Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Consultório de Psicologia

Espaço de transformação com a finalidade de orientar, ajudar, esclarecer dúvidas e inquietações. Encontre equilíbrio, use sua criatividade e deixe fluir sua energia. Mariagrazia Marini Luwisch

Consultório de Psicologia

Espaço de transformação com a finalidade de orientar, ajudar, esclarecer dúvidas e inquietações. Encontre equilíbrio, use sua criatividade e deixe fluir sua energia. Mariagrazia Marini Luwisch

Consultas de Psicologia Online

38.jpg

Psicologia ONLINE

A emergência sanitária que investe o nosso mundo chama-nos a dar uma resposta de aproximação aos que estão a viver uma forte situação de desconforto psicológico.

Para uma primeira consulta podem contactar-me em:

mariagrazia@sapo.pt

tel: 914 749 474

Vamos todos ficar bem  Mariagrazia Marini

Psicologia ONLINE in Italiano

L'emergenza sanitaria che investe il nostro mondo ci chiama a dare una risposta di vicinanza a coloro che vivono una forte situazione di disagio psicologico e emozionale.

Per una prima consulenza contattatemi :

mariagrazia@sapo.pt

t: 914 749 474

Consultório:
Av. Luís Bivar 93, 6º E
1050-143 LISBOA

Andrà tutto bene  Mariagrazia Marini

 

Muita ansiedade

37.jpg

Olá Boa tarde,

Preciso de ajuda por favor. Eu sempre fui muito ansiosa, mas desde a minha gravidez eu piorei comecei mesmo a ter sintomas físicos.

Neste momento há um que me atormenta muito e sinceramente, tenho medo que possa ser algo de grave, sinto um gelo saindo de mim. É como se estive se sempre com o corpo dentro de um ar condicionado, ataca muito a cabeça, olhos, braços e pernas não é tudo ao mesmo tempo. O que poderá ser? Se poder ajudar-me agradeço muito  obrigada

 

Cara Leitora,

Tal como acontece com os pensamentos negativos, por vezes também nos debatemos com sensações físicas, sentimentos e emoções negativas e desconfortáveis. Esta luta pode por vezes deixar-nos abatidos, com receios, desanimados, contribuindo assim para um maior sofrimento emocional e psicológico.

Cada emoção que sentimos prepara o nosso corpo para uma reação específica. O fato de experienciarmos emoções desagradáveis não significa ausência de saúde mental ou que algo de errado se passa connosco.

Nunca é demais reforçar que não há emoções positivas ou negativas, todas têm um papel fundamental na nossa adaptação. O que prejudica o nosso funcionamento é o excesso emocional. As emoções têm uma manifestação corporal intensa, a energia da emoção espalha-se pelo corpo e produz diversos movimentos. Estas sensações físicas e sinais corporais são coerentes com o que estamos a sentir e é através deles que podemos identificar qual a emoção que sentimos.

 

Na tristeza e no medo há como uma sensação de frio que nos invade. Este “arrefecimento” implica uma falta de mobilização que se traduz na perda de interesse nas atividades e ao estarmos tristes nos recolhermos. Precisamos desse tempo para recuperar energia e avaliar as consequências de uma perda, para depois nos redirecionarmos para outras emoções e ações.

Esse sentimento de gelo que arrefece o seu corpo pode estar relacionado com a sua ansiedade e um sentimentos de tristeza, talvez relacionados com pensamentos inconscientes de medo relacionados com a perda da sua independência e aumento de responsabilidade vividos após a sua gravidez.

Procure ter pensamentos positivos e quando sente esses sintomas físicos dedique-se a trabalhos manuais como: costuras, desenhos, escritos, limpezas, tricô, arrumação, culinária, etc.

Ter mais responsabilidade pode-se resumir numa grande alegria e prazer de nos sentirmos úteis e importantes para a nossa família.

Fique bem

 

 

 

Enfrentar ansiedade por coronavírus

36.jpgComo enfrentar ansiedade por Covid 19

A primeira regra a ser cumprida é: ater-se aos fatos, isto é, ao perigo objetivo: apenas 5% das pessoas infetadas com coronavírus têm problemas graves e, dentre elas, somente metade morrem e geralmente são as pessoas afetadas por outras patologias.

A segunda regra é: não confunda uma única causa com um dano colateral. Muitas mortes não são causadas apenas pela ação do coronavírus.

A terceira é mais uma observação: se o pânico se tornar coletivo, muitas pessoas sentem ansiedade, querem agir e fazer algo para reduzir a ansiedade, o que pode gerar stress e comportamentos irracionais e improdutivos. É preciso controlar as emoções, fazer uma pausa para raciocinar e avaliar dados objetivos.

Última regra, não procure obsessivamente a invulnerabilidade: é contraproducente porque nos torna excessivamente medrosos e incapazes de enfrentar o futuro, por estarmos muito fechados em nós mesmos.

 

Boas práticas para evitar ser dominado pelo medo:

  1.  evite a busca compulsiva por informações;
  2.  use e divulgue fontes de informação confiáveis, oficiais, atualizadas e credenciadas, a partir do Ministério da Saúde e do Instituto Superior de Saúde;
  3.  ser responsável, porque o coronavírus é um fenómeno coletivo e não individual, e, como no caso das vacinas, devemos nos proteger como "coletivos".

Mulher, símbolo universal da criação

6C2BC8D8-715C-40A9-A7E4-0C8177D77EF2.jpegAs mulheres são doçura e ternura.
Goethe disse que, quando pensamos na primeira criação, pensamos no Sol (a semente), mas quando nos referimos à criação em todos os seus aspectos, pensamos na Lua, o símbolo universal do feminino (o útero).

As mulheres são, portanto, as guardiãs da arca do tesouro da vida: parabéns a todas as mulheres! 
 
 

Casal a três

35.JPGEstamos juntos há 5 anos, 3 de namoro e 2 de casados, meu esposo é mais liberal tem a cabeça aberta como dizem hoje em dia, ele gosta de viver coisas novas, ele expressou a vontade de um trisal, comenta também de flertar com outras mulheres, ele fala isso como se fosse algo normal (não que não seja para alguns) mas pra mim não é, eu me sinto satisfeita com ele, o desejo, flerto com ele, tudo com ele, sou tipo de mulher que não consigo nem admirar a beleza de outras homens talvez o meu modo de amar seja tão forte e sólido que veta outros sentidos de convivência que talvez sejam normais.

Enfim, vivemos este dilema, tudo que no momento ele tem vontade eu não consigo gostar e até me dói pensar no acontecido, iremos partir para a terapia de casal, ele comentou que talvez possamos chegar ao meio termo mas em meio tudo que já conversamos não consigo abrir minha cabeça como a maioria das pessoas, eu sou monogâmica e acho uma total falta de importância e coerência colocar o relacionamento neste risco, eu gostaria de ter uma comentário profissional sobre o meu caso, estou pensando seriamente em separar já que não estamos nos entendendo neste ponto talvez seja melhor que doa agora!

Cara Leitora,

Num relacionamento ninguém é perfeito e, embora assim possa parecer no início do casamento, várias características vão aparecendo para mostrar que é preciso ceder, adaptar-se e, principalmente, respeitar.

Se os traços de personalidade que vão surgindo com o tempo não violentam seus valores fundamentais, vale continuar a investir na relação. Mas quando surgem comportamentos inaceitáveis, como esse que diz que ofendem seus valores éticos e morais, penso que vai ser difícil lutar para transformar o desejo de seu marido. Entretanto sempre vale dialogar com ele para chegar num acordo e perceber se isso é mesmo importante para ele. Talvez seja hora de parar para refletir sobre o que exatamente espera de um relacionamento e se será possível viver feliz com o seu atual companheiro.

Se sentir que isso não é possível, a solução passa por uma separação.

Tudo de bom

O Poder da Máscara

gif-mardi-gras-carnaval-8.gif

O Carnaval é uma festa conhecida por deixar as pessoas mais “livres”, ou “menos reprimidas”.

O significado mais oculto de mascarar-se é ter a oportunidade de tirar a própria "roupa" e assumir uma outra aparência. A escolha da máscara representa uma maneira de violar regras, papéis e convenções e também tem o poder de ocultar alguns aspetos psicológicos.

Quando uma pessoa mascara-se, tem a possibilidade de assumir a aparência de outra pessoa, geralmente muito diferente da sua própria identidade e tem a possibilidade de expressar aspetos seus que nega na quotidianidade.

Com uma máscara a pessoa pode externalizar e dar vida a fantasias que nunca faria normalmente, por medo de mostrar aspetos desconhecidos de si própria.

A máscara é uma imagem muito usada no campo psicológico como algo que acompanha os indivíduos diariamente e que desempenha um papel social particular e importante.

Isso significa que, além de um período em que a máscara permite obter uma nova identidade, muitas vezes revertendo papéis sociais e a realidade, é importante ter a consciência de que nunca estamos verdadeiramente livres de máscaras, se não, talvez quando estamos sozinhos connosco.

Vista a sua máscara e aproveite a festa do Carnaval com responsabilidade, respeito e gratidão!

i_carnaval.gif

 

 

Infidelidade e confiança

34.jpgVou contar um pouco da minha história...
Conheci meu marido aos 13 anos de idade, iniciamos um namoro quando eu tinha 14, namoramos por 5 anos e somos casados a 12 anos e meio, isto é, quase 18 anos juntos.
Antes de casarmos me encantei por um rapaz do meu serviço, mas nunca tivemos nada além de conversas impróprias pra uma moça comprometida, mas meu marido, namorado na época, era muito ciumento e desconfiado, me colocava contra a parede por diversas vezes até que um dia, confessei que me tinha iludido com essa pessoa, mas que me arrependia muito e queria seguir em frente com ele... Seguimos em frente, nos casamos, tivemos nosso primeiro filho, mas continuei no mesmo emprego e o dito rapaz também, nossa relação mudou quando casei e não quis mais ficar de conversinha, eu realmente queria ter uma vida feliz ao lado do meu marido, porém as desconfianças continuavam e eu sofria com aquilo, pois estava sendo fiel ao nosso relacionamento.


Frequentei durante muito tempo a igreja, inclusive foi onde nos conhecemos e nos casamos, mas após alguns meses do nascimento do nosso filho, meu marido não quis mais ir e com o tempo eu também deixei de ir, isso mudou toda nossa vida.
Meu marido saía para beber e me deixava sozinha com o nosso filho em casa aos finais de semana, passei por muitas coisas, durante muitos anos, a desculpa dele era que eu tinha dilacerado o coração dele quando gostei de outra pessoa e eu acreditava nisso e me culpava muito, sabia que era isso realmente, mas eu estava tentando consertar essa parte da nossa história, eu nunca tinha o traído de fato, mas pra ele, aquilo já tinha sido uma traição... Apesar de todo esse sofrimento que eu sentia por ele me deixar e ir para as noitadas, tínhamos uma vida razoavelmente boa, com altos e baixos, ele nunca me bateu, nunca me tinha traído também, que soubesse... Ele me amava, me tratava bem, mas toda briga que tínhamos jogava na minha cara...
Em meio a tudo isso, eu me sentia traída, desconfiava de tudo, como pode um homem sair todo fim-de-semana e não conhecer uma mulher que lhe agrade, que te faça querer trair, comecei a ficar cada vez mais angustiada e voltei a ter conversas inapropriadas com aquele meu antigo colega de trabalho, ainda trabalhávamos juntos e ele era sempre muito atencioso comigo, a gente conversava muito, éramos amigos, apesar de tudo e tinha esse lance entre nós, um flerte... até que um dia ele foi me deixar próximo de casa e me deu um beijo, fiquei sem reação na hora, mas aceitei e aí começou a minha traição, foram 2 anos mentindo pro meu marido e me relacionando com este colega, eu me sentia um lixo, porque amava meu marido, mas quando vi tinha tomado uma proporção enorme e era muito difícil sair dessa situação, durante estes anos, me separei por diversas vezes, mas voltava, estava disposta a largar tudo e ficar com meu amante, eu gostava muito dele, mas também amava meu marido, mas a gente estava separado por burrice dele, passava noites fora de casa e eu não aguentava mais aquela vida... No fim, eu percebi que o amante não queria nada mais sério comigo e sofri muito durante um tempo, mas decidi terminar por ali, fiquei sozinha por alguns meses até que o meu marido me procurou querendo voltar, dizendo que seria diferente, voltei e dali em diante resolvi também ser uma pessoa diferente, não tinha um dia que eu não me arrependesse do que eu tinha feito...
Depois de 3 anos que eu havia terminado esse caso, sofri um acidente e tive que ficar em casa por um tempo, nesse período meu marido fazia tudo em casa, saia as vezes com os amigos, mas nada como antes, era uma pessoa realmente mudada.


Um dia em meio a uma conversa nesse período que estava com o braço quebrado, ele me colocou contra a parede, dizendo que sabia que eu tinha tido um caso com o fulano e eu acabei confessando, choramos muito, eu disse o quanto me tinha arrependido, no fim ele disse que tinha jogado um verde e infelizmente isso era verdade... foi muito doloroso pra nós dois, mas ele me perdoou e seguimos em frente.
Um tempo depois fiquei grávida e essa criança foi a nossa salvação, nosso casamento reacendeu e ficamos felizes novamente, ele me amava, ele me tinha perdoado, apesar de tocar no assunto algumas vezes e jogar isso na minha cara em algumas situações, com o tempo isso foi melhorando... mas ele nunca se esqueceu, ainda mais por ser com a mesma pessoa que ele já tinha ciúmes desde sempre... Enfim...


Já se passaram 4 anos que ele soube e 7 anos que nunca mais vi a pessoa que traí ele, pois ele foi demitido logo após terminarmos, uma bênção pra mim na época, pois nosso laço terminava ali, ele me procurou muitas vezes após a demissão, mas eu fui firme e realmente não queria mais aquela vida pra mim, fugia totalmente dos meus princípios e valores, era muito imoral, troquei meu telefone, bloqueei nas redes sociais, enfim, ele sumiu da minha vida e eu da dele...
A 1 ano mudamos de cidade, eu e minha família, por causa do meu trabalho e fizemos como um recomeço, "nova vida", a gente dizia e no início foi uma maravilha, a alguns meses meu marido passou a sair todos os finais de semana com a desculpa de que precisava ter uma "vida social", ver os amigos e eu acreditava nisso, sempre confiei nele cegamente, ele me cobrava muita atenção apesar de sair aos fins-de-semana e reclamava que eu estava muito ausente, eu tentava explicar que nossa bebé me tomava muito tempo e eu estava cansada, mas que o amava muito... ele trocou a senha do celular após eu ver uma ligação de uma mulher que eu não conhecia, eu não podia mais ver o celular dele, fiquei muito desconfiada, mas aceitei aquilo como uma boba e o tempo passou, vivíamos bem, até o dia 13/12/19, 2019 tinha sido "o melhor ano da minha vida", muitas coisas boas aconteceram e eu dizia isso, "o melhor ano", consegui tirar minha carta, comprei meu carro, trabalho próximo de casa (antes gastava de 6 a 8 horas no trânsito ida e volta), enfim... no dia 13/12, meu marido chegou em casa um pouco mais tarde com a desculpa de que estava no trânsito, eu estava bem com as crianças quando olhei pra ele vi que ele estava prestes a chorar, eu disse " não está tudo bem, o que houve?" ele disse "precisamos conversar" eu prontamente fui conversar com ele longe das crianças pois parecia ser muito sério e veio a notícia que eu nunca esperei ouvir na minha vida "eu me relacionei com outra pessoa e agora ela me diz que está grávida e o filho é meu" me contou chorando, falando que estava muito arrependido de tudo e que já fazia um tempo que não a via, que fez isso porque estava muito carente e em uma noite bêbado na balada aconteceu... estava achando que eu não o amasse mais... eu fiquei imóvel, não acreditava no que tinha ouvido... foi a maior tristeza da minha vida, está sendo a maior tristeza da minha vida, eu não sei o que pensar mais, não sei o que devo fazer, não conversei com ninguém sobre isso, não tenho mais lágrimas pra chorar.


Decidi que vou tentar passar por isso com ele, ele não ama a amante, não estava mais saindo com ela, já se tinha arrependido antes dessa notícia, mas agora ele vai ter um filho com outra, uma pessoa desconhecida, eu não sei o que esperar, ele certamente não é um pai que abandonaria o filho, mas também não quer que ninguém saiba disso, tenho medo do que está por vir...
Ele se mostra muito arrependido de tudo e eu entendo perfeitamente, afinal também me envolvi com alguém antes, mas o resultado dele confiar em uma pessoa que ele não conhecia, dizia que tomava anticoncepcionais e sabia q ele era casado, que provavelmente fez isso de caso pensado, isso resultou em um filho e não tenho como passar uma borracha nesse resultado...
Estou tentando ser forte e ficar ao lado dele, ele disse que não vai abandonar a criança, e eu não quero isso também, quero cuidar desse filho com ele, até me ofereci pra criar esse filho com ele se ela aceitasse, mas a mãe da criança nunca aceitaria isso...
Hoje eu me sinto possessiva, vivo angustiada, se eles conversam, o que eles conversam, ele ainda não me deixa ver o celular dizendo que não quer brigar por besteira, se ela mandar uma mensagem, vou achar ruim, isso me está consumindo de desconfiança, as vezes tenho umas crises de ciúme.
Eu só queria que tudo passasse... Ele não sai mais e sei que está sentindo falta, eu quero confiar nele, mas é muito difícil, acho que se eu não tivesse traído também, nunca aceitaria passar por isso, mas como traí, sei que muitas vezes a gente acaba se envolvendo tanto que não consegue sair até que seja tarde...


Queria muito saber sua opinião... tem horas que me bate o desespero, a angústia, converso com ele e ele sempre me pede perdão dizendo que a culpa foi dele, pra eu não me culpar, apesar de tudo, confio que ele esteja realmente arrependido e não tenha me traído com outras pessoas, mas ao mesmo tempo, não consigo parar de pensar no futuro...

Cara leitora,

Não há fórmula mágica que permita solucionar esta questão. O segredo começar a viver o momento presente, com toda a sua experiência do passado e esperar que as coisas aconteçam antes de se adiantar a elas. Sinta cada dia como um novo dia.
Já passaram tantos anos juntos, tantas experiências e os erros do passado não precisam se repetir no futuro.
Após 18 anos juntos, vale tentar reconstituir a confiança.

 

Dicas para confiar:
Perdoe: a mágoa pode ser muito destrutiva, pois é ela que nos deixa remoendo os acontecimentos do passado e ainda mantém vivo o sentimento de vingança, o que não é nada bom para um relacionamento em crise.
Cuide da imaginação: nossa mente é poderosa e capaz de criar situações muito piores do que a realidade. Se perdoou e voltou com ele, assuma essa escolha e pare de imaginar coisas, pois isso só vai gerar mais desconfiança e conflitos.
Aprenda a expressar seus sentimentos: é muito importante falar sobre os seus sentimentos de maneira clara e sem ofensas. Outro detalhe crucial é ouvir o outro com atenção. Só assim vão conseguir restabelecer a confiança.

Tudo de bom

Amor

33.jpgAMORfb_0ba41c4cab341aba8aca35ffdc1b2670

 

“Amor é fogo que arde sem se ver”, Luís de Camões.

 

A primeira grande relação de amor é a vinculação afetiva, expressa pelo cuidado e vivida pelo sentimento de ternura e os seus derivados como a compaixão e a admiração. Em todos os tipos de relações amorosas, a bondade e a preocupação com o bem-estar do outro surgem como um ponto essencial para um relacionamento saudável.
É preciso lembrar que violência não é amor. Expressar amor é nutrir as nossas relações com bondade e compaixão, para ter uma vida mais feliz, equilibrada e harmoniosa.

Ciúme da ex

32.jpg

 

Gostaria muito de saber como faço pra lidar com o ciúme da ex mulher do meu namorado. Ela fica pedindo as coisas pra ele. Ela já arrumo outro, já até mora junto, mas fica pedindo as coisas para o meu namorado.

Não acho certo a relação dele com ela, mesmo que seja assunto sobre os filhos, mas não é o que eu sinto, é que ela manda nele, faz o que quer e ele fica quieto. Me diz que faz pelos filhos, ele já da pensão o que mais ela quer fica marcando território não estou aguentando. Eu sai de um casamento de 20 anos, sofri muito meu namorado também saiu de um casamento de 30 anos sofreu muito, foi chifrado a vida toda e agora a ex dele age como uma coitada. O que ele me passa é que tem medo dela. Eu acho que não vou aguentar, ele tem um filho autista, chega fins de semana ele vem com a gente não estamos tendo privacidade. Trabalhamos a semana toda e quando chega fim de semana o menino vem aí e ele fica curtindo.

Cara leitora,

se gosta dele e quer continuar com ele vai ter que ter paciência com a ex e com o filho dele e não reclamar, pois é uma situação estabelecida. Quando o conheceu ele já tinha a ex e o filho. Ou seja tem que aceitar o seu namorado como ele é, com a situação familiar que ele tem. Ao sentir ciúme e criticar vai estragar o relacionamento. Não pode pretender que ele  abandone o filho e que se desentenda com a ex. Ex esposa quando há filhos é para sempre. Procure gerir aproveitando os bons momentos.

Se acha que não aguenta, o melhor é terminar o namoro.

Compartilhar sentimentos

31.jpgBom dia.
Me sinto muito desconfortável por ser negada a me relacionar com alguém.
Sofro muito com sentimento de ter sido descartada.
O mesmo sentimento apareceu de diversas formas na minha vida. Com a separação dos pais, com o término do primeiro namoro de 2 anos e até pela escolha do marido com receio de que não fosse aceita por mais ninguém. Em fim, após 7 anos de namoro e 13 de casados, percebi que vivi por todo esse tempo um relacionamento abusivo.


Decidi separar tamanho desrespeito era a relação conjugal. Enfim, me interesso por homens inteligentes, com moralidade aparente, porém eles não aceitam se relacionar comigo. Tenho um casal de filhos e esse fato pode ser determinante na decisão deles.
Então... Porque sofri tanto? Mesmo sabendo disso tudo? É como se eu não admitisse ou aceitasse esse não, colocando em questão tudo o que ouvi a vida inteira do marido e família, que eu era difícil e insuportável.
Aguardo retorno. Obrigada.

 

Cara Leitora,


Se ainda não encontrou uma pessoa que sinta adequada a partilhar a sua vida, não é o caso de se sentir difícil e insuportável, mas talvez seja o caso de refletir se há algo que possa mudar ou algum movimento que possa fazer, para se tornar uma pessoa mais acolhedora e empática. Procure descobrir o que deve ser modificado na sua vida e como pode mudar a sua forma de encarar as situações, para chegar num estado mais harmonioso de ser.
Se está em busca de um relacionamento para se tornar uma pessoa feliz e satisfeita com a vida, a possibilidade de dar errado é grande.
Se está à procura de respostas, melhor olhar dentro de si. Busque um estado de completude dentro de si, porque, provavelmente, está a buscar do lado de fora as coisas que sempre estiveram do lado de dentro.


Dessa forma poderá encontrar um relacionamento onde ser autêntico e verdadeiro será algo natural, onde se apresentará completamente para a outra pessoa e poderá dividir e partilhar os seus sentimentos com ela e, mesmo não dependendo dela para saber o que é a felicidade, poderá escolher ser feliz ao lado dessa pessoa.