Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Consultório de Psicologia

Espaço de transformação com a finalidade de orientar, ajudar, esclarecer dúvidas e inquietações. Encontre equilíbrio, use sua criatividade e deixe fluir sua energia. Mariagrazia Marini Luwisch

Consultório de Psicologia

Espaço de transformação com a finalidade de orientar, ajudar, esclarecer dúvidas e inquietações. Encontre equilíbrio, use sua criatividade e deixe fluir sua energia. Mariagrazia Marini Luwisch

Trauma de infância

 

IMG_2536.JPG

Olá, boa noite. 

Gostaria muito de conseguir uma informação sobre meu caso.

Quando eu tinha acabado de completar 12 anos fui passar minhas férias em outra cidade na casa dos meus tios como de costume. Um dos meus primos tem a mesma idade que a minha, sempre fomos grudados melhores amigos. Quando nessa idade eu fui pra lá ele já tinha uma vida sexual ativa, acho isso negligência dos pais. E eu nem sabia direito o que era, ainda pensava que a mulher ficava grávida se os dois ficassem juntos sem roupa e só. Nessas férias aquela amizade se tornou algo a mais pra mim, comecei a sentir amor de criança por ele.

 

Nisso ele ficou trabalhando minha mente que queria ensinar-me o que aprendeu e eu como uma criança que sempre só obedeceu, obedeci mais uma vez... Ai ele colocou seu pénis dentro de mim e eu sem entender nada, ele ficava mexendo e eu senti arder. Pra mim aquilo que ele estava me ensinando não era legal nem divertido.... Até que um dia ele fez isso de novo e pra minha surpresa na hora que ele penetrou em mim, eu senti uma coisa muito forte e boa, exactamente naquele momento eu entendi, e me senti a maior pecadora do mundo. Tirei ele de perto e não me permiti sentir mais aquilo.

 

Hoje com 22 anos sou casada e pra minha tristeza não sinto absolutamente nada na penetração, queria sentir aquilo de novo porque agora eu posso.. Mas nunca mais... Sinto apenas na estimulação do clítoris mas lá dentro nada... E isso acaba comigo porque ninguém sabe, nem meu marido. Não dá pra falar que não sinto nada... Sempre faço os exames preventivos e sou o tipo classe A que a ginecologista disse, que não tem nada.. está tudo perfeito...

 

Não sei o que fazer, por favor me ajude. É possível um dia sentir prazer? Aguardo muito ansiosa! Um abraço

 

Cara Leitora,

 

Muito provavelmente ficou traumatizada com o que viveu aos 12 anos e a culpa inconsciente de ter sentido um prazer proibido impede-a de sentir atualmente o prazer “permitido”.

 

Para desculpabilizar-se do que lhe aconteceu no passado, o primeiro passo terapêutico é conscientizar-se que o que passou é parte do passado e não precisa carregar essa culpa para sempre e que afinal sentir prazer é normal.

 

Para começar pode começar a “treinar”  com a masturbação, para conhecer melhor o seu próprio corpo, descontrair e a partir daí chegar ao orgasmo.

É também fundamental que possa sentir-se livre de preconceitos.

 

É preciso ter calma e paciencia, a ansiedade trabalha contra. Caso não supere, procure ajuda especializada. Faça uma psicoterapia. A Psicoterapia é espaço privilegiado para o seu crescimento pessoal, desenvolvimento de habilidades e ampliação da consciência de si e do mundo. Trata-se, portanto, de uma importante ferramenta na promoção da sua saúde psicológica e sexual.

 

Um abraço

 

Fantasias sexuais

 

Fernando Botero

 

 

Julgo negativamente e gostaria de mudar minhas fantasias sexuais.

Quando me masturbo tenho prazer em pensar coisas que julgo como sujas ou feias (ser possuída por muitos homens, ser prostituta, sexo entre homens homossexuais, pedofilia e zoofilia, nessa ordem) e sao fantasia que eu não quero compartilhar com meu parceiro. Tenho até vergonha e gostaria de elimina-las da minha imaginação.

 

Não tenho vontade de colocar em pratica essas fantasias e sei que se experimentasse a minha principal (transar com muitos homens e penetração vaginal e anal ao mesmo tempo) acharia bastante incomodo fisicamente. Inclusive alguma coisa mais atrevida que experimentei como transar sem conhecer bem a pessoa e ser tratada tipo puta me da mais tesao lembrar do que eu realmente senti na hora.

Tenho muita intimidade com meu corpo e sozinha chego facilmente ao orgasmo, normalmente recorrendo a essas fantasias.

 

Com meu parceiro actual tenho prazer e vontade de transar mas nunca tive orgasmo. Depende do dia, mas sei que esta na minha cabeça o problema, quanto menos eu me preocupo melhor é.

Temos confiança para falar sobre sexo. Tento enfrentar minha insegurança mas pra mim é difícil pedir o que/como eu gosto (já falei algumas poucas coisas) e muito mais falar das minhas fantasias. Ainda por cima eu tenho uma paranóia enorme com a minha barriguinha e as vezes meu pensamento vai pra ela no meio do sexo. Ele, e outros parceiros com que eu já estive, elogia meu corpo mas muitas vezes me concentro nos meus defeitos.

 

Só consegui chegar ao orgasmo durante o sexo com 2 parceiros que tive, com quem não estava muito envolvida emocionalmente e me sentia mais livre pra imaginar que ele era mais um dos que eu estava transando naquele dia ou algo assim. Depois que eu "pegava o jeito" tinha orgasmos quase sempre e algumas vezes só me concentrando no tesão daquele momento, sem pensar em outras fantasias.

Sei que o ideal seria fazer uma terapia para entender e resolver esse meu conflito, mas nesse momento nao disponho nem de tempo nem de dinheiro para isso. Gostaria de tratar e melhorar essa questão e não sei como. Também acho que não teria coragem de falar abertamente sobre esse assunto cara a cara com um terapeuta.

 

Agradeço desde já qualquer ajuda

Parabéns e obrigada por esse consultório.

 

PS: Só peço a manutenção da minha privacidade mas não me importo se publique minha dúvida

 

 

Fingir orgasmo

Emiliano Di Cavalcanti

 

Boa tarde. Sou um homem de 32 anos casado há 3 anos com um relacionamento de 7, com um filho de 18 meses lindo k amo mais k tudo na vida.
 
Sinto-me completamente perdido psicologicamente. Passo a explicar: em certos conflitos dum casal surgem por vezes palavras mais “acesas” e numa dessas ocasiões a minha companheira disse-me que tinha fingido algumas vezes o orgasmo comigo… fiquei destroçado! Embora me tivesse dito que comigo teria fingido, mas que o prazer dela era enorme e que até estar comigo nunca tinha chegado ao orgasmo, com mais nenhum parceiro.
 
Sou uma pessoa bastante activa e aberta no que diz respeito a sexo e valorizo bastante o prazer da minha companheira, penso que ate se não fosse assim, me culparia mais por o que se está a passar. Valorizo também a verdade no seio do casal e como pessoa em procura dos meus problemas fiz varias pesquisas na net sobre o assunto, dai bastar para perceber que é natural as mulheres fingirem o orgasmo (devido a determinadas circunstancias) mas não encontrei a resposta para saber … e quando o parceiro descobre a verdade???
 
Desde então não consegui mais ter relações sexuais com ela…nem sei como a vou encarar se isso acontecer…como irei reagir no “meio” do acto??? O que devo fazer para ultrapassar esta situação que tanto me aflige? Talvez esteja a ser imaturo ou devesse então fingir que é algo natural mas não sei o que fazer… em causa está o meu casamento e a felicidade ate do meu filho, ele em particular sofrerá com a distancia dos pais.
 
Agradecia um conselho. Se lhe interessar poderá publicar esta questão sendo que muitos outros casais poderão precisar duma resposta, agradecia só e apenas a confidencialidade da minha pessoa.

Orgasmo, penetração e estimulação

 

Boa noite!
 
Tenho uma pergunta:
 
Eu não consigo atingir o orgasmo só com a penetração, nem só com a estimulação, eu só consigo se existirem as duas, isso é normal?
 

Dores no ovário

 

Pesquisei na net um consultório da sexualidade e penso que este seja o mais
adequado para obter resposta a varias perguntas que tenho.

Acontece uma situação com a minha mulher. Quando a estímulo sem penetração a
ponto de ela atingir o orgasmo ela sente dores nos ovários. Chega a se
encolher nessa ocasião e eu fico sem saber o que fazer. Depois retomamos a
relação. Quando atinge o orgasmo com penetração diz que já não sente dores.
Já lhe questionei sobre isso e ela pensa que é normal. Mas eu tenho dúvidas.
Nas consultas ao ginecologista, apesar de ela não ter ainda perguntado
especificamente sobre isso, já lhe tem dito que está tudo bem com o corpo
dela. Está mesmo? Sentir essas dores num momento de prazer é normal? Ela
chega a pensar que é normal também nas outras mulheres embora eu não pense
assim. Quem tem razão? Pode ser algo que eu não esteja a bem feito no
momento da estimulação e do orgasmo?

Ou tem a ver com alguma falta de descontracção?

Agradeço a sua resposta que muito prezarei.

 

Orgasmo

 

Boa tarde Drª!

Tenho um pequeno problema,  que é o seguinte:

Estou preocupada porque nunca atingi o orgasmo, nem sei quais são as sensações que isso dá, eu há dois anos atrás mais ou menos tive uma depressão, será que o meu problema está relacionado com isso.

E também tem mais ou menos 1 ano que deixei de ser virgem, será que devo ir ao médico? Existe algum medicamento que eu possa tomar, que me possa ajudar? Preciso resolver isto rápido senão perco o namorado!

Ficaria agradecida se a Srª Drª me pudesse ajudar. Fico a aguardar a sua resposta.