Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Consultório de Psicologia

Espaço de transformação com a finalidade de orientar, ajudar, esclarecer dúvidas e inquietações. Encontre equilíbrio, use sua criatividade e deixe fluir sua energia. Mariagrazia Marini Luwisch

Consultório de Psicologia

Espaço de transformação com a finalidade de orientar, ajudar, esclarecer dúvidas e inquietações. Encontre equilíbrio, use sua criatividade e deixe fluir sua energia. Mariagrazia Marini Luwisch

Jogos de computador

 

Eu desde que comecei a jogar jogos de computador e consola ou seja vídeo jogos eu tenho estragado muito a minha vida, não pelo o dinheiro que eu gasto mas por ter imensas dificuldades em me associar com outros menos com os que conheço diariamente.
Eu normalmente sou muito reservado e tímido, mas já algum tempo dos 17 aos 21 entrava muito na net só para tentar arranjar companheiras na net, mas o meu vicio dos jogos me deixa limitado no que vou dizer.

Quando tinha que sair do computador para almoçar aborrecia-me e por vezes quando a minha família me convidava a sair de casa eu negava e dizia que não há nada de especial lá fora não tem interesse.

Já na associação com pessoas também sou frio a minha irmã de vez em quando trazia uma amiga e picava comigo para sair com elas ou quando ia a casa de um amigo meu que basicamente só são apenas 2 um deles também é viciado como eu, aparecia lá amigas da irma dele para me meterem conversa e eu calava-me completamente embora algumas tenham sido simpáticas outras não eram grande coisa como amigas, eu achava-as todas iguais, só gostava das que estavam fora do normal, praticamente caladas mas também não acontecia nada porque não fazia nada.

Sempre fui bom trabalhador nunca cheguei atrasado, mas fora isso não costumo sair para discotecas ou bares porque acho que não é grande coisa pelo ambiente e pelas pessoas não gosto do olhar delas e deles.

Eu jogava de manhã, à tarde e à noite, quando saí da escola aos 17 anos até aos 23 anos.
Hoje tenho 25 anos, já me controlo mais com os jogos e estou a tirar o 12 ano já devia mas por causa dos jogos nem estudava, mas a carta de condução não tenho paciência para isso, continuo a não gostar de sair a noite e bares, mas o jogo impede-me de tomar decisões e sou extremamente descontrolado quando falo com as pessoas em que praticamente não falo só penso, não consigo me exprimir e ser sociável não consigo ser divertido o que as pessoas normalmente fazem, raramente sorriu porque sinto só o faço porque não gosto que me julguem de antipático, já sofri com algumas mulheres em que não consigo explicar bem mas davam-me motivação para ser diferente e nem tocava nos jogos e determinava-me a fazer tudo o que tinha para fazer como por exemplo a carta de condução.
 

Eu gostava de me mudar e acho que os vídeo jogos são um problema psíquico e que a minha personalidade também podia melhorar e com isso ter amizades verdadeiras porque gostava de ser um bom pai de futuro e sei que quem é que quer um homem que basicamente não sabe se tratar, digo tratar na questão de se tratar para a vida como por exemplo tratar do seu B.I, IRS e etc.

 

Eu quero mudar e sentir-me feliz e completo e se possível depois disto tentar fazer alguém feliz.
Eu sei que tenho problemas gostava de ser ajudado.
Cumprimentos J.

 

Caro J.,

 

Jogar vídeo jogos compulsivamente é um problema tanto social quanto psicológico, que resulta da maneira como vivemos, frequentemente, em isolamento. O jogo acciona o sistema de recompensa do cérebro, liberando dopamina, que causa a sensação de prazer. No jogador, além dessa gratificação, há uma perda na capacidade de inibição. Junta-se o desejo reforçado pelo prazer à falta de limites.

 

O importante para mudar esse comportamento é procurar investir e dar mais importância ao convívio social e procurar dedicar mais tempo aos amigos e actividades comunitárias.

Se não conseguir melhorar, procure ajuda de uma psicoterapia. A psicoterapia psicodinâmica de curto prazo, com seu foco em questões nucleares está particularmente indicada e aplicável à necessidade dos jogadores patológicos de evitar ou escapar de efeitos e problemas intoleráveis e ao oferecer um espaço onde as pessoas se sentem aceitas e ouvidas a maioria consegue abandonar o jogo e reconstruir suas vidas ao privilegiar o mundo real.

 

Lembre-se que a motivação para a mudança está em si e ao expressar que tem consciência do problema, já é um primeiro passo.

 

Fique bem

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.