Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Consultório de Psicologia

Espaço de transformação com a finalidade de orientar, ajudar, esclarecer dúvidas e inquietações. Encontre equilíbrio, use sua criatividade e deixe fluir sua energia. Mariagrazia Marini Luwisch

Consultório de Psicologia

Espaço de transformação com a finalidade de orientar, ajudar, esclarecer dúvidas e inquietações. Encontre equilíbrio, use sua criatividade e deixe fluir sua energia. Mariagrazia Marini Luwisch

Acusação

 

Cara Dr.ª

 

As minhas desculpas pelo incómodo, mas o insólito da situação, leva-me pela primeira vez, na vida a procurar alguma explicação válida para os factos que passo a descrever:

 

Sou casado (união de facto) com quatro Filhos.

Vivo com a minha companheira há 13 anos, intensos, mesmo muito, com uma série de mudanças na nossa vida, que vão da localização geográfica até ao desempenho profissional, isto é profissão exercida.

 

O que me leva a incomodá-la passa pelo fenómeno, que de todo não entendo...

Nunca traí a minha companheira, nem sinto qualquer vontade de fazê-lo, no entanto passo a vida  a ser acusado de ser um traidor, com uma tal convicção que parece que alguma vez me apanhou numa cena flagrante de adultério.

 

O último episódio de "acusações", provém de data recente, 01de Novembro deste ano, quando fui apanhar um autocarro à noite para me deslocar para Lisboa e quando cheguei à paragem do transporte, apareceu-me a minha esposa a gritar comigo duma forma totalmente descontrolada sobre um qualquer encontro que tinha marcado com uma vizinha do lado, que segundo me anunciou se encontrava dentro de viatura própria e lhe fez sinais, em gestual de escárnio, como se tivesse qualquer "relação comigo" (???);

 

A Sr.ª em questão é alguém que não conheço de lado algum, excepto do café do lado, onde entro ocasionalmente para comprar tabaco ou beber um café e nada mais!

 

A minha companheira possui uma beleza invulgar, muito jovial, muito sexualmente apelativa e sabe-o, pelo que  a questão da autoconfiança, não se põem (pelo menos de forma objectiva), enquanto que esta fulana com que me acusa de andar metido parece "a madrinha", coitada, não tem ponta por onde se pegue, nem física, anímica ou mentalmente (isto pelo apreciação que posso fazer da postura geral da Sr.ª, do seu comportamento habitual...); em súmula: uma acusação feroz, sobre o que nunca fiz (com a plena noção de não ser comum, 13 anos de absoluta fidelidade); agora com uma mudança de postura, geral, em relação à minha pessoa e sem que perceba onde foi desencantar tal ideia...

 

O que lhe peço é simplesmente, se este tipo de circunstância, é "comum", da experiência que tem, bem como uma indicação sumária do porquê de tudo isto.

 

Grato

 

Caro senhor,

 

Pelo que refere a sua esposa poderá estar a ter ataques de ciúme patológico. Em questões de ciúme, a linha divisória entre imaginação, fantasia, crença e certeza frequentemente se torna vaga e imprecisa. No ciúme as dúvidas podem se transformar em ideias sobrevalorizadas ou francamente delirantes. A sua mulher parece estar a ter ideias delirantes.

Nas mulheres, fases de menor interesse sexual ou atractividade física, como ocorre na gravidez e menopausa, produzem redução da auto-estima, aumento da insegurança e possível ocorrência do Ciúme Patológico. Mudanças também podem fazer eclodir algumas crises psicológicas, que podem ser passageiras.

 

Para descobrir o que se passa com a sua mulher é preciso encaminhá-la para uma avaliação psicológica e sucessivo tratamento, caso necessário.

 

Espero que tudo se resolva pelo melhor

Mariagrazia

 

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.