Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Consultório de Psicologia

Espaço de transformação com a finalidade de orientar, ajudar, esclarecer dúvidas e inquietações. Encontre equilíbrio, use sua criatividade e deixe fluir sua energia. Mariagrazia Marini Luwisch

Consultório de Psicologia

Espaço de transformação com a finalidade de orientar, ajudar, esclarecer dúvidas e inquietações. Encontre equilíbrio, use sua criatividade e deixe fluir sua energia. Mariagrazia Marini Luwisch

Incapacidade de Amar

 

 

Boa noite,

 

Sou uma mulher de 40 anos de idade, com um filho menor e vivo para ele.

O meu problema é não me conseguir ligar a ninguém emocionalmente!

Tenho uma pessoa de quem gosto e que me ama, mas a quem não me consigo entregar verdadeiramente!

 

Os meus pais nunca corresponderam às minhas expectativas e sinto uma enorme frustração em relação a eles. Cresci a detestar tudo aquilo que representam e a pensar que queria ser exactamente o contrário!

 

Sou uma pessoa bastante revoltada, não sei bem porquê! Sou muito solitária e independente, gosto de ter o meu espaço e tempo para mim e tenho bastante dificuldade em deixar outras pessoas entrarem e partilharem desse mesmo espaço! O único com livre acesso é o meu filho!

Gostava de conseguir ter um relacionamento para a vida, mas não consigo essa proximidade. Tenho medo da entrega, não me dou pura e simplesmente, e quando sinto que estou a ser conquistada e que estou no caminho da entrega, acabo com tudo, mesmo antes de ter começado!

 

Não sei porque sou assim, penso que tenho algum tipo de bloqueio que me vem da infância, porque não consigo expor-me e mostrar o meu lado mais vulnerável perante os outros!

Ainda que não estejam reunidos aqui elementos suficientes para uma análise do meu problema, gostaria de pelo menos ouvir a palavra código, para conseguir desfazer este quebra-cabeças emocional! Será medo? Será incapacidade de amar?, será egoísmo? Baixa auto estima?....

 

Muito obrigada.

 

Penso que a sua revolta está relacionada com o sentimento do seu passado em relação aos seus pais e à família, que a impede de se de se entregar nos relacionamentos, de manifestar os sentimentos por medo de se sentir vulnerável, frágil e correr o risco de vir a se abandonada.

 

Provavelmente teve uma desilusão também com o pai de seu filho o que poderá ter gerado mais insegurança nas relações afectivas ou fazer com que não se sinta capaz de dar e receber amor.

 

Será que o que espera do outro não é aquilo que não teve na sua infância e por ignorar esse fato, está sempre a buscar relacionamentos que nunca a satisfazem?

 

A palavra-chave é relaxe e deixe seus sentimentos fluírem naturalmente. Quanto mais solitária mais difícil vai conseguir partilhar a sua vida com alguém.

 

Aproveite a felicidade que poderá estar por vir. Confie em si e não limite a sua vida por insegurança emocional.

 

Felicidades.

 

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.