Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Consultório de Psicologia

Espaço de transformação com a finalidade de orientar, ajudar, esclarecer dúvidas e inquietações. Encontre equilíbrio, use sua criatividade e deixe fluir sua energia. Mariagrazia Marini Luwisch

Consultório de Psicologia

Espaço de transformação com a finalidade de orientar, ajudar, esclarecer dúvidas e inquietações. Encontre equilíbrio, use sua criatividade e deixe fluir sua energia. Mariagrazia Marini Luwisch

Separação

 

Estou casada há 17 anos e há sete  meses deparei com o meu marido a “galar”, a “engatar” uma senhora, à minha frente, como se estivesse perdido. Perdido de amor, de paixão... Como se necessitasse do apoio e da atenção dela. Confirmaram-se as minhas suspeitas, até porque o casamento, não estava frio, estava gelado. Insisti para nos separarmos. Ele não quis. Diz que quer ficar comigo. Encetei um processo de reconquista, que aparentemente deu resultado. Nunca critiquei a outra, sempre a defendi. Até porque é verdade, todo o começo é involuntário como diz o poeta.

Mas esta tentativa de salvar tem-me saído cara. Sinto que ele tem momentos em que não esquece a outra senhora e que está comigo para salvar as aparências. Devo dizer que o primeiro divórcio dele foi na sequência de traição da primeira mulher. Mas traição a sério. E ele, na altura, adorou o papel de vítima.

 

Será que está comigo porque  não quer passar de vítima a carrasco? Porque, neste divórcio, a vítima passo a ser eu, e acho que ele não aguenta esse julgamento público. Não sinto que me ame. Sinto que está comigo por conveniência. Para que os outros vejam.

Devo acrescentar que este é o meu segundo casamento. E está a acabar rigorosamente da mesma forma que o primeiro. Os meus dois maridos arranjaram outras mulheres. Traíram-me! Corro o risco de me divorciar, pela segunda vez, por causa da intromissão de uma  mulher! É dose, para uma pessoa só!

 

OP

 

Cara OP.,

 

Não se sinta “condenada por uma sina”, viva esse momento como se fosse único e sem preconceitos. Ninguém pode preencher todas as nossas necessidades pessoais mas há umas duas ou três coisas das quais não conseguimos abrir mão. A solução está em dialogar e negociar.

Se estão juntos há tanto tempo é porque estão bem juntos. Continue o processo de reconquista, mantenha o seu caminho de reconstrução com amor para recuperar a relação e o bom entendimento.

 

Tudo de bom

Mariagrazia

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.