Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Consultório de Psicologia

Espaço de transformação com a finalidade de orientar, ajudar, esclarecer dúvidas e inquietações. Encontre equilíbrio, use sua criatividade e deixe fluir sua energia. Mariagrazia Marini Luwisch

Consultório de Psicologia

Espaço de transformação com a finalidade de orientar, ajudar, esclarecer dúvidas e inquietações. Encontre equilíbrio, use sua criatividade e deixe fluir sua energia. Mariagrazia Marini Luwisch

Aparência exterior

 

 Exma. Sra. Doutora,

 

Tenho 31 anos e ele 33, eu tive duas relações anteriores bastante felizes, que acabaram bem e sem rancores e ele teve uma relação de 6 anos em que esteve casado 2 anos e que acabou bastante mal. Namoramos há 2 anos e temos o casamento marcado para daqui a 1 ano. Sempre fui uma pessoa feliz, sem problemas, tinha excesso de peso mas nunca fui descriminada, sempre me senti amada por família e amigos, até que há 6 anos decidi emagrecer e se já antes era feliz, passei a adorar a vida e a gostar e a tratar de mim. Entretanto surgiu a relação, ele é uma pessoa muito complexada desde criança, marcado pela relação anterior e indignado por ter dado tudo dele e mesmo assim essa relação não ter acabado bem. É também alguém que liga muito à aparência exterior e quem tem sofrido com isto sou eu.

 

No início da relação eu tinha 57kg (tenho 1.62), estava bem mas senti desde logo alguns reparos da parte dele, uns "vais comer isso?" aqui e ali, uns "essa roupa faz-te gorda", "isso fica-te mal, faz-te as costas largas", "isso são batatas fritas?", etc. Passados estes dois anos e após uma gravidez com um aborto espontâneo, engordei cerca de 5kg e desde então estes comentários anteriores juntamente com os agora já habituais "estão a sair-te as banhas pelas calças", "esse não é o casaco que vestiste o fim-de-semana passado?", o "isso fica-te mesmo mal, vê-se a gordura toda "entre tantos outros, começam a afectar-me a auto-estima... Logo eu que nunca tive desses problemas.

 

Começo a ficar saturada, já tive várias conversas francas e directas com ele sobre o modo como ele começa a arrasar comigo e como se ao princípio eram suportáveis, agora começam a não me fazer er vontade de passar tempo com ele. Isto já dura há bastante tempo, ele não muda e sinceramente não cheguei aos 31 anos feliz para agora ter alguém constantemente a deitar-me abaixo e a fazer-me sentir mal. Sou uma pessoa bastante racional, os pés bem assentes na terra e sei ver que muito do que ele me diz sã o ospróprios problemas e complexos dele reflectidos em mim, como se para se sentir bem com ele próprio tivesse de deitar a outra pessoa abaixo.

 

Sei que racionalmente não devia deixar-me afectar por isto, mas sou humana e neste momento já não estou a gostar nada de mim. Cheguei a uma altura em que preciso de ajuda para lidar com isto pois trata-se de uma relação que quero manter, amo-o.

 

Obrigada
pela atenção e disponibilidade.

 

 

 

Cara leitora,

 

Fale com ele sobre como se sente com os reparos que ele lhe faz. Entretanto é importante perceber se ele diz com o intuito de ajudá-la ou como forma de projectar os seus complexos infantis.

Cuidar do corpo é importante e perder 5 quilos é fácil na sua idade, entretanto é preciso convicção e flexibilidade para não fazer com que o stress aumente.

 

Entendo que se sinta infeliz mas conforme for conseguindo seu objectivo vai se sentir mais segura e feliz. As críticas quando não fazem sentido, também não deitam abaixo. Se o ama e vai casar com ele invista com empenho para melhorar o vosso relacionamento e para tal é preciso procurar se entenderem através do diálogo franco e investir com amor e paciência.

 

Fique bem

7 comentários

Comentar post