Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Consultório de Psicologia

Espaço de transformação com a finalidade de orientar, ajudar, esclarecer dúvidas e inquietações. Encontre equilíbrio, use sua criatividade e deixe fluir sua energia. Mariagrazia Marini Luwisch

Consultório de Psicologia

Espaço de transformação com a finalidade de orientar, ajudar, esclarecer dúvidas e inquietações. Encontre equilíbrio, use sua criatividade e deixe fluir sua energia. Mariagrazia Marini Luwisch

Compartilhar sentimentos

31.jpgBom dia.
Me sinto muito desconfortável por ser negada a me relacionar com alguém.
Sofro muito com sentimento de ter sido descartada.
O mesmo sentimento apareceu de diversas formas na minha vida. Com a separação dos pais, com o término do primeiro namoro de 2 anos e até pela escolha do marido com receio de que não fosse aceita por mais ninguém. Em fim, após 7 anos de namoro e 13 de casados, percebi que vivi por todo esse tempo um relacionamento abusivo.


Decidi separar tamanho desrespeito era a relação conjugal. Enfim, me interesso por homens inteligentes, com moralidade aparente, porém eles não aceitam se relacionar comigo. Tenho um casal de filhos e esse fato pode ser determinante na decisão deles.
Então... Porque sofri tanto? Mesmo sabendo disso tudo? É como se eu não admitisse ou aceitasse esse não, colocando em questão tudo o que ouvi a vida inteira do marido e família, que eu era difícil e insuportável.
Aguardo retorno. Obrigada.

 

Cara Leitora,


Se ainda não encontrou uma pessoa que sinta adequada a partilhar a sua vida, não é o caso de se sentir difícil e insuportável, mas talvez seja o caso de refletir se há algo que possa mudar ou algum movimento que possa fazer, para se tornar uma pessoa mais acolhedora e empática. Procure descobrir o que deve ser modificado na sua vida e como pode mudar a sua forma de encarar as situações, para chegar num estado mais harmonioso de ser.
Se está em busca de um relacionamento para se tornar uma pessoa feliz e satisfeita com a vida, a possibilidade de dar errado é grande.
Se está à procura de respostas, melhor olhar dentro de si. Busque um estado de completude dentro de si, porque, provavelmente, está a buscar do lado de fora as coisas que sempre estiveram do lado de dentro.


Dessa forma poderá encontrar um relacionamento onde ser autêntico e verdadeiro será algo natural, onde se apresentará completamente para a outra pessoa e poderá dividir e partilhar os seus sentimentos com ela e, mesmo não dependendo dela para saber o que é a felicidade, poderá escolher ser feliz ao lado dessa pessoa.

Feliz 2020!

29.jpg

Caros leitores, 

O fim do ano é o momento de reflexão e também de espectativas pelo início do novo ano. Não é somente o momento para formular bons propósitos, mas também para fazer um balanço dos 12 meses passados. Pode ser útil refletir sobre o que aconteceu durante os últimos 365 dias, nas metas alcançadas e também nos erros cometidos.

Para iniciar 2020 com mais motivação, mais otimismo e energia vou deixar algumas frases de personagens ilustres para refletir.


“ O melhor modo de predizer o futuro é criá-lo.” Abraham Lincoln

“Tenha coragem de seguir o que seu coração e sua intuição dizem. Eles já sabem o que você realmente deseja. Todo resto é secundário.” Steve Jobs

“Há uma força motriz mais poderosa que o vapor, a eletricidade e a energia atómica: a vontade”. Albert Einstein

"O que seria a vida se não tivéssemos a coragem de fazer tentativas?” Vincent Van Gogh

"Quero que cada manhã seja um ano novo para mim. A cada dia quero ajustar as contas comigo mesmo e renovar-me.” Antonio Gramsci

Feliz  2020 !!!

" Amanhã será somente um dia após o de hoje, não seremos melhores, ao menos que, não tivermos ontem começado a nos trabalhar. Renovem-se a cada dia, com motivação no coração" .

Mariagrazia Marini  Luwisch

 

 

Trauma e ouvir vozes

28.JPGOlá Doutora, tudo bem? Gosto muito do seu site, eu tenho depressão e eu estou escutando vozes internas principalmente antes de ir dormir, Essas vozes elas são aleatórias e as vezes o conteúdo delas tem relação com o que eu estou pensando, não chegam a ser vozes complexas, mas as vezes é como se ela falasse palavras que vão de encontro com aquilo que estou pensando.
Fui no psiquiatra e ele descartou esquizofrenia, mas falou que pode ser depressão psicótica, a minha dúvida é: qual o limite para voz deixar de ser normal e ser considerada psicótica? No meu caso essas que descrevi podem ser depressão psicótica???

 

Caro Leitor,
Ouvir vozes é uma situação comum. Pessoas “supostamente saudáveis” também ouvem essas vozes. A diferença entre vozes patológicas e “normais” está no fato de pessoas não-psicóticas ouvirem essas vozes, mas elas não os incomodar.

Um passado traumático pode predispor as pessoas a ouvirem vozes, como se fossem um efeito a longo prazo do trauma. Nesse caso para o tratamento é preciso fazer uma psicoterapia.

Bom ano

Distante da namorada

27.jpg

Boa noite...
Espero que esteja tudo bem com você...
Eu vim por este meio pedir ajuda...
Estou num relacionamento há 4 meses quase 5, a nossa relação é a distância... Eu tenho 21 anos e ela tem 17... Eu tenho medo disso até, da nossa diferença de idades, que pensem errado, ou que pensem sobre pedofilia... Mas eu não sou assim e até sou muito contra isso... Pelo contrário, eu amo-a de verdade, ela faz me faz sentir único, desejável, faz-me sentir muito bem mesmo, o sorriso dela me encanta a toda a hora, mas a questão nisto nem é isso... Eu sinto falta dela perto de mim... Eu sou de Portugal... Moro perto de Setúbal... E ela é de Santiago, perto de Seia (Serra da Estrela)... Eu tenho pouco dinheiro, sem possibilidades de conseguir visitá-la e ela está na guarda dos pais e ainda é menor então ela também não me consegue vir visitar e também nem eu me sentiria bem que ela viesse sozinha ou mesmo que viesse gastar o dinheiro que necessita para os seus estudos, alimentação etc...
Eu preciso de uma solução para conseguir visitá-la, ter o nosso primeiro encontro... Sim nunca estive pessoalmente com ela e penso nisso a toda a hora... Já sofri muito no meu passado, já perdi muitas pessoas que amava no passado, maior parte pela distância e eu não quero perder ela também, ela é demasiado importante pra mim, eu quero estar com ela pessoalmente, nem que seja 1 vez por mês, mas quero poder abraça-la, dar-lhe mimos e carinho que ela bem merece e precisa, eu preciso de ajuda pra conseguir estar com ela, ou tenho medo que a nossa relação não resulte por conta da distância 😪 eu não quero perdê-la, por favor, me ajude a encontrar solução, eu não sei o que fazer 😪 ela é tudo pra mim 😪 preciso dela perto de mim, custa muito estar longe dela e não ter forma e nem dinheiro pra poder ir visitá-la me está a consumir e a matar aos poucos, eu tenho depressão e estou a começar até a me sentir pior, me ajude por favor 😭💔

 

Caro leitor,


Se quer encontrar essa jovem precisa encontrar uma solução viável. Se não consegue sozinho, peça ajuda a alguém, a um amigo, a alguém da sua família ou procure alguém que vá para Santiago e peça uma boleia ou guarde algum dinheiro para ir visitá-la, enfim encontre uma maneira de ir.
É preciso ter paciência e não se desesperar. Sem conhecer pessoalmente essa pessoa, não pode ter certeza que seja a sua alma gémea e pode ser que seja diferente da pessoa que imagina e portanto melhor manter a calma, não se precipitar e não ficar doente pois pode por tudo a perder.


Procure manter a sua sanidade mental, só assim vai conseguir encontrar maneira para encontrá-la. Entretanto pode sempre se comunicar com ela virtualmente.


Segundo o filósofo Zygmunt Bauman “Uma vez que damos prioridade a relacionamentos em "redes", as quais podem ser tecidas ou desmanchadas com igual facilidade — e frequentemente sem que isso envolva nenhum contato além do virtual —, não sabemos mais manter laços a longo prazo.
Fique bem

Diferença de idade

26.jpgTenho 56 anos e estou com pessoa de 35 anos. A relação começou há 7 anos, damo-nos super bem e amamo-nos. Vivemos a 200 km de distancia e nunca foi problema, ou ele vinha ter comigo ou eu com ele tidos os meses. Ele vivia sozinho, trabalhava, e fazia o diário da casa. Entretanto a loja fechou e foi para casa da mãe onde arranjou trabalho numa fábrica. Vida mais tranquila, está no sítio onde nasceu e com a família.

Esteve a viver com pessoa 6 anos em caldas da rainha, era mais velha, isto pelos seus 25 anos, separou-se e regressou às raízes. Como tem marcas na cara da acne da adolescência, tinha receio em lidar com raparigas, achava que ninguém olhava para ele, mas tem um fundo maravilhoso. A diferença de idade é um ponto que me metia confusão, mas ele é muito maduro. Em junho, disse-me que estava a sair com rapariga e que estava a gostar dela, mas amava-me e queria continuar, pois sou muito importante para ele e nunca se irá afastar. Sofri um impacto que não contava, sofri muito. Disse que aconteceu, mas não sabia o que iria dar. Não entendi, pois se ama, tantos anos e derrepente aposta em outra pessoa.

Continua muito presente, nas mensagens, todos os dias liga até hoje. Comecei a tentar perceber quem era, pois nunca é visto, ninguém sabe. Há pouco tempo criei perfil fake no instagram, para perceber quem seria, ele adicionou-me e descobri através de uns comentários públicos. Muito mais nova, vinte e tal anos. Ele nunca gostou das redes sociais, percebi que criou em abril, até me convenci que a tivesse conhecido por aí, pois ele vive em manteigas e ela é da Covilhã. Adicionei-a e meti conversa, ela disse que trabalhou em fábrica de burel em manteigas, mas não aceitaram o estágio. Percebi então que era a mesma fabrica onde ele trabalha. O meu perfil é de rapariga de 32 anos da Covilhã, auxiliar de fisioterapia. Só fiz isto para entender o que está na cabeça dele, nunca o irei dizer.

Ele fala neste perfil todos os dias e identifica-se como pessoa que gosta de viajar, conhecer sítios novos....ele não é assim, nem tem vida para isso. Ao falar de relações anteriores, fala da ex-companheira, mas de mim não. Conclui que o problema é mesmo esse, não consegue assumir, de certeza que será pela idade. Em sinto que ele me ama, só não entendo o motivo. Quando saio tem ciúmes, diz que afinal não foi nada para mim e que sofre. Mas voltamos sempre ao mesmo, não entendo o que ele quer. A net é novidade para ele, mas dá a impressão que anda á procura, pois a dita rapariga, não me parece que ainda estejam juntos e se estiveram mesmo.

Os meus filhos e amigos aceitam. Passamos sempre fim de anos juntos, este ano não, julguei que passasse com a rapariga mas não, fica no sítio onde está. Tenho casa lá perto e vou fazer fim de ano, de certeza que irá aparecer, mas quem ama gosta de estar com essa pessoa e não está a agir assim. Foram 6 anos sempre juntos nesta altura. Queria perceber o que fazer, ele sabe que espero, mas estou completamente baralhada. Sempre fui eu que pus ponto final nas relações, neste caso, fui trocada, embora ele diga que não.

Precisava mesmo que me ajudasse a perceber.

Cara Leitora,

eu não posso saber o que se passa na mente do seu companheiro. Posso pensar em algumas hipóteses como por exemplo que ele esteja sentindo necessidade de esperimentar um relacionamento com uma rapariga mais jovem ou mais próxima da idade dele, o que não faz com que ele deixe de gostar de si como pessoa que lhe deu segurança e apoio durante esses 7 anos juntos e com quem criou um afeto sincero. Pode ser, também, que ele se sinta mais maduro e pronto para novas experiências, apesar do complexo e ainda invente um perfil de uma pessoa que ele gostaria de ser mas não é ( ou ainda não é). Pode ser que esse comportamento inusitado seja uma experiência de auto-afirmação, de curiosidade, de procura de novidade, de mudança...A diferença de idade no casal pode trazer estas atitudes.

Se gosta dele, tenha paciência e espere para perceber melhor. É provável que ele  precise de si, do seu apoio e não quer que o abandone.

Tudo de bom

Infidelidade e HIV

24.jpg

Olá, esse texto é mais um desabafo e um pedido de ajuda. Namoro há 7 meses e meu namorado me traiu duas vezes. Ambas com a mesma pessoa. Eu era muito apegado a ele e acabei perdoando. Isso foi há 4 meses, e hoje sinto que não o amo mais. Infelizmente ele me passou HIV, uma infecção sexualmente transmissível que precisa de um longo tratamento.

Não quero deixá-lo sozinho, não quero ficar sozinho. Mas não o amo mais. Ao mesmo tempo que não imagino passar por toda essa situação sozinho, já que apenas eu e ele sabemos de tudo. Terminar e sofrer ou sofrer sem terminar? 

 

Caro leitor,

Está num caminho difícil que vai precisar de muita determinação e força. O mais importante é tratar da sua saúde e ter o cuidado de não infetar outras pessoas.

Para o sofrimento com a relação, 7 meses juntos não é muito tempo e vai esquecer ou parece que já o esqueceu.

Se não o, ama mais, talvez “é melhor sozinho do que mal acompanhado”. Solidão não é um “bicho de sete cabeças” e ainda livre poderá encontrar outra pessoa, mas a decisão é sua, ouça o seu coração.

 

Tudo de bom e muita saúde!

Conversar e chorar

22.jpgOlá Boa noite.

Eu tenho uma certa dificuldade, toda vez que vou conversar alguma coisa com alguém ou até mesmo coisa simples com meu namorado ou alguém da minha família, começo a chorar.

Eu não sei definir o que realmente sinto no momento, se é tristeza, só sei que é um choro que não consigo segurar e as vezes é muito mau e é tão simples o assunto que eu choro e eu não sei mais o que fazer.

 

Cara leitora,

O ser humano chora por motivos emocionais. As suas lágrimas são emocionais, ativadas pelo cérebro por meio do sistema imunológico de acordo com a situação que causa emoção.

Tentar antecipar o choro e ensaiar formas de lidar com situações difíceis pode ser uma boa forma de controlá-lo. Permita-se chorar antecipadamente para ter maior probabilidade de manter a compostura. Pode ensaiar o que vai dizer e como o vai falar, porque assim não vai ficar tão emocionada.

Outra dica é empurrar a língua para o céu-da-boca e relaxar os músculos faciais, o que vai ajudá-la a evitar as lágrimas.

O segredo está em concentrar-se na respiração, de forma a afastar as emoções que podem fazer com que as lágrimas apareçam.

 Convém lembrar que chorar não é sinal de fraqueza mas ser uma pessoa sensível.

Duas pessoas em mim

23.jpgQuando eu era menor fiz algo, que pra idade que eu tinha era algo consideravelmente grave, repetidas vezes e em um dia isso me afetou muito psicologicamente. Tive crises de choro e tremedeiras e logo após revelei o que havia feito a minha mãe.

Após esse dia, me senti tentada a ser uma pessoa diferente do que era e há pouco tempo, 7 anos depois do acontecido, necessidades estranhas e diferentes vem-me consumindo.

Fui muito machucada pelas pessoas durante muito tempo. Ambos os meus pais tiveram um grave quadro de depressão (juntos, ao mesmo tempo) e quem era a responsável por “manter a ordem” em casa era eu. Isso de certa forma me sufocou e me obrigou a guardar emoções, sendo elas indesejáveis ou não, para me manter firme e ajudar eles.

Hoje em mim abriga uma raiva enorme, que com muito esforço consigo controlar, não consigo me relacionar com pessoas, podendo ser qualquer tipo de relacionamento, por sentir repulsa por elas, raiva e vontade de causar dor nelas. Mas é como se essa vontade não fosse minha mas ao mesmo tempo fosse. Meu tempo é mantido em livros, onde faço deles minha realidade e é como se a vida real fosse uma mentira pra mim.

Um dia desses me vesti com roupas “ diferentes “ e de certa forma ousadas, olhei- me no espelho e me familiarizei com aquela pessoa como se ela fosse eu e ao mesmo tempo não fosse.

Tentei resumir um pouco o que se passa em minha cabeça, temo não ter conseguido.

Estou tão confusa que sinto a necessidade de encontrar uma direção.

O que devo fazer?

Os sentimentos e a raiva são sufocantes

Cara Leitora,

Pelo que refere coexistem vários problemas em si: de identidade, de apatia social, de agressividade em relação a pessoas e a si, culpas do passado, enfim tudo para ser tratado em psicoterapia.

 

O melhor é procurar um tratamento regular para colocar ordem na sua cabeça e aliviar essa confusão de papéis e traumas do passado. Necessita manter o foco no que é preciso dar oportunidade de corrigir e compreender a sua raiva, para poder encontrar um caminho de mudança para retomar a sua vida.

O seu e-mail transmite muito sofrimento. Necessita uma ajuda urgente, com uma pessoa capaz para recuperar as forças para ter uma vida criativa e não se deixar levar por pensamentos irreais.

Os traumas do passado podem ser elaborados e superados, mas é preciso motivação para concretizar uma mudança.

Um abraço

Pensar em falhas

21.jpgRecentemente penso muito nas minhas falhas, e evito isso conversando com pessoas aleatórias na internet, mas algumas me irritam muito, e eu as odeio. Como não sou bom em me expressar, este ódio fica guardado para quando fico com muita raiva, também não sei o que fazer para parar este sentimento.

O que devo fazer?

O melhor que tem a fazer é deixar de falar com pessoas na internet e falar com pessoas na vida real.

Qual a graça de falar com indivíduos que não conhece e ainda lhe provocam ódio?

Procure socializar e aumentar o seu círculo de amigos: no trabalho, estudo, faça um curso, pratique um desporto, etc.

Se quer corrigir as suas falhas, comece a por em pratica algumas pequenas mudanças para sentir-se mais satisfeito consigo.

Se o seu sentimento de ódio permanecer ou continuar a aumentar procure ajuda especializada. Vá a uma consulta de psicologia para ser apoiado e ajudado.

Tudo de bom

Razão para lutar

 

20.jpg

 

Tenho 18 anos, depois de dois incidentes traumáticos na minha vida perdi a razão de continuar a lutar pelos meus sonhos e pela minha vida, não tenho vontade de fazer coisas que antes realizava com alegria, como ler, estudar e sair de casa. Hoje é preciso um grande reforço pra fazer o mínimo, como ir ao curso técnico, perdi a vontade de me arrumar, de sair de casa, tenho dificuldades de socializar e as vezes penso que seria melhor se eu não tivesse nascido, que tudo dá errado e que as pessoas não gostam de mim e só me suportam por dó, só não acabei com a minha vida porque não consigo e imagino o desgosto que daria pra minha família se fizesse isso.

Cara Leitora,

Está a passar por uma fase de depressão, provavelmente relacionada aos incidentes traumáticos que sofreu no passado que não elaborou e que a levam a ver tudo muito negativo e sem esperança.

Para que possa superar é aconselhável ter um acompanhamento psicológico que a ajude a refletir sobre tudo o que aconteceu e a modificar a sua atitude presente.

Procure ajuda. Confie em si e no seu poder de encontrar uma solução e um tratamento confiável para o seu caso. Ao seu lado há pessoas que a amam muito.

Comece por apreciar as pequenas coisas da vida e anime-se para encontrar novas soluções para os seus problemas.