na escola faz o uso de medicação.

 

O que pode ser feito em relação a lidar com ele no dia-dia. bjs!!!!!