Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Consultório de Psicologia

Espaço de transformação com a finalidade de orientar, ajudar, esclarecer dúvidas e inquietações. Encontre equilíbrio, use sua criatividade e deixe fluir sua energia. Mariagrazia Marini Luwisch

Consultório de Psicologia

Espaço de transformação com a finalidade de orientar, ajudar, esclarecer dúvidas e inquietações. Encontre equilíbrio, use sua criatividade e deixe fluir sua energia. Mariagrazia Marini Luwisch

Cansada de viver

30.jpg

Tenho 19 anos e não tenho apoio dos meus pais. Minha mãe tem problemas com bebida e está doente no momento, descobrimos que esta com DPOC (Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica) por conta do cigarro.

Meus pais são separados, não tenho contato com meu pai porque ele me expulsou da casa dele esse ano ainda, sem motivo algum.

Minha mãe não liga para o lado afetivo e já tentei abrir-me e conversar, mas ela nunca me escuta.

Meus amigos mais próximos mal mandam mensagem. Eu e meu namorado acabamos de terminar. Já tive anemia e tenho depressão. Já senti vontade de cometer suicídio diversas vezes.

Não uso nenhum tipo de droga, nem bebo. Terminei meu ensino médio o ano passado e estou cansada de procurar emprego e fazer entrevistas e nunca me chamarem.

Estou cansada de depender dos outros e eu me sinto incomodada demais em ver que até para comer preciso das pessoas porque eu não tenho nada. Eu estou literalmente esgotada e cansada de tudo e agora mais que tudo quero sumir.

 

Cara Leitora,

Precisa ter forças e lutar para conseguir um emprego. Nada é fácil, mas se manter a motivação e força de vontade vai conseguir.

Pense na vida e na sua saúde psicológica.

Aqui algumas dicas de auto-cuidado:

  • Se está tendo pensamentos de suicídio: conte para alguém. Converse com um membro da família, amigo ou professor de confiança. Se para si for difícil falar com alguém diretamente, escreva seus pensamentos e deixe alguém lê-los.
  • Ligue para o telefone de prevenção de suicídios ou de crises. Faça acompanhamento do problema com uma visita ao seu médico ou a um centro de saúde local.
  • Procure um terapeuta, psicólogo ou psiquiatra.

 

Aposte na vida e nunca desista de seguir seus sonhos!

Um abraço

Principio de Paranóia

 

Claude Monet

Olá Mariagrazia
Encontrei seu blog por acaso, em pesquisas que faço periodicamente sobre comportamento humano. Li muitas postagens suas no seu blog e tive a ideia de pedir a sua opinião em um caso que me preocupa a muito tempo.
Tenho um amigo, que parece sofrer de um principio de paranóia. Ele é um rapaz de grandes talentos culturais, escreve livros e poesias. Apesar de ser muito bom no que faz, não recebe retorno financeiro, talvez isso gere algum tipo de frustração. Nos últimos tempos ele tem agido de maneira paranóica: se as pessoas rirem no autocarro, ele olha a pensar que estão a rir dele. Muitas vezes ele grita com pessoas que nem conhece, pois passam rindo perto dele. Isso chegou à um ponto em que gera constrangimento sair em publico com ele. Essa paranóia é presente até quando ele esta em casa, junto sua família.
Como é possível lidar com essa situação e mostrar para ele que está paranóico, sem que eu faça parte da imaginaria conspiração que acredita estar contra ele?
Sinta-se livre para postar esse tema, mas peço o anonimato.
Obrigado. Parabéns

 

Envolvimento e mentira

Boa tarde!
 
 Tenho 26 anos, em Março do ano passado envolvi-me com um rapaz, comecei por sair com ele, apresentei-o a amigos e por fim à minha família. Ele passou a frequentar a minha casa diariamente, a passava praticamente os fins-de-semana todos comigo, embora nunca me tivesse apresentado ninguém da parte dele coisa que eu achava estranho.
Em Junho descobri o que achava ser impossível, ele era casado, o nome primeiro nome dele não era o verdadeiro nome e não morava onde dizia. Acabei por investigar a vida dele até que descobri que tudo o que eu tinha vivido com ele até ali era uma mentira, os pais não eram médicos como ele dizia, ele não tinha o emprego que dizia ter, nada era verdade... 
Não compreendi porque me mentiu e ainda hoje não compreendo pois para mim até seria mais fácil ele ser de uma família humilde do que uma família de ricos onde nunca me iria sentir bem.
Quando o confrontei com tudo, ele disse que começou por uma brincadeira mas que com o tempo se foi envolvendo e não tinha como acabar com as mentiras pois tinha medo de me perder, e que já não tinha nada com a mulher que viviam apenas na mesma casa.
 
Diz ter dois filhos coisa que não sei se é verdade, pois chegou-me a jurar mentiras pelos ditos filhos.
 
Pediu-me tempo para resolver a vida dele, e eu aceitei tudo, mas até hoje ele nunca me contou o que se passa umas alturas diz que quer ficar comigo, outras diz que vai voltar para a mulher, depois diz que nunca me disse isso e que se disse foi para me provocar. Tem alturas que me fala bem tem outras alturas que praticamente não me fala. Sei que trocou de casa mas porque descobri não porque ele me tenha contado, agora diz ter hepatite crónica e andar a fazer exames no hospital.
 
Sinto-me confusa sem saber o que pensar por isso resolvi escrever, quem sabe possa ter uma resposta para mim alguma ideia pois sinto-me mesmo perdida.