Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Consultório de Psicologia

Espaço de transformação com a finalidade de orientar, ajudar, esclarecer dúvidas e inquietações. Encontre equilíbrio, use sua criatividade e deixe fluir sua energia. Mariagrazia Marini Luwisch

Consultório de Psicologia

Espaço de transformação com a finalidade de orientar, ajudar, esclarecer dúvidas e inquietações. Encontre equilíbrio, use sua criatividade e deixe fluir sua energia. Mariagrazia Marini Luwisch

Desgaste e traição

65.jpg

 

Estou sem direção...

Tenho 21 anos e ele 24 anos. Namoro desde meus 14 para 15 anos, estávamos 6 anos juntos. Perdi minha virgindade com meu namorado e estava com ele até essa semana, quando descobri que ele me traiu pela primeira vez. Nosso relacionamento já estava um pouco frio, ele reclamava que eu não dava mais atenção como antes para ele, dizia que se sentia sufocado por sermos muito possessivos um com o outro, nunca havíamos terminado. Nesses últimos meses tentamos terminar umas 3 para 4 vezes e não conseguimos por fraqueza talvez, amor... ou costume. Ele está muito mudado, como eu também. Eu o amo demais, ele diz que me ama muito e se arrepende pelo que fez. Diz que não mereço ele, que fui a melhor coisa que aconteceu na vida dele. Vamos lá....

Final de semana passado descobri vasculhando no celular dele que ele me traiu com uma garota de programa, chamou ela para ir na casa dele..

Porém, essa última semana depois do que ele fez eu percebi que ele estava diferente, se sentindo culpado, eu sabia que tinha alguma coisa errada. Então foi aí que decide vasculhar mais o celular dele onde encontrei o indício da traição. Sempre tive o costume de olhar o celular dele, nunca nos privamos disso. E então fiquei pressionando ele por uns três dias até ele me falar a verdade. Ele inventou bastantes histórias até que consegui arrancar a verdade. Eu sei o motivo que levou ele a fazer isso, eu realmente deixei a desejar, sei que foi por sexo, se não ele teria encontrado alguém e me trocado, não pagaria uma puta para isso. Pelo menos é o que eu penso e vejo no momento.  Porém eu não merecia que ele fosse tão sujo e baixo comigo, nunca fiz nada contra ele. Estou me sentindo péssima, terminei com ele, pedi um tempo para pensar. Sempre deixei bem claro que se isso acontecesse seria o fim do nosso relacionamento. Porém agora eu entendo que quando acontece com a gente é totalmente diferente.

Eu estou com muita raiva, mas ao mesmo tempo só quero que tudo volte ao normal e que sejamos felizes. Mas sei o quanto sou rancorosa, tenho medo de voltar e ficar um relacionamento muito pior do que já estava, pois está sendo muito difícil para mim confiar nele novamente. Estou tirando um tempo para pensar, mas realmente estou perdida.... Sempre vivi muito por ele e não houve reciprocidade. E hoje me encontro sozinha sem saber o que fazer. Gostaria muito de voltar com ele, mas não sei como lidar com isso. Amo muito ele, será que serei capaz de esquecer e recomeçar do zero?

Cara leitora,

Não sei se vai conseguir esquecer, mas poderá perdoar e se sentir que o seu relacionamento merece uma segunda possibilidade, não alimente a paranoia.

Por mais que a sua insegurança seja compreensível, não tente espioná-lo, sufocá-lo ou privá-lo de fazer as coisas que ele gosta. Num relacionamento cada um deve ter o seu espaço e a sua privacidade. Isso vale também para o vasculhar o celular.

A confiança vai levar tempo a ser reconstituída, mas quando existe amor, tudo pode ser recomposto.

O começar o namoro muito jovem e ainda deixar a desejar em relação ao sexo, podem ser fatores que contribuíram para que essa situação acontecesse.

Provavelmente a sua autoestima também vai sofrer um impacto, mas com a sua força e dedicação vai conseguir recuperar. Invista em si, em coisas que goste. Pratique atividades físicas, comece um curso ou faça leituras que agreguem positivamente em sua vida.

O importante é ocupar o corpo e a mente com pensamentos enriquecedores.

Caso sinta que não consegue superar o sucedido, procure ajuda especializada.

Amor da infância

64.jpgBoa tarde. 

Preciso muito de conselhos e ajuda.

Tive um amor na infância e infelizmente não conseguimos ficar juntos. Cada um seguiu com a sua vida, confesso que ainda o amo e nunca mais amei alguém, meu coração ficou preso a esse amor. Tenho um pessoa na minha vida que me ama e temos 2 filhos, não consigo amar o pai dos meus filhos.

Será que posso ficar com ele por causa dos meu filhos? 

Cara Leitora,

O amor da sua infância, provavelmente, é um amor idealizado, onde tudo é lembrado como maravilhoso e perfeito, mas a realidade atual é outra e o que acredita ser perfeito, quase certeza, será uma desilusão.

Ao pensar no seu amor do passado, deixa de investir na sua relação atual e assim vai prejudicar cada dia a sua família. Para manter uma união saudável e motivadora é preciso investimento. Talvez se olhar mais cuidadosamente para o seu parceiro vai encontrar qualidades e virtudes que possam deixá-la sentir atração e amor.

Reflita sobre essas questões antes de tomar qualquer decisão precipitada, da qual poderá se arrepender mais tarde.

DIA da MULHER

63.jpg

 

Parece gentil e tão honesta 

Dante Alighieri (1265-1321)

 

Parece gentil e tão honesta 

de minha Dama, quando alguém saúda,

que toda boca vai ficando muda

e os olhos não se afoitam de a fitar.

Ela assim vai sentindo-se louvar

na piedosa humildade em que se escuda,

qual fosse um anjo que dos céus se muda

para uma prova dos milagres dar.

Tão afável se mostra a quem a mira

que o olhar infunde ao coração dulçores

que só não sente quem jamais olhou-a.

E quando fala, dos seus lábios voa

Uma aura suave, trescalando amores,

que dentro d'alma vai dizer: "Suspira!"

 

Tanto gentile e tanto onesta pare

Dante Alighieri (1265-1321)

 

Tanto gentile e tanto onesta pare

la donna mia quand’ella altrui saluta,

ch’ogne lingua deven tremando muta,

e li occhi no l’ardiscon di guardare.

Ella si va, sentendosi laudare,

benignamente d’umiltà vestuta;

e par che sia una cosa venuta

da cielo in terra a miracol mostrare.

Mostrasi sì piacente a chi la mira,

che dà per li occhi una dolcezza al core,

che ‘ntender no la può chi no la prova;

e par che de la sua labbia si mova

un spirito soave pien d’amore,

che va dicendo a l’anima: Sospira.

As mulheres possuem uma energia interior primordial que as protegem, confiam no ritmo da vida e mesmo nos momentos mais difíceis e de dor encontram sempre as palavras para ver e ir além.

NÃO à VIOLÊNCIA !!! Feliz dia a todas as mulheres!

Mariagrazia Marini

 

 

 

 

Esquizofrenia

62.jpgDra.

Eu estou com muito medo de ter esquizofrenia, eu não tenho nenhum tipo de alucinação. Não vejo coisas, não ouço coisas... Mas desde que o irmão de uma amiga foi diagnosticado eu passei a ter pânico de doenças assim.

Sempre tive pavor de doenças mentais, isso me causa muita ansiedade, passo o dia na internet pesquisando sobre. Desde que vi que pessoas assim tem mania de perseguição comecei a achar que todos estão falando de mim ou tudo é indireta para mim.

Fico a todo momento olhando para os lados na angústia de ver coisas, qualquer coisa que eu ouço tenho que verificar na angústia de ser algo da minha cabeça.

Cara leitora,

Quais são as suas crenças? O que pensam as pessoas ao seu lado sobre isso?

Sente-se doente mentalmente?

A olhar para os lados já viu algo assustador? Já viu ou ouviu pessoas ao seu lado a falar mal de si?

Se respondeu não a essas perguntas, que deduções pode tirar sobre essas questões?  

A esquizofrenia caracteriza-se por psicose (perda do contato com a realidade), alucinações (percepções falsas), delírios (crenças falsas), discurso e comportamento desorganizados, embotamento afetivo (variação emocional restrita), deficits cognitivos (comprometimento do raciocínio e da solução de problemas) e disfunção ocupacional e social. 

Acalme-se. O seu problema está relacionado com um transtorno de ansiedade de doença.

 Siga em frente na sua vida, sem se fixar em problemas de outras pessoas.

Contudo, se a sua ansiedade persistir procure ajuda especializada.

Tudo de bom para si.

 

Origem do dia de São Valentim

imgCoracao.gif

Ao longo dos séculos, diferentes tradições se sobrepuseram, a mais antiga remontando à Roma clássica.

Em meados de fevereiro, mês dedicado à purificação, os romanos celebravam a Lupercalia, festas que relembravam o ciclo da vida e da fertilidade.

Esses dias eram dedicados ao deus Fauno, em seu significado de Lupercus, protetor do gado e dos campos, e incluíam uma série de rituais que queriam dar vida a um processo de renascimento através do caos ancestral.

Nascido em Interamna Nahars na Itália (hoje Terni), em 176 DC, Valentino é bispo e mártir da Igreja Católica.

As razões pelas quais ele foi escolhido como o santo padroeiro dos amantes não são totalmente certas. Outra lenda conta que ele arrecadava dinheiro para comprar presentes de jovens órfãos, para que se casassem.

Outra lenda diz que ele arrecadou dinheiro para oferecer a jovens órfãos, para que eles pudessem se casar.

Por isso circula a teoria desse dia estar associado ao romance ou ao início de um amor.

 

Bom São Valentim!

 

 

 

 

 

Sentir emoções

61.jpg

Olá, me identifiquei muito, eu escrevi um poema enorme sobre isso, quando leio choro e não sei porque.

Eu sentia muita raiva constantemente e não entendia, era como algo crescendo dentro de mim, sentia às vezes como se tivesse duas de mim dentro de mim mesma e isso me incomodava às vezes e outras vezes não, e essas vezes eu não ligava ou me sentia superior e tratava muitos mal sem me importar com o que sentiam.

Passei anos por isso, então numa noite eu me entreguei para uma luz e falei para me preencher, no outro dia eu parecia uma criança, eu senti certas coisas que não sentia há anos, e era incrível eu estava supersensível, qualquer tom diferente eu chorava, era tudo como se fosse a primeira vez.

Fiquei com muito medo de voltar a ser como antes, me sentindo superior às vezes e também com uma raiva extremamente grande.

Com o tempo eu parei de sentir certas emoções e as sinto raramente, agora eu sinto muita indiferença para muitas coisas, e como se fosse aquilo e pronto sabe...sem me incomodar, espernear nem nada...eu ainda sinto certas coisas.

Eu não tenho irmãos que sejam de pai e mãe, apenas de mãe ou apenas de pai, na época de raiva e sem sentimentos um avô de um de meus irmãos faleceu e era como se eu não me importasse, eu não sei...e recentemente mais 2 avós de outros morreram e sem a raiva para mim era como se fosse isso sabe... e como se eu me conformasse mais rápido que as pessoas, às vezes eu não sinto falta das pessoas, da minha família, mas outras pequenas vezes eu sinto como se fosse saudade.

E eu amo poucas pessoas, é difícil eu considerar alguém meu amigo. Sou muito resistente a dores físicas também, às vezes me perguntam se está doendo e não sinto nada. Fiz uma queimadura solar de segundo grau e todos ficaram preocupados e querendo me entupir de remédios, mas eu não sentia dor, só sentia se encostasse na bolha maior, e isso além de parecer que as pessoas estavam se preocupando mais do que eu.

E mais uma coisa, não me importo se não acreditarem, mas vou falar, eu consigo mudar o que eu sinto só querendo mudar, seja dor física, prazer, lágrimas, indiferença. Se algo me afeta e muitas outras coisas, sejam elas emocionais ou físicas, vou dar exemplos de física também...quando bato ou faço algo que dói eu simplesmente fecho meus olhos e me concentro naquele ponto, fazendo ele parar de doer.

 

Cara Leitora,

As emoções fazem parte do mais importante sistema de processamento de informação do organismo e tiveram a sua origem na história evolutiva das espécies, trazendo vantagens de sobrevivência.

Apesar de o corpo ser o "palco" das emoções, alguns indivíduos não conseguem perceber a repercussão das emoções e acabam por perder a capacidade de integrá-las às suas experiências. Em psicologia chama-se de ausência de awareness, ou seja, da incapacidade de simbolizar a experiência corporal.

Essa capacidade também pode ser perdida em função de processos evitativos generalizados. Como exemplo de emoções que costumam ser evitadas ou não simbolizadas, temos a raiva e a tristeza. A incapacidade de regulação emocional está presente em indivíduos que sobrerregulam (que controlam a emoção excessivamente) e perdem a capacidade informativa da emoção e naqueles que sub-regulam a emoção (e sentem-se invadidos e inundados por ela).

Se quiser mudar algumas atitudes, consideraria uma ajuda especializada, para que possa entrar em contacto com as suas necessidades emocionais não atendidas e dores mais centrais, e assim poder gerar novas emoções, além de criar novas narrativas a partir das experiências emocionais vivenciadas.

Tudo de bom

Sentimento volátil

60.jpg

Olá, queria entender o porque tenho a necessidade de estar com uma pessoa..

Então luto por uma pessoa, faço de tudo por ela ..

Pra ter ela..

Sou carinhosa, dou atenção, trato igual uma rainha..

Pois no momento, no início eu sinto que amo desesperadamente essa pessoa..

Mas depois parece que esse sentimento morre..

Fico fria, não consigo dar carinho..

Não consigo ser recíproca e acabo magoando as pessoas ..

Mesmo eu querendo muito ficar e amar aquela pessoa..

Eu já não consigo mais..

E todo esse sentimento morre MUITO rápido..

E eu fico mal por isso..

Já perdi pessoas maravilhosas.. Por ser assim..

Cara leitora,

Pelo que refere, o seu sentimento está relacionado com o seu próprio prazer. O seu prazer que está no ritual da conquista, em seduzir e em sentir-se desejada.

Quando o jogo da conquista se impõe ao resultado, fala-se em “síndrome de Afrodite”, a deusa grega do amor, da beleza e da sexualidade. Para as sedutoras persistentes, sentir­‑se desejada é o ganho e contentam-se com isso. O prazer da está no momento inicial em que o desejo começa e para retornar a isso procura outra pessoa. O que querem é retornar ao momento inaugural e único em que o desejo começa. Quando há envolvimento do outro, o interesse esvai.

Sugiro que procure ajuda psicológica. O tratamento é parte de si própria a partir do momento em que identifica conscientemente de que possa ser portadora desse tipo de problema psicológico.

O que é Psicoterapia?

A Psicoterapia:

desbloqueia o passado

clarifica o presente

expande o futuro

 

Se sofre de ansiedade faça o TESTE 

 

 

Prática da Gratidão em 2021

nu.jpg

 

A atitude de sentir gratidão, sentimento que filósofos como Séneca e Cicerone atribuíam poderes taumatúrgicos, aprende-se com a prática.

Na despedida de 2020 apostem num exercício de gratidão: refletir, escrever, fantasiar sobre pequenas coisas das quais somos gratos.

Ao refletir ou descrever uma cena é como se estivéssemos a revivê-la e reforçamos a carga positiva que ela representa, ao que em psicologia chama-se savoring ou seja saborear os prazeres.

Vamos a cada novo dia agarrar a beleza de novos momentos de gratidão para preencher o nosso viver em 2021!

Feliz 2021 Mariagrazia Marini Luwisch

Desmotivada de tudo

58.jpgOlá boa tarde,

Venho por este meio solicitar a sua ajuda para o seguinte, a minha filha tem 18 anos e encontra-se totalmente desmotivada de tudo, escola, casa, etc...

Estou realmente preocupada e não consigo fazer nada, o que me aconselha para esta situação?

Cara Mãe,

Nessa fase de pandemia é comum surgirem mais casos de desmotivação de adolescentes, que tanto pode estar relacionada com o contexto atual, quanto a problemas pessoais ou mesmo a um processo de depressão. É preciso investigar e ajudar.

No caso da sua filha, o melhor é que seja vista por um psicólogo para uma avaliação e um possível tratamento.

Entendo que para uma mãe ter uma filha desmotivada de tudo é exasperante. Nenhuma mãe quer ver uma filha a desperdiçar o seu futuro.

Aqui ficam algumas sugestões:

Procure dialogar com a sua filha, ouça-a, respeite a sua opinião. Fomente a sua motivação com prémios quando cumpre ou algum bónus quando demostra esforço para as atividades diárias.

Não espere resultados imediatos. Motivar uma pessoa pode ser um processo demorado. É preciso paciência e perseverança.

Acima de tudo nunca desista de educar a sua filha cedendo à pressão de a deixar “fazer o que ela quer” ou deixar ir avante. Vai demorar algum tempo, mas num futuro próximo ela irá sentir-se grata.