Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Consultório de Psicologia

Espaço de transformação com a finalidade de orientar, ajudar, esclarecer dúvidas e inquietações. Encontre equilíbrio, use sua criatividade e deixe fluir sua energia. Mariagrazia Marini Luwisch

Consultório de Psicologia

Espaço de transformação com a finalidade de orientar, ajudar, esclarecer dúvidas e inquietações. Encontre equilíbrio, use sua criatividade e deixe fluir sua energia. Mariagrazia Marini Luwisch

Sensação de vazio

17.jpg

Tenho me sentido estranha a vida toda, mas foi com o fim de uma relação amorosa, que me tornei mais estranha e infeliz.

Não consigo explicar a sensação de vazio e solidão que sinto dentro de mim.

É como se nada fosse importante.

As coisas à minha volta até podem estar a correr bem, mas nada disse é importante, porque me sinto vazia e só.

Tentei preencher este vazio com coisas do exterior, mas ou não as conseguia alcançar, ou, quando conseguia, elas se tornavam irrelevantes.

Neste momento, acho que queria ter uma vida normal, como as pessoas da minha idade têm: sair muito, ter muitos amigos, ter gente que me valoriza. Mas também é difícil. Eu tenho amigos, mas não consigo gostar deles. Eu tendo a não gostar das pessoas que gostam de mim.

Acho que apenas ter uma relação amorosa me podia fazer feliz, mas isso é um desastre, porque ou o rapaz gosta de mim e eu não gosto, ou eu gosto do rapaz, e ele não gosta de mim.

Este vazio dói muito, é uma dor muito forte, violenta e má cá dentro, e já não sei o que fazer para me sentir bem, normal, alegre e satisfeita com a vida, como toda a gente da minha idade...

 

Cara leitora,

A nossa felicidade e bem-estar não podem estar condicionados ao estado de estar numa relação amorosa.

 

É preciso descobrir o suporte para sua felicidade.

Algumas dicas:

  • crie pensamentos e sentimentos positivos
  • supere os obstáculos do dia a dia e evolua diante da adversidade
  • saiba com ser positiva e otimista em todas as circunstâncias da vida
  • conheça os conceitos chave para a realização de seus objetivos e torne os seus sonhos realidade
  • desenvolva o poder mental para ser bem-sucedida
  • obtenha equilíbrio emocional e estimule a sua motivação

 

Um abraço

Vazio de sentimentos

IMG_2692.JPG

É normal não sentir amor pela própria família? Eu mesma não ligo pra minha família nunca me apaixonei por ninguém pra dizer a verdade nunca senti amor sou vazia de sentimentos não choro apenas sinto um vazio dentro de mim e ódio onde sou capaz de matar sem me preocupar com as consequências. Não ligo pra vida. 

Isso é normal ou simplesmente estou estou ficando louca?

 

Cara leitora,

Essa condição afetivo-emocional de vazio de sentimentos possui uma denominação médica: "atimia", do grego "athumía", que consiste na ausência de sentimentos e de manifestações afetivas.

Uma condição que é comum em portadores de esquizofrenia, neurose ou depressão.

Não quer dizer que seja portadora de esquizofrenia ou neurose, mas pode estar a passar por uma depressão. Ou ainda é mais provável que isso seja apenas um traço isolado da sua personalidade, pois no quadro completo da esquizofrenia o portador da enfermidade não tem consciência da sua condição afetiva, como está a ocorrer consigo.

Manifestações de indiferença afetiva são também observadas nos neuróticos. Na melancolia, o desinteresse pelas coisas do mundo

Essa condição surge a partir e durante as interações da pessoa com o ambiente, principalmente no seu período de formação cognitiva e desenvolvimento de habilidades sociais, a pessoa tem uma habilidade comportamental não aprendida ou bloqueada por algum acontecimento traumático ou sucessões de acontecimentos onde a pessoa sente dificuldade para sentir e expressar-se.

 

Não está ficando louca, está consciente do que está a passar e à procura de respostas. O melhor que tem a fazer é procurar ajuda de uma terapia para que, além de compreender o que se passa consigo, possa desenvolver novas maneiras de sentir, de se relacionar com as pessoas e de viver repeitando a vida humana.

 

Construir família

 

miro9.jpg

 

Olá, gostaria de um conselho, me chamo J. tenho 24 anos e sou uma pessoa meio solitária, há 4 anos comecei a namorar uma pessoa extremamente ciumenta que me fez romper meus únicos laços de amizade que tinha na época, decidi por romper por gostar dela e por não aguentar mais tanta incomodo, queria que nosso namoro desse certo pois meu sonho sempre foi ter um futuro com uma pessoa e uma família.

Por fim namoramos por 3 anos e ela terminou comigo por motivos que me fizeram sofrer e me culpar muito por não ter colocado um fim em nosso relacionamento quando tive a oportunidade, disse que queria ter amizades e viver a vida, isso me magoou pois passei muito tempo tentando fazê-la entender que amizades são importantes.

Pois bem sofri muito mas acabei conhecendo outra pessoa uns 4 meses depois, ela foi totalmente o oposto tinha amigos saíamos nos divertíamos e não existia ciúmes, era uma relação totalmente diferente e boa mas quem não se sentia muito bem na maioria das vezes era eu pois ela parecia dar muito mais valor para os amigos do que para mim seu namorado, como se tanto faz se estivesse comigo ou não.

Nós namoramos por 1 ano e 7 meses até que ela decidiu por um fim, não sei o verdadeiro motivo mas creio que por não gostar muito do meu jeito e ela ser uma pessoa bem diferente de mim, era envolvida com drogas, valorizava coisas que pra mim não são importantes, mas também me fez conhecer coisas que eu realmente gostei. hoje me sinto vazio como se nada me fizesse feliz, não consigo ver graça em nada acabo por ser sozinho, frequento minha religião e lá tem pessoas que até converso mas não consigo chamar de amigos, aquele tipo de amizade que lembra de você e Te procura, que procura te ouvir. Te ajudar.

Isso me incomoda pois ao mesmo tempo que quero e sinto ter a necessidade de ter amizades o que realmente quero é ir em busca do meu sonho de ser feliz com uma pessoa e construir uma família, não quero me isolar do mundo tendo uma vida à dois, mas sinto que não consigo ser feliz apenas comigo mesmo.

 

Caro J.,

Para aumentar o círculo de amigos precisa fazer algo positivo como atividades, cursos, desporto, etc. Talvez no teu grupo religioso possa encontrar alguém interessante para conviver, sair, divertir-se, etc.

No trabalho ou no estudo é um bom lugar para fazer novos amigos e encontrar namoradas.

 

O sentir-se vazio é normal, por ainda não ter feito o luto da última relação. Conforme diz que “não quero me isolar do mundo” , é preciso ter paciência e estar aberto para cultivar e receber novas amizades . Sem pensar em se isolar, mas é ir em busca do seu sonho e verá que quanto menos espera mais se sentirá feliz e acompanhado.

 

Confie em si e sinta-se aberto para o mundo.

Um abraço

 

 

Vazio, medo e ansiedade

niki9.jpg

Oi doutora tudo bem, gostaria muito de um conselho da senhora para me dizer o que eu faço da minha vida.

Me chamo J. tenho 23 anos e de uma tempos pra cá passei a sofrer com ansiedade que eu ía levando. Só que agora ultimamente do nada comecei a ter medo de ter esquizofrenia, mas um medo intenso mesmo, sabe de me dar dor de barriga, enjoo, falta de apetite suor e etc. Daí comecei a ver os sintomas da esquizofrenia na internet e dai que me deu mais medo ainda e fico imaginando que estou com os sintomas.

Não escuto vozes as únicas vozes que escuto são meus pensamentos dentro da minha cabeça me dizendo que estou louca. E depois que passei a ver os sintomas na internet passei a acreditar que tudo que eu li esta acontecendo comigo. Vivo com crises de choro, medo de ficar louca e ando com insónia e nem consigo mais dormir. Sinto um desespero junto com um vazio muito grande dentro de mim. Nada enche esse vazio mesmo quando saio pra distrair a minha mente, esse vazio está dentro de mim.

Doutora o que eu faço será que estou ficando louca?

 

Cara J.,

Todos nós temos alguns sintomas de perturbações mentais, mas para termos uma patologia, depende da quantidade. No seu caso, parece seja somente uma questão de ansiedade e medo de estar doente. Tem bem a consciência que os “pensamentos estão dentro a sua cabeça” e, atenção, que se for muito impressionável quanto mais pesquisa para ver sintomas, mais vai se identificar com alguns deles. Ao pesquisarmos é preciso agir com discernimento e sensatez, do contrário podemos por em evidência a “loucura”.

 

O vazio existencial está presente na vida de todo ser humano, em maior ou menor grau. É sentido e vivenciado em inúmeras circunstâncias da existência humana. Emerge diante de situações peculiares e às vezes stressantes na vida da pessoa.

O vazio que sente dentro de si, pode estar relacionado com o seu momento de vida e quem sabe se a partir daí vai se revelar uma “oportunidade” e procurar desenvolver e aprofundar todos os seus recursos e capacidades no caminho da autorrealização e a responsabilidade pela própria vida.

 

Feliz 2016!

Vazio interior

niki6.jpg 

Vim aqui a pedir que me possam ajudar. Faz algum tempo que estou sentindo-me assim. Um vazio completo. Mal tenho vontade de sair de casa, não tenho interesse por nada, tenho tentado encontrar  algo. Mas este vazio me persegue para onde for que eu vá.

Ultimamente mal tenho vontade de sair de meu quarto. "Teve um dia que passei todo o domingo olhando para o teto tentando pensar algo para me mudar". Mas não consegui. Não adiantava, sempre o vazio me consome e volto ao meu estado anterior. Teve vezes que pensei em me matar. Mas não tenho coragem  para isso.

Meus parentes estão preocupados comigo mas não sei que resposta dar a eles. (Ir lá e falar tô com depressão ou algo assim) Tenho absoluta certeza  que não tenho depressão. Mas esse vazio me consome. Eu quero mudar, mas não sei como. Esse vazio me consome. Muitas vezes acho que está faltando  algo em minha vida mas não sei o que é.

Obrigado J.

 

Caro J.,

Quando há um “vazio”, causando-nos pensamentos e emoções negativas predominando uma sensação de inquietude profunda que oprime o coração, é tempo de pensarmos em procurar ajuda.

Há feridas e traumas que ao longo de nossas vidas foram se instalando em nós e que criam os tais espaços “vazios” no nosso interior.

É necessário fazer um trabalho de questionamento, procura e interiorização para colmatar esse vazio.

À medida que vamos partilhando histórias, experiências e emoções em psicoterapia, procuramos, em conjunto, encontrar os “vazios” e feridas que estão a causar sofrimento, observamos cada movimento do próprio pensar (os padrões de pensamento, as crenças erróneas, as acções irreflectidas…), identificamos as “máscaras” que fomos desenvolvendo ao longo da vida e, sobretudo, procuramos desenvolver e aprofundar todos os recursos e capacidades, abrindo portas para a autorrealização e a responsabilidade pela própria vida.

 

A psicoterapia não existe apenas para as patologias mas também para todas as pessoas que sintam que precisam realizar este trabalho interior que é um (re)encontro consigo mesmas.

Preencher esse vazio é um trabalho árduo, mas vale a pena o resultado quando há novas apostas e nova atitude diante da vida.

É preciso ter é preciso ter força de vontade para esquecer a morte e lutar por ter uma vida melhor e mais feliz!

Tudo de bom

Depressão e fantasia

cezanne2.jpg

 

Sou jovem de 26 anos, sofro de depressão, já tentei suicidar-me com comprimidos, já fui parar ao hospital, já andei em medicação mas não resultou, ficava pior.

Mas a questão aqui é que, eu mesmo com depressão consigo entender que aquilo que fiz foi um bocado por impulsividade, desanimo, frustração, etc...

 

Sem entrar em pormenores de como foi a minha vida desde infância até hoje (Foi toda ela uma infelicidade crescente), eu queria só saber isto:

Como eu descubro o que me faz falta na vida?

Qual a razão de eu não gostar de nenhuma profissão existente?

 

(Gosto de pequenas coisas, mas imaginar-me a trabalhar nelas durante anos, faz-me impressão, acho que seria uma seca autentica... E mesmo procurando áreas ou cursos, NADA, mas mesmo NADA me agrada, não gosto de nada!)

Esta é a parte pior!

 

Porque eu tenho sempre a vontade de querer que o mundo fosse diferente? Como se EU não fizesse parte dele, como se eu  tivesse vindo de outro mundo diferente e é por causa disso que sinto este vazio, esta falta de algo constante... 

Eu sinto vontade muitas vezes de entrar nas histórias de fantasia que eu gosto de ler!

Entrar num mundo com Dragões, animais fantásticos, seria uma vida muito mais interessante... Porque a vida real, a vida aqui no planeta terra, não tem nada de especial, não tem nada de divertido, nada que me faça sentir-me bem!

 

Independente de ter depressão ou não...

Eu sempre pensei assim desde pequeno!

Via os filmes do Harry Potter, e imagina viver em algo parecido... Sempre seria bem mais interessante!

 

Quando alguém me pergunta o que gostava mesmo, o que faria feliz!

Eu não digo, mas penso: Ir para um mundo fantástico!

 

Será que, esta vontade torna a minha vida na real ainda mais complicada?

O que tenho é algo diferente de depressão?

 

Cumprimentos,

João

 

Caro João,

Parece que o João busca preencher um vazio interno e tenta encontrar satisfação no mundo da fantasia, e no entanto não consegue atingir a verdadeira satisfação. O seu problema é um misto de depressão e falta de sentido para a vida, o que o leva a não querer crescer e preferir refugiar-se no mundo irreal.

 

O que eu proponho para se livrar dessa postura é primeiramente ter consciência que é possível brincar, divertir-se e viver no mundo da fantasia e na mesma medida ser responsável, planejar e construir objetos de vida: trabalho, estudos, casamento e família. Que uma possibilidade não anula a outra. Que é muito bom que a criança que vive em nós nunca morra, mas também saber que o nosso lado criança não pode tomar conta da nossa faceta adulta impedindo-nos de nos realizar como pessoa.

 

Ao mesmo tempo é indicado que procure um tratamento correto para conseguir ultrapassar a depressão e poder retomar as rédeas da sua vida com força, vigor e bom senso.

 

Uma ajuda especializada de um terapeuta para um tratamento de autoconhecimento e para que possa ser ajudado a preencher esse vazio que sente em relação ao sentido da sua vida. Confie em si e na sua vontade de evoluir, na vida, no mundo e, principalmente em si próprio, o que vai propiciar nova energia e animo para novas realizações no mundo real.

Um abraço

Solidão

 

 

Desculpa por pedir ajuda, mas é que estou me sentindo muito sozinho e não tenho vontade de fazer nada, eu estou corrente e fico querendo atenção da minha namorada e ela está a estudar de manhã e não pode pra falar comigo e fico triste com ela pois não pode me dar atenção.

 

Meus pais são ausentes e não sabem que estou nesse momento de aflição, só gostaria que a Senhora me orientasse, às vezes penso que estou de cabeça vazia pode ocorrer isso?

 

Agradeço mais uma vez.