Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Consultório de Psicologia

Espaço de transformação com a finalidade de orientar, ajudar, esclarecer dúvidas e inquietações. Encontre equilíbrio, use sua criatividade e deixe fluir sua energia. Mariagrazia Marini Luwisch

Consultório de Psicologia

Espaço de transformação com a finalidade de orientar, ajudar, esclarecer dúvidas e inquietações. Encontre equilíbrio, use sua criatividade e deixe fluir sua energia. Mariagrazia Marini Luwisch

Esposa em dúvida

 

 
 
 
Antonio Veronese
 
 
Dra. Maria,
 
Boa noite!!!!!
Gostaria de relatar o que está acontecendo comigo pois preciso de muita ajuda, nesse momento difícil, bem vamos lá.
Conheci meu marido através de amigos em comum e foi uma paixão avassaladora, não conseguíamos nos desgrudar nos víamos todos os dias, E se deixassem fazíamos amor várias vezes ao dia. Por causa dessa paixão com 2 meses de namoro eu fui morar c ele e a mãe dele pois a essa altura ele já tinha me pedido em casamento, e morando juntos com 5 meses nos casamos, quero deixar claro que a pressa era dele, parecia que ele ia morrer se não casasse. Mas com mais ou menos 3 meses de casados a frequência sexual diminuiu drasticamente, de uma hora p outra de 100 p 1. Tentei de tudo comprei lingeries sensuais, brinquedos eróticos, chamava p irmos a outros lugares, mas nada funcionava, e estamos até hoje com 9 meses sem sexo. Até que comecei a observar seu comportamento: algumas vezes o peguei falando escondido ao celular, levava o telefone até p banheiro, chegava tarde do trabalho, muitas vezes quando eu estava acordando ele estava chegando em casa. Até que na noite de reveillon, ele atendeu mais uma dessas misteriosas ligações, quando eu perguntei quem era ele mentiu dizendo ser uma amiga que eu conheço, achei estranho o telefonema. E brigamos, passamos a noite separados, até hoje não me desejou Feliz Ano Novo, o vi dando em cima de outras mulheres.
 
Quando chegamos em casa ele dormiu, aproveitei e peguei o celular p tirar a dúvida, e tinha um nome que podia ser de homem ou mulher, e não da tal amiga que ele havia dito, não pensei 2 vezes liguei p o número do próprio celular dele, e p minha surpresa e decepção atendeu uma mulher, eu não falei nada, só fiquei esperando p ver se ela falava algo, ela já foi perguntando se ele ainda estava nervoso e que depois ligaria p ele pq era muito cedo da manhã, e desligou. Voltei ao meu quarto e perguntei quem era aquele nome, e ele mentiu dizendo que era um amigo, eu perguntei novamente e ele respondeu com outra perguntando, se eu estava investigando e eu disse o que tinha feito e ele se recusou a dizer, eu disse que ligaria p ela de novo e ela iria me dizer, assim fiz e ela atendeu, me identifiquei como a esposa e perguntei quem era ela, e ela me disse como uma esposa pode não conhecer as amizades do marido e que se eu quisesse conversar ligasse p ela mais tarde. Enfim, ele acabou dizendo que ela era uma amiga distante da faculdade mas que tinha se tornado sua confidente, perguntei se algum amigo(a) dele a conhecia mas ele disse que não, ele ainda fez eu me sentir muito culpada por indagá-lo, e investigá-lo. Passamos o dia primeiro juntos, e no dia seguinte ele foi trabalhar e eu comecei a procurar coisas pelo computador dele e p mais uma decepção e infeliz surpresa encontrei históricos de conversas que ele teve com mulheres que ele conhecia as convidando p sair, p se encontrar c ele, uma inclusive menos de 2 meses depois de nos casarmos, quando eu o indaguei sobre isso eu já estava decidida a deixá-lo eu só queria saber pq aquela pressa toda de casar comigo??? Se era p me fazer infeliz. Bem, ele me pediu perdão, não soube dizer o por que fez isso, chorou, disse que fazia qualquer coisa p eu não deixá-lo. Ainda estou em dúvida se o perdoo ou não. Ainda o amo, mas ele me magoou muito, mentiu, várias vezes me disse que ia trabalhar mas não foi, não sei como voltar a confiar nele. Bem, resumidamente isso, preciso de ajuda urgente.
 
Obrigada desde já.
 
Cara esposa,
 
Perdoar ou não perdoar independe de uma decisão racional mas do seu sentimento por ele e pelo sucedido. Penso que deve dar-lhe mais “uma chance”, deixe passar um tempo para ver como é que evolui a relação, mas com o cuidado em abrir o diálogo e conversarem muito sobre o que esperam da relação e quais os vossos projectos em comum.
 
Pode ser que ele esteja “viciado” a falar com mulheres que conhece por conversas on-line e ainda esteja preso a manias da época de solteiro. Não é que justifique o comportamento dele mas pode ser que ele se redima e se ajuste a uma vida de casado feliz, com sinceridade e autenticidade.
Para voltar a confiar, tudo vai depender das atitudes dele, nada pode forçar, tem que se sentir disponível para.
 
Felicidades
Mariagrazia
 

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.