Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Consultório de Psicologia

Espaço de transformação com a finalidade de orientar, ajudar, esclarecer dúvidas e inquietações. Encontre equilíbrio, use sua criatividade e deixe fluir sua energia. Mariagrazia Marini Luwisch

Consultório de Psicologia

Espaço de transformação com a finalidade de orientar, ajudar, esclarecer dúvidas e inquietações. Encontre equilíbrio, use sua criatividade e deixe fluir sua energia. Mariagrazia Marini Luwisch

Perdoar a namorada

 

Gustav Klimt

 

Olá Dra.,
 
Peço ajuda a você porque não estou aguentando mais essa situação…
Fui uma pessoa muito amorosa, mais com o passar do tempo comecei a tratar mal minha namorada, saí sem ela.. mas ela nunca soube das traições somente das festas.
Fui a outra cidade e a todo momento ela me julgava que eu estava traindo...devido a falta  de atenção.

Tempos se passaram e as coisas ficaram muito bem mais mesmo assim ela me traiu...descobri em algumas fotos e ela confessou...que havia me traído com um amigo de trabalho. Sei que fiz muito mal a ela mas o homem não atura isso.
Cheguei a sofrer um acidente de carro quando estava saindo sem ela e a mesma descobriu.
Ele estava ficando com um amigo de trabalho mesmo quando estávamos bem, levando em consideração que eu estava em outra cidade mas com a poluição mental das amigas "Olha ele é professor! ele deve está saindo com outras, nessa cidade que ele está deve ter muita menina afim dele, etc.."

Quero perdoá-la mas não conseguirei viver com isso…O que faço? Eu a amo… mas vai ser difícil viver com isso.. Sempre irei pensar que ela fará de novo.
Me ajuda..já tentei até me matar...
 

 


Traição e perdão parecem duas palavras impossíveis de conciliar. Descobrir que há uma terceira pessoa no relacionamento é uma dor terrível. No primeiro momento, parece inadmissível perdoar. Mas muitas pessoas descobrem que, depois da tempestade, é possível continuar navegando juntos – sem o passageiro indesejável, claro.
 
Deixe a cabeça esfriar e se a ama de verdade, quem sabe vai conseguir perdoá-la e abrir as portas para o diálogo e para um novo recomeçar, afinal um não tem mais nem menos direitos do que o outro.
 
Confie em si próprio! Pense positivo. Pense na vida!