Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Consultório de Psicologia

Espaço de transformação com a finalidade de orientar, ajudar, esclarecer dúvidas e inquietações. Encontre equilíbrio, use sua criatividade e deixe fluir sua energia. Mariagrazia Marini Luwisch

Consultório de Psicologia

Espaço de transformação com a finalidade de orientar, ajudar, esclarecer dúvidas e inquietações. Encontre equilíbrio, use sua criatividade e deixe fluir sua energia. Mariagrazia Marini Luwisch

Filho adolescente

Sou divorciada ha cinco anos e tenho um filho de 14 anos. Cada dia que passa vejo nosso relacionamento ficando mais difícil, pois ele não faz nada que peco na hora e principalmente não quer estudar. Ele tira boas notas porque e inteligente, mas não pega nos cadernos. Sempre que posso sento com ele e explico que a vida ira cobrar empenho e interesse por parte dele, mas ele responde que não precisa estudar porque ele sabe a matéria e não acha que pode mais. Eu procuro envolver o pai, pois sei que ele sempre estudou muito e ele me ajuda a falar.

 

Acontece e que após passar um tempo de nossa conversa ele volta a fazer tudo de novo. Meu filho não e violento nem fala palavrões, mas fala alto quando estou pedindo algo e ai vira discussão. Ultimamente depois que chega da escola na hora do almoço ele se senta no sofá e joga no computador a tarde toda. Preocupa-me porque ele tem ficado muito tempo na internet e não sei os sites que tem acessado. 

 

O que posso fazer para conseguir me relacionar melhor com ele e fazer com ele me ouça e acredite que eu quero o melhor para ele?

Certa de sua compreensão.

Agradeço. C.

 

Cara C.,

 

Filhos adolescentes trazem esse tipo de problema. Vai ter que limitar o tempo que passa no computador e dar limites, por exemplo dizendo que  deve dividir o tempo com o estudo e com o lazer. O melhor seria se ele praticasse também algum desporto e assim distribuir melhor o tempo livre para não ficar fixado só no computador.

É preciso dar limites, acompanhar seu filho quando está no computador para ver o que acessa.

 

De um modo geral, quanto mais tempo os adolescentes passam a ver televisão ou a usar o computador, maior é a probabilidade de se sentirem incapazes e insatisfeitos consigo próprios.

 

Ao mesmo tempo devemos ter em conta que a saúde física e emocional dos adolescentes depende, em larga medida, da sua ligação aos pais e amigos próximos e que o tempo passado no computador diminui essas relações.

 

Lembre-se que é importante educar. Muitos pais acreditam erroneamente que quando os filhos são adolescentes, não há mais nada a fazer por eles. Errado. Estudos mostram claramente que a boa educação familiar continua a ajudar os adolescentes a se desenvolverem de uma maneira saudável, evitar problemas e ter um bom desempenho escolar.

 

Os adolescentes necessitam de regras e limites. Mesmo sendo divorciada, seja firme mas justa. Diminua suas regras pouco a pouco conforme seu filho demonstre mais maturidade. Se ele não consegue gerir sua liberdade puxe as rédeas e tente novamente soltar em alguns meses.

 

Felicidades

 

 

1 comentário

Comentar post