Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Consultório de Psicologia

Espaço de transformação com a finalidade de orientar, ajudar, esclarecer dúvidas e inquietações. Encontre equilíbrio, use sua criatividade e deixe fluir sua energia. Mariagrazia Marini Luwisch

Consultório de Psicologia

Espaço de transformação com a finalidade de orientar, ajudar, esclarecer dúvidas e inquietações. Encontre equilíbrio, use sua criatividade e deixe fluir sua energia. Mariagrazia Marini Luwisch

Colega ou amante

21.jpg

Olá,

vi seu blog e gostei. Preciso de ajuda. Já conversei com algumas amigas que sabem meu problema, resolveu por um tempo mas não estou sabendo lidar com isso de novo.

Vou resumir minha história. Sou casada há 17 anos e tenho dois filhos. Sempre vivi em função de minha família, me dedicava em tempo integral a todos e com o passar do tempo comecei a notar que eu me anulava que não fazia nada pra mim. Sempre que saíamos era em lugares que meu marido gostava e o que eu gostava foi ficando de lado e cada vez mais distante. E com o passar dos anos fui dando-me conta disso. Comecei a cobrar de meu marido certas atitudes como ir a algum show de um artista que eu gosto, mas sem nenhum interesse dele, até que eu comecei a não querer mais fazer as coisas que ele gostava e isso acabou nos afastando. Cada dia um pouco mais.

Até a um certo dia depois de já desconfiar que ele poderia estar traindo-me, vi uma mensagem no celular dele à outra mulher. Nessa mensagem ela "aconselhava" ele. A mensagem dele pra ela era um elogio, coisa que nunca fazia comigo. Eu estava tão amortecida, tão "acostumada" a não questionar que pensei em deixar pra lá e não tocar no assunto com ele. Mas não aguentei e falei. Ele então disse que era uma amiga de trabalho que desabafou com ele sobre problemas com os filhos dela e ele me confessou que também desabafou com ela sobre nosso casamento. Me senti humilhada, exposta, um lixo, pois não sabia o que exatamente, ele tinha dito a ela sobre mim. Ele me garante que não houve nada entre eles mas fica difícil acreditar. Acredito sim que da parte dele poderia ter alguma intenção sim pelo contexto da mensagem que ele enviou a ela.

 

No dia que vi a mensagem até liguei a ela que também negou e disse ter deixado claro a ele que seriam só amigos. Mas nem ele nem ela me convenceram. Tentei levar em frente, seguir como casal mas o tempo passa e certas coisas ficam martelando na minha cabeça.

Minha vida que estava virada só piorou. Hoje não tenho vontade de fazer nada com ele, nem de sair, nem de sexo, e não sei até quando isso vai durar, pois sei que sexo é importante mas não sinto vontade nem desejo.

Agradeço se puder aconselhar-me.

(Espero ter sido clara)

Obrigada.

 

Cara leitora,

 

O segredo para manter um casamento é fazer coisas junto que cada um goste. Conversem e façam acordos, negociem, para que cada um possa  escolher o programa e para que ambos possam sentir-se felizes e, principalmente, para que não aconteça um afastamento.

O casamento é a dois e cada um precisa  ter o seu próprio espaço. Uma das causas das crises conjugais é o fato de as mulheres terem expectativas desproporcionais em relação a seus parceiros. Muitas mulheres querem um homem que as "inspire” e exigem que viva no auge do magnetismo e possa fazê-las sentirem-se o máximo o tempo todo.

Temos dentro de nós necessidades essenciais. São as demandas e expectativas inegociáveis - e que, quando abortadas em uma relação, só trazem frustração. Ninguém pode ter todas as necessidades preenchidas por outra pessoa. Mas há duas ou três coisas de que não dá para abrir mão, e o parceiro ideal é aquele que as respeite e as preencha.

Esqueça essa colega de trabalho. Invista na vossa relação pois é assim que podem recuperar o prazer de viver feliz como um casal.

 

Um abraço

 

Guerra no casamento

niki17.jpg

 

Bom dia Dra.

 

Cheguei ao seu contato através da internet, me chamo J.S. tenho 43 anos sou casado ha 6 anos minha esposa tem 28 anos, temos 3 filhas.

Cerca de 3 meses vivo uma guerra pois ela conheceu outro homem de mesma idade que ela, antes da traição vir à tona ela disse que não poderia mais estar casada pois devido à problemas do casamento e que havíamos tentado tudo mas não dava mais.

 

Eu relutei argumentando que poderíamos tentar concertar já que passamos por outras crises, logo após esta conversa acabei descobrindo o real motivo, traição mesmo assim não me alterei e mostrei que a amava e poderíamos superar. 

Mas a situação ficou cada vez pior no início ela se mostrava indecisa dividida, agora faz um mês que saiu de casa levando as crianças para casa de familiares. 

 

Já conversamos bastante ela até me disse que me ama mas acha que não dará mais certo, há dois dias confessou que pensou em uma possível volta mas agora voltou a ficar irredutível, pouco conversa, trata-me com certa pena, aconselha-me a conformar-me, assumiu de vez o relacionamento, diz-se estar apaixonada e o rapaz também por ela.

Tentei de tudo pois a amo e quero minha família de volta mas a cada dia vejo esta possibilidade distante.

O que fazer Dra.?

 

Caro J.S.,

 

Não há muito que possa fazer, a não ser falar com ela, talvez conversar com os pais dela para que eles possam ajudar. Talvez ela precise de um tempo para pensar e refletir no que ela realmente sente e quer para a sua vida.

 

Se o que sente por ela é amor e se do lado dela também houver amor, valerá a pena tentar restaurar a relação e rever os problemas no casamento.

 

Não é fácil gerir as inseguranças que resultam deste afastamento e da traição, mas também pode ser uma oportunidade para repensarem a relação. Como têm três filhas o afastamento físico não será longo. Conversem sobre as necessidades de cada um e sobre as mudanças necessárias para voltarem a se entender em harmonia.

 

Pode ser que com o afastamento ela perceba que tudo não passou de uma ilusão, mas que tenha sido apenas uma aventura com necessidade de afirmação.

 

Continue compreensivo com ela e caso nada funcionar não se desespere, mas aprenda a se valorizar e procure tomar um novo rumo na sua vida.

Uma terapia de casal é sempre benéfica nesses casos, para que possam elaborar o sucedido e para que não sobrem rancores ou ideias infundadas.

 

Envolvimento com homem em união de facto

IMG_2687.JPG

Há 5 meses conheci um homem que despertou muito a minha atenção, passada uma semana de troca de olhares acabamos por nos envolver, na altura eu estava numa outra relação com outro homem que acabei por terminar com ela. Senti que nunca tinha tido ninguém que me fizesse sentir assim, o problema é que ele está em união de facto com outra pessoa há 16 anos da qual tem um filho de 4.

Sinto-me muito mal em estar nesta posição mas não me consigo afastar por sentir esta enorme paixão.

Sei que não sou o seu primeiro caso de traição, e não percebo porque é que ele o faz, porque segundo o que ele me diz ele gosta muito da companheira e a meu ver tinham tudo para ser muito felizes enquanto casal.

Ele diz que acredita que é possível amar duas pessoas mas acha que a companheira não iria entender e tem medo de qual iria ser a sua reação caso lhe contasse que mantém um caso paralelo, então tem mantido este segredo e continuamos a nos encontrar frequentemente.

Eu estou mesmo apaixonada por ele e ele demonstra o mesmo sentimento por mim, ele diz que me ama muito e sempre que tem tempo livre do trabalho procura arranjar maneira de nos encontrarmos, o problema é que eu não me sinto bem porque gostava de um dia estar só com ele e sinto que podíamos ser muito felizes e sinto uma angústia enorme quando ele volta para casa depois de estarmos juntos. Tive uma crise há pouco tempo e fiquei muito deprimida e chorosa. Já falamos sobre isto e ele diz que devia terminar a relação comigo porque me está a fazer mal e não quer e que não é bom eu sentir isto porque ele diz que nunca irá contar á sua companheira nem nunca a irá deixar.

 

No entanto diz que não me quer perder porque me ama muito e que é mesmo especial o tempo que estamos juntos, o que eu sei que não é mentira porque é mesmo mágico o nosso olhar e os nossos momentos. Mas frisa sempre que não está nos planos dele agora contar à companheira nem deixá-la e até me chegou a dizer que se fosse solteiro eu era a mulher perfeita para ele e que não pensava duas vezes em vivermos juntos e mesmo em casar comigo! Mas quer que eu tenha noção disso e que não crie essa fantasia em mim porque não está no futuro próximo mas não quer dizer que um dia nunca vá acontecer porque nunca se sabe o dia de amanhã.

 

Gostava de ouvir a opinião de alguém porque já não sei o que hei-de fazer e não consigo contar isto a ninguém.

 

Cara leitora,

 

Compreendo o encanto e a magia da sua paixão, mas não vejo possibilidade de um futuro promissor. Só vejo duas hipóteses: ou aceita ser "a outra" ou termina essa relação, antes que seja tarde.

 

Ele está sendo autêntico consigo e não quer que idealize a relação. Uma relação assim como a vossa é sempre mágica por estarem juntos só nos bons momentos. Quanto mais tempo passar junto dele, pior será ou às vezes é o contrário com o tempo vai se chatear e perceber que ele não é a pessoa certa para si. Cada pessoa reage à sua própria maneira e é difícil dizer qual será a sua, mas certamente irá sofrer e já está a sofrer agora.

 

Se tiver a força e a coragem de deixá-lo poderá sofrer agora, mas com o tempo tudo passa e vai talvez sentir-se aliviada por ter conseguido afastar uma relação problema e destinada a falhar, ainda mais que não sendo o primeiro de traição, estaria sempre na dúvida de também ter a possibilidade de ser traída.

 

Pense bem antes de tomar uma decisão e tente imaginar a sua vida futura junto dele, mas sem idealizar: pense que haverá sempre uma ex, um filho, a hipótese de traição, etc.

 

Confie em si, ouça o seu coração e tente resolver de maneira a não lhe causar muito mais sofrimento.

 

Um abraço e um feliz 2017!

 

Traição no casamento

chagall24.jpg 

Bom dia Dra.

Chamo-me P e vivo actualmente uma situação, para a qual espero, que me possa ajudar, com o seu discernimento e experiência.

História comprida...mas vou tentar ser breve!

Estou casada há 19 anos, com um namoro para trás, de 11 anos, 2 filhos lindos de 17 e 14 anos. Tenho 46 anos.

Não se pode dizer que meu casamento nos últimos anos fosse um "mar de rosas". Como todos os casais, tínhamos os nossos altos e baixos.

 

Em Março descobri que o meu marido me tinha traído com uma colega de trabalho, com quem já tínhamos saído algumas vezes, que me conhece. Devo dizer que das vezes que estive com ela, apesar de saber que não havia nada entre eles, senti um "clima"!!

Confrontei-o quando descobri o caso...negou...mostrei provas...assumiu...

Tinha acontecido apenas uma vez, pensei eu, sem saber como reagir.

Afinal já não era a primeira vez. E assim como estava com ela, estava comigo. O sexo entre nós continuou a existir, porque ele me procurava apesar de já andar envolvido com ela.

 

Nunca me pediu desculpa, não mostrou arrependimento e disse a frase da praxe "Foi uma vez. Vamos dar uma oportunidade ao nosso casamento"

Pelo contrário, apesar de "apanhado", optou por continuar com o caso!

 

Voltei a descobrir... reservas de hotéis atrás de reservas... voltei a confrontar... na conversa só me perguntava "O que queres que faça?"!! Pergunto: Eu é que tenho que decidir?!? Fácil, muito fácil... passar a decisão para o meu lado!

Disse-me que queria era que eu ficasse bem com a situação!! Mantermos o casamento pelos filhos e em nome dos 30 anos de amizade!!!!

 

O problema principal e motivo e discórdia do casal passava sempre pelo plano sexual. Para o meu marido a quantidade nunca era a suficiente e a justificação para o que está a fazer é a de que eu não lhe dava o que ele precisava.

Um casamento não é feito só de sexo! Onde está o amor, a fidelidade, o companheirismo, o respeito??

Diz que nunca foi intenção dele acabar com o casamento. Que é apenas uma questão sexual...

Estou completamente desfeita... Um turbilhão de emoções dentro de mim que não passa... perdi peso...sempre com vontade de chorar...

 

Desde o inicio do ano que estou desempregada. Não tenho independência financeira nem ajudas que me permitam tomar uma decisão de acabar com tudo. Só penso nos meus filhos!!!

Passados estes meses todos, tivemos mais uma conversa. Sem ataques, sem choros, sem raiva. Preciso de perceber...

E percebi... em parte... a decisão está do meu lado! Disse-lhe que nos manteríamos juntos (na mesma casa) e que o tempo diria o que aconteceria.

 

Não lhe prometia nada, não o iludia. Tenho muitas emoções para resolver dentro de mim. Não consigo sequer imaginar que me toque, quanto mais fazer amor com ele... disse-lho, sem puder prever prazos claro!! Ao que me respondeu que tinha de perceber quanto tempo eu precisava para "me resolver". Que se fosse 6 meses ou mais, não garantia que aguentasse e não voltasse a fazer o mesmo!!

Até hoje não me disse se tinha terminado tudo com a outra ou não. Não sei... Não sei o que fazer... o que pensar...

 

Preciso de ajuda!! Por favor ajude-me a ter discernimento!! Preciso de paz.

Peço desculpa pelo relato tão longo... e muito mais havia a dizer.

 

Obrigada Dra. Mariagrazia

 

Cara P.,

Numa união saudável, o casal deve sentir amor e atração sexual. E também conseguir expressar sentimentos, resolver conflitos e problemas que surgem naturalmente, respeitar diferenças individuais, ter responsabilidade por suas ações (sem esperar que o outro resolva as carências que sente) e relacionar-se fora do casamento, cultivando amigos e interesses.

 

Penso que o melhor no vosso caso seria fazer uma terapia de casal pois a crença de que os conflitos internos passam com o tempo está errada. Não passa. Aliás, pode piorar, porque os problemas estão lá.

 

O terapeuta vai tentar compreender as razões da crise do casal e propor caminhos alternativos para apaziguar as discussões, alcançar a compreensão e trazer de volta o encantamento.

Muitas questões da vida íntima de um casal, como a insatisfação sexual e casos extraconjugais, são tratados com a descrição e seriedade que merecem. É uma terapia centrada no relacionamento amoroso.

 

Saiba que uma traição acontece nos melhores casais e que em muitos casos pode ser a salvação para um novo recomeço.

Entretanto procure aumentar o diálogo com ele, conversem e conversem, esse é sempre um bom caminho e início para uma compreensão e um melhor entendimento mútuo.

 

Um abraço

 

Não consigo beijar

beijo.jpg

 

 

 

Olá, me chamo J e tenho 19 anos.

Vi seu e-mail no site Consultório de psicologia, e gostaria de uma ajudinha, se possível. Estou passando por um problema no meu relacionamento. Eu não consigo beijá-lo. Já fizemos amor, mais não consigo beijar ele, e juro que nem eu sei explicar. Simplesmente travo, não consigo nem mexer a boca para beijar ele de língua. (selinho sim, beijos mais longos não). Tem explicação para isso? Algum motivo (mesmo que inconsciente)? Já estamos juntos a 4 meses.

Obs.

Ano passado, no início do ano, terminei um relacionamento de 3 meses que não foi muito bom, na verdade foi péssimo, quase que traumatizante (perdi a virgindade com ele), me machucou muito. Ele me traiu com a ex do melhor amigo dele (estão juntos agora). Cheguei a pensar em não me envolver novamente com ninguém (pelo menos por enquanto) já que fiquei pensando que nao poderia mais acreditar no que as pessoas dizem sentir. Mais depois de 5 meses comecei a sair com meu atual, sinto que o amo mas não sei o que acontece nessa parte.

Será que tem alguma coisa relacionada?

 

Cara J.,

O beijo ativa todos os nossos sentidos - como o olfato, o paladar e o tato - para que forneçam pistas sobre a compatibilidade e o potencial a longo prazo do parceiro. Beijar faz bem à saúde, bem como pode decidir com quem vamos passar o resto da vida. Para além disso, sabe-se que o beijo tem vários benefícios. Um deles está relacionado com uma forma de combate à depressão, com um beijo baixam-se os níveis de cortisol, uma hormona que rege a resposta ao stress do nosso organismo, sendo que é considerado um calmante natural. Beijar faz ainda com que o nosso sistema imunitário fique reforçado, visto que ele aumenta a sua atividade.

 

Quem sabe não consegue beijá-lo porque inconscientemente ainda não se sente pronta para a entrega. Entretanto há muitas pessoas que não gostam de beijar o que pode estar relacionado com algum trauma ou com a infância pois de alguma forma os cuidados maternais passam muito pelo beijo e de ensinar à criança a importância desta manifestação. Pode ser que não tenha tido esse aprendizado na infância.

Entretanto nunca é tarde para aprender a gostar…

 

 

Desconfiança do companheiro

botticelli.jpg

 

 

Olá Venho contar minha história de traição, com uma imensa tristeza no coração. Sou L Tenho 17 Anos, comecei a namorar com o meu primeiro namorado, aos 13 Anos e passei um ano de namoro e logo me juntei a ele e fomos moramos juntos.

Nos primeiros meses de casados foram os melhores meses da minha vida, ele me fez sentir tão bem, tão confortável naquela vida que eu criei uma confiança imensa nele, fechava os olhos pra tudo, ele chegava e saia pra onde ele quisesse. E ai eu levei o meu casamento, até quando eu precisei dormir na casa da minha mãe, que minha sobrinha estava bastante doente. Ai nessa única noite esse meu marido, colocou uma garota na nossa casa, na nossa cama e dormiu com ela, ai no outro dia que eu voltei pra casa na maior inocência, ele agia naturalmente, como se nada tivesse acontecido.

Aí Minha mãe me ligou e me chamou na casa dela urgente, ao chegar lá ela me falou que "ao ir na padaria, viu uma garota sair de lá da nossa casa com uma bolsa" ele confirmou que tinha dormido com ela e tido relação aí eu muito magoada terminei com ele fui pra casa da minha mãe de vez, aí com um certo tempo mais ou menos uma semana ele ficou procurando-me, ligando-me, pedindo perdão dizendo que estava arrependido, aí eu perdoei com um pouco tempo depois ele  estava bem diferente com o celular, não me deixava mexer, nem me deixava chegar perto um certo dia eu vi umas mensagens no facebook dele de outras garotas, até mulheres que ele já tinha ficado eram várias delas, eu falei com ele e ele me disse que não tinha ficado, que era só conversa botou até defeitos nas mulheres, e mais uma vez eu aceitei, e hoje vivo com ele e com o tempo que passa descubro aquelas mulheres que ele chegou a dormir, isso me atormenta me faz desconfiar cada vez mais, eu não como, não durmo bem e me sinto sempre mal, não consigo confiar e estou sempre sofrendo, me ajude me sinto muito infeliz e preciso tomar uma atitude na minha vida até por que sou muito nova. Obrigada, Prazer L.

 

Cara L.,

Antes de tomar uma atitude convém ter uma conversa séria com ele sobre o vosso casamento. O diálogo é a forma mais fácil para o casal se entender. Pode ocorrer que por estarem juntos desde muitos novos, ele esteja sentindo a necessidade de conhecer também outras mulheres, o que explica o comportamento dele embora não justifique tal atitude.

Procure não se fixar nesse passado mas invista no vosso relacionamento presente. As insatisfações sexuais quando são sentidas podem ser expressas. É importante falar e encontrar soluções no contexto da vossa relação.

Investir num relacionamento só vale a pena quando as pessoas assumem quatro atitudes indispensáveis. Respeitam-se, compreendem, protegem e confia um no outro. Afinal ele pediu perdão e mostrou arrependimento e merece uma nova oportunidade.

A minha dica é para tentar apostar na relação e só desistir se sentir que não há ressonancia.

Um abraço

Mulher traída

renoir31.jpg

 

 

 

 

Meu marido me traiu, resolvemos continuar, mas me tornei uma pessoa amarga, zangada e impaciente. Não confio nele e vasculho seus pertences.

Trato-o muito mal, não consigo abraçá-lo e fazer amor. Vivemos um inferno há 4 anos.

Ele aguenta tudo diz que me ama e se diz muito arrependido.

Não quero separar-me, ainda o amo mas endureci e virei um monstro. Me ajude!

 

Cara Leitora,

É preciso baixar a guarda e confiar em si e nele para que o amor possa voltar. Não é esquecer mas é repensar a relação e investir no momento presente, sempre a pensar em como melhorar.

É muito importante que o traído possa expressar todo o seu sofrimento, mágoas, temores e que essas expressões sejam ouvidas com atenção e sem pressa pelo traidor.

 

Com isso pode ser que esse monstro dentro de si vá aos poucos se esvanecendo e se transforme novamente em confiança, afeto e amor.

 

 

 

Traição e deceção

 

 

 

Vi o seu blog sobre ajudas a nível psicológico e resolvi expor a minha situação.

 

O que me aconteceu é que há um mês descobri que uma pessoa com quem namorei durante 5 anos, me traiu passado este tempo todo. Por acaso, abri o facebook dela, porque ela o tinha deixado ligado e ela tinha lá conversas com outros rapazes e com um novo que tinha conhecido há pouco mais de 4 meses. Com este novo, ela foi com ele para a cama, e toda esta situação tem doído, porque depositei toda a minha confiança numa pessoa que no final, se revelou outra. Sinto-me perdido, sem saber o que fazer. Tenho medo de o dia que os irei ver juntos, tenho até medo da minha reacção. Sinto raiva, revolta, pena, mas quero conseguir sentir indiferença, porque ao fim ao cabo, esta pessoa nunca existiu.

            

Cumprimentos

 

Orientação sexual

 

 

 

 

 

 

Boa noite doutora. O meu último namoro durou três anos e acabou porque o meu ex namorado me traiu.

Actualmente namoro com um rapaz há cerca de 7 meses de quem gosto muito.

Para mim o amor e os relacionamentos são muito importantes e o meu atual namorado apesar de eu saber que gosta de mim é um pouco distante e não é chato e sinto que as vezes podia ser mais próximo e preocupado.

Um dia destes, triste por me sentir m pouco carente dei comigo a pensar se o problema não seria eu, ou algo que e fizesse ou dissesse. Então dei por mim a pensar que se calhar o problema era mesmo eu e pensei que se calhar era bissexual e não sabia.

 

Nunca me senti atraída por mulheres, nunca achei que estivesse apaixonada por nenhuma mulher e nunca pensei nem tive fantasias com mulheres e isso nunca me tinha passado pela cabeça, mas mais ma vez os meus medos e receios da vida tomam conta de mim e este medo não me tem saído da cabeça apesar de eu saber que na tenho razões para isso porque não tenho motivos para tal. Se vejo ma mulher e acho bonita penso no assunto, se gosto das calças, da mala, dos sapatos, do cabelo, penso no assunto.

 

Este problema anda a dominar os meus dias e não me sai da cabeça e afeta a minha vida. Acha que devo ir a um psicólogo ou isto será apenas inseguranças?

Atenciosamente, I.

 

 

Cara I.,

 

Pelo que refere, não parece que tenha uma orientação sexual bissexual. Entretanto pode estar a reparar mais nas mulheres numa tentativa de compreender o motivo da traição do seu ex.

 

Provavelmente está a atravessar uma fase de insegurança onde a outra mulher é vista como um espelho e como uma imagem a ser imitada.

 

Porém, se essas questões de identidade sexual e orientação sexual a estão a perturbar e a inquietar, o melhor é ir a um psicólogo para poder trabalhar as suas inseguranças e ao mesmo tempo aprimorar o seu autoconhecimento.

 

O objetivo da psicoterapia é levar a pessoa a se conhecer mais profundamente, compreendendo seus processos e mecanismos mentais, para aprender a utilizá-los em seu próprio benefício.

 

O resultado é um ganho geral na sua vida, com aumento da autoestima e da autoconfiança, maior sensibilidade às suas necessidades reais e qualidade nos seus relacionamentos. Aprendendo sobre si mesma, vai poder transformar-se no agente de seu próprio destino, passando a lidar com a dor, com a ansiedade e com o sofrimento em geral de uma forma mais saudável, sem se descontrolar e sem dificultar o seu desenvolvimento pessoal. Pelo contrário, será mais livre para escolher e desfrutar da vida com leveza e harmonia, aceitando-se e respeitando-se simplesmente

 

Tudo de bom

Mariagrazia

 

 

 

 

Casamento conturbado

 

 

 

Bom dia, Dra. Mariagrazia,

 

bem vou resumir o que tenho vivido, porque se for relatar tudo vou escrever um livro.

 

Estou casada há 16 anos, tenho uma filha de 15 e uma de cinco anos. Meu casamento sempre foi muito conturbado, porque meu marido bebe muito, sempre passou muitas noites na rua, bebendo. Já tive desconfiança de traição, mas nuca certeza, mesmo porque ele sempre se mostrou alcoólatra, chegava em casa completamente bêbedo. Entretanto em marco de de 2012, tive a infeliz certeza de que estava sendo traída. Desde então minha vida se tronou um inferno, tenho pedido a Deus pra me ajudar, pois esta a cada dia muito difícil. Quando descobrir joguei a casa no chão, o coloquei pra fora e uma semana depois ele me procurou-me pedindo perdão, aceitei o de volta e achei que a história tinha acabado. Mas infelizmente não acabou, ele continuava a me traindo com a mesma mulher.

 

Fiz outro auê, descobri quem era a mulher, uma mulher de baixo nível, horrorosa que falou até palavrão comigo. Me senti humilhada, ofendida, tentei tirá-lo da minha vida. Nessa confusão toda, ele se endividou,  me pediu mais uma vez para voltar, dizendo que se arrependia e que me amava, que amava a família dele, Estamos juntos hoje, eu com muitas marcas negativas, com um medo terrível de sofrer novamente, me expus muito diante da minha família e outras pessoas, inclusive dessa mulher com ele se envolveu.

 

O que eu mais quero é voltar a viver a minha vida e não a dele. Não sinto mais verdade nele, estou muito, muito infeliz, não consigo acreditar mais e nem sair dessa relação. Estou muito infeliz, com vergonha de mim, da minha família por não conseguir tomar uma atitude, que mude essa situação.

 

Grata M. 

 

 

 

Cara M.

 

A situação que está a atravessar é realmente muito complicada e entendo que se sinta muito infeliz e insegura.

 

Se sente que não consegue “nem sair dessa relação”, não saia. Significa que ainda não está preparada para o fazer e nesse sentido tenha calma e pense que talvez seja melhor esperar e resolver de uma forma mais ajustada.

 

Não se preocupe com o que o resto da família vai dizer ou pensar o importante é a vossa família. Deslizes acontecem e nem por isso é preciso acabar ou “ tomar uma atitude”. 16 anos de casamento não são para serem levados pouco à sério.

 

Dê um tempo e aos poucos vai sentir se consegue ou não voltar a confiar nele. Mas lembre-se que o importante é se preocupar com você os 4. De qualquer maneira fale com ele para que faça um tratamento para deixar o vício da bebida que certamente é o que mais está a prejudicar toda a relação familiar e a conturbar o casamento.

 

Converse com seu marido e diga-lhe tudo o que sente, ouça o que ele tem para dizer e tome a decisão que considerar mais correta para si.


Fique bem

Mariagrazia