Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Consultório de Psicologia

Espaço de transformação com a finalidade de orientar, ajudar, esclarecer dúvidas e inquietações. Encontre equilíbrio, use sua criatividade e deixe fluir sua energia. Mariagrazia Marini Luwisch

Consultório de Psicologia

Espaço de transformação com a finalidade de orientar, ajudar, esclarecer dúvidas e inquietações. Encontre equilíbrio, use sua criatividade e deixe fluir sua energia. Mariagrazia Marini Luwisch

Divorciada com filho

 

Boa tarde Dra.

 

Sinto-me completamente perdida, triste, e revoltada comigo própria, precisava assim caso possível que me orientasse....

 

Sou divorciada há mais de 8 anos, e tenho um filho de 12 anos, vivi somente com o meu filho cerca de 7 anos, no ano passado após namorar um ano, resolvi eu e o meu namorado passarmos a viver juntos.

 

O meu namorado também tem uma filhota proveniente de uma anterior relação.

 

Este verão, separámo-nos pois não suportava mais a forma como ele tratava o meu filho, ele não estava a ter o papel que eu achava importante ter, o de amigo essencialmente.

 

Repreendia-o em tudo o que fazia, nada era bem feito, nunca ouvi um "muito bem", e quando não era a ralhar, era desprezo....

 

Após cerca de um mês de tentar que reconsidera-se, resolvi aceitar que voltasse com promessas de que tinha mudado e que tudo iria ser diferente....

 

Neste momento, não poderei dizer que está igual, mas denotam-se comportamentos forçados, optou por não intervir em nada, contudo ainda esta semana que passou voltou a ter uma reação daquelas bem pesadas com o meu filho "não te admito que me fales assim"...

 

Após esta situação chamei-o  a atenção visto que não é a melhor forma de se impor respeito, pois em minha opinião, o respeito não se impõe, conquista-se...

 

Sinceramente estou completamente sem rumo, a relação após a reconciliação não voltou ao seu normal, e para além disso, ao fim de tão pouco tempo ele volta a desiludir-me relativamente ao meu filho....

 

Se me puder ajudar agradecia imenso....

 

Obrigada e cumprimentos.

 

 

 

Cara leitora,

 

Esses são conflitos usuais de uma nova família.

 

Filhos de pais divorciados, normalmente, acalentam a esperança secreta de voltar a ver os pais juntos. Uma terceira pessoa quebra essa fantasia e gera alguns conflitos especialmente em ralação ao ciúme e ao poder.

 

A melhor maneira de lidar com essa situação é não exigir demais de seu namorado mas ao mesmo tempo aceitar que haja algum tipo de desentendimento e aceitar que o seu namorado imponha alguns limites e respeito de boa educação, mas sempre sem perder o controle dos seus atos e das suas palavras.

 

Fale com o seu namorado para tentar conquistar o enteado, com educação e respeio mantendo uma relação de cordialidade.

 

É comum as crianças testarem a autoridade do padrasto. Muitas vezes, elas fazem comparações favoráveis ao pai. Padrastos devem ser compreensivos e não levar para o lado pessoal.

 

Procurar conhecer os gostos do enteado e buscar assuntos em comum, que criem vínculos com ele, são ideias que reforçam o relacionamento.

 

Vai ter que usar a sua sabedoria para evitar que armadilhas impeçam a construção de uma família feliz e para encontrar um equilíbrio sensato junto com o seu namorado para que possam viver todos em paz e harmonia.

 

Tudo de bom

 

Mariagrazia