Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Consultório de Psicologia

Espaço de transformação com a finalidade de orientar, ajudar, esclarecer dúvidas e inquietações. Encontre equilíbrio, use sua criatividade e deixe fluir sua energia. Mariagrazia Marini Luwisch

Consultório de Psicologia

Espaço de transformação com a finalidade de orientar, ajudar, esclarecer dúvidas e inquietações. Encontre equilíbrio, use sua criatividade e deixe fluir sua energia. Mariagrazia Marini Luwisch

Transtorno obssessivo compulsivo

 

Bom dia

Necessitava de uma ajuda para o seguinte:

Tenho um filho com 22 anos que sofre de Transtorno Obsessivo Compulsivo e não se livra dele nem por nada, isto tudo começou porque estava em Stress por causa de uma cirurgia que sabia que ia fazer e como não havia previsão , a ansiedade começou a aumentar e despoletou a "cena" . A Cirurgia já foi e correu bem e ele não só continua com aqueles rituais que ninguém entende como cada vez arranja mais novos.

 

Não sei o que fazer porque passamos a  vida à espera que ele faça lá os seus rituais que não servem para nada, esteja eu com pressa para ir pro trabalho ou não ele está-se nas tintas, 1º tem lá que fazer os seus rituais.

 

Peço ajuda no âmbito de me dizer que devo procurar, porque de facto já não sei o que fazer.

 

 

 

O Transtorno Obsessivo-Compulsivo (TOC) é um distúrbio mental caracterizado pela presença inoportuna e repetitiva de pensamentos e rituais desagradáveis e sem sentido que invadem a mente e o comportamento da pessoa e que ela não consegue evitar por conta própria.

 

No TOC o indivíduo sofre muito na tentativa de resistir a impulsos e ideias porque reconhece que estes são produtos de sua própria imaginação e não fazem sentido, mas por mais que tente, não obtém sucesso. Poderá conseguir um certo alívio, porém esta trégua mostra-se passageira e logo há o retorno das mesmas obsessões.
A ansiedade produzida nesse esforço para tentar calar sua mente faz com que a pessoa realize, intencionalmente, rituais ou compulsões que, por repetição exaustiva, produzam a ideia de afastar os perigos temidos, de proteger a si própria ou outras pessoas. Nem sempre há uma lógica entre o ato realizado e evento a ser repelido.

 

O tratamento, para seu filho, deve ser individualizado, dependendo das características e da gravidade dos sintomas que ele apresente. Em linhas gerais, para o tratamento do transtorno obsessivo compulsivo, utiliza-se a psicoterapia de orientação dinâmica juntamente com tratamento farmacológico para corrigir alterações neuroquímicas.

 

Entretanto, no caso de seu filho, pode ser que seja uma fase passageira relacionada ainda com a passada cirurgia e que com o tempo melhore. Se no entanto essa situação se mantiver, é indicado encaminhá-lo a uma consulta de psicologia para uma avaliação correta e perceber se é o caso de fazer uma psicoterapia para que possa compreender a origem das suas dificuldades, identificar as situações que geram ansiedade, lidar com seus limites e sintomas, desencorajar respostas compulsivas, bem como trabalhar a sua insegurança e auto-estima.

 

De qualquer maneira ele precisa ter uma vida saudável, com 8 horas de sono, manter uma alimentação equilibrada e actividade física regular. É importante conviver, estudar, trabalhar e focalizar a sua energia em função do seu crescimento pessoal.

 

 

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.