Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Consultório de Psicologia

Espaço de transformação com a finalidade de orientar, ajudar, esclarecer dúvidas e inquietações. Encontre equilíbrio, use sua criatividade e deixe fluir sua energia. Mariagrazia Marini Luwisch

Consultório de Psicologia

Espaço de transformação com a finalidade de orientar, ajudar, esclarecer dúvidas e inquietações. Encontre equilíbrio, use sua criatividade e deixe fluir sua energia. Mariagrazia Marini Luwisch

Ouvir coisas

7.jpg

Olá Dra. Boa noite. Tenho uma pergunta tenho 46 anos e desde a minha adolescência escuto a mesma frase!

"Tá com saudades de mim?" A frase por si só não me é estranha, porém não existe estado emocional nem lugar pra ouvir, a não ser pelo fato de que eu sempre estou só, sem amigos ou familiares junto comigo.

As vezes eu nem ligo outras me encabula, porque de eu ouvir sempre está pessoa me perguntando isso?

 

Um novo estudo publicado recentemente no “The Lancet Psychology”, resultado de uma pesquisa online e análise em profundidade de 153 pessoas que ouviam vozes, diz que há uma enorme variação de formas entre as pessoas que “ouvem coisas”.

 

Muitas vezes, elas são vozes internas e não dizem nada em voz alta

 

É quase como se as pessoas estivessem exagerando na dose daqueles diálogos internos que temos em nossas cabeças todos os dias.

 

Na verdade, a pesquisadora Angela Woods, da Universidade Durham, que liderou o estudo, observou que 15% das pessoas que relatam ouvir vozes não foram diagnosticadas com qualquer distúrbio psicológico. As pessoas que ouvem vozes dizem que elas podem ser assustadoras, mas também podem ser amigáveis.

 

No seu caso é "ouvir coisas" de uma voz amigável, embora a alerte para o fato de “sentir solidão” e talvez de uma necessidade interior de sentir-se mais acompanhada.

 

Uma psicoterapia poderá ajudá-la a entender essas vozes como parte de si e a revelar suas preocupações subconscientes.

Ouvir vozes

 

chagall26.jpg

 

Doutora, aqui quem escreve é V, eu tenho síndrome do pânico faz 2 anos, e antes eu tinha muito medo de enfartar mas já me tratei disso e hoje consigo me controlar, porém recentemente de uns meses pra cá, ao dormir, não é toda noite, em algumas ao deitar e fechar os olhos eu ouço vozes conversando aleatoriamente ou barulhos e as vezes chega a incomodar o sono, dai se eu abrir os olhos esses sons param na hora, porém eu fui ler sobre isso na internet e vi que são sintomas da esquizofrenia essas vozes, e agora eu estou com isso na cabeça, porque minha avó materna tinha essa doença, e agora estou com o medo de ter essa doença misturado com o pânico, e no momento estou sem condições financeiras para ir a um médico especialista, gostaria da sua ajuda, o que são essas vozes?

Devo preocupar-me?

 

Caro V.,

Ouvir vozes ou barulhos podem ser produto da sua imaginação. Essas vozes podem ser entendidas quase como um exagero na dose daqueles diálogos internos que temos em nossas mentes todos os dias, enquanto debatemos com nós mesmos o que fazer. 15% das pessoas que relatam ouvir vozes não foram diagnosticadas com qualquer distúrbio psicológico.

É preciso entender as vozes como parte de si, que revelam suas preocupações subconscientes.

De qualquer maneira para gerir melhor esses seus problemas é preciso fazer uma terapia com um especialista .

Abraço.

 

 

Ouvir vozes

portinari11.jpg

 

Olá, Dra.

 

Como vai? Sou Maísa, tenho 20 anos. Gostaria de conversar sobre algo que vem acontecendo comigo. Desde pequena, antes de dormir, eu escuto vozes na minha cabeça, às vezes são de pessoas conhecidas, outras eu não sei de quem são. Isso nunca me incomodou muito pois acontecia sempre antes de dormir, ou quando estou com muito sono, com a cabeça cansada. Quando durmo pouco, também, minha cabeça fica super confusa, estranha, como se meus pensamentos gritassem. Essas vozes conversam entre si ou simplesmente falam coisas aleatórias, não me lembro o que falam, são coisas que não fazem muito sentido, como que um "pré-sonho". Não confundo com vozes reais, sei que são da minha cabeça... 

 

Mas de um tempo pra cá, desenvolvi ansiedade em excesso, quadros de síndrome do pânico, porém com acompanhamento psicológico melhorei bastante. Nunca conversei com a minha psicóloga sobre ouvir essas vozes, pois como disse, elas não chegavam a me incomodar. O problema é que com a ansiedade, tudo me preocupa demais e sempre coloco na minha cabeça que estou com alguma doença, seja risco de enfartar até outras coisas e agora tenho medo de Esquizofrenia. Assim, não sai da minha cabeça que essas vozes são um dos sintomas, que eu estou ficando louca e parece que por pensar assim, sempre que vou dormir eu presto mais atenção nelas e elas ficam mais evidentes. Depois eu passo o dia inteiro pensando nisso, se estou doente... Essas vozes podem ser um sintoma? Durante o dia não ouço nada, mas sinto alguns desconfortos, como já te disse, barulhos altos me incomodam, parece que ficam ecoando na minha cabeça, além de outras sensações ruins que imaginam ser por ansiedade.

O pior de tudo é que minha família está passando por uma crise financeira e eu não tenho mais condições de pagar um tratamento com psicólogo. Tento me convencer de não é nada demais, mas creio que a ansiedade não me deixa desligar. Por favor, me ajude. Aguardo resposta,

MM

 

Cara MM,

 

Não está a ficar louca, mas é melhor tratar esses sintomas para que não se agudizem. Pode procurar um médico psiquiatra para ver se é o caso de tomar algum medicamento que alivie a sua ansiedade.

Muitas vezes essas vozes são simplesmente parte de si que revelam suas preocupações subconscientes.

O importante é como interpreta estas vozes. Se acredita que todas as outras pessoas são agressivas, pode vir a interpretar as vozes como hostis, poderosas ou danosas. Por outro lado, se tem experiências de vida mais positivas e uma imagem mais positiva de si mesma e de outros pode desenvolver uma visão mais positiva das vozes. Segundo estudos, as pessoas que ouvem vozes geralmente tiveram uma infância traumática.

 

A melhor maneira é ter consciência que essas vozes são parte de seus pensamentos, é como pensar alto.

 

Um abraço