Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Consultório de Psicologia

Espaço de transformação com a finalidade de orientar, ajudar, esclarecer dúvidas e inquietações. Encontre equilíbrio, use sua criatividade e deixe fluir sua energia. Mariagrazia Marini Luwisch

Consultório de Psicologia

Espaço de transformação com a finalidade de orientar, ajudar, esclarecer dúvidas e inquietações. Encontre equilíbrio, use sua criatividade e deixe fluir sua energia. Mariagrazia Marini Luwisch

Projeto de vida

69.jpg

Olá doutora, tenho 18 anos e vivo desde os 12 anos com a minha irmã mais velha depois que meus pais faleceram. Ela ensinou me muitas coisas e ensinou-me a ser quem eu era, mas quando tinha 16 anos ela expulsou-me de casa quando se juntou com o meu atual cunhado porque as cenas entre nós não estavam bem, eu fazia algumas asneiras, mas eles nunca escutaram a minha opinião sobre o que eu achava que estava errado. Depois de 2 meses voltei para cá pois a minha irmã disse que se eu quisesse ajuda ela iria ajudar-me, mas eu não soube aceitar a ajuda até porque na minha opinião eu sou controlada aqui em casa e só estava com eles praticamente às refeições e sentia me muitas das vezes de parte, mas tentei sempre fazer o meu melhor para que não houvesse discussões. Sempre que eles diziam que eu tinha feito algo mal e acusavam-me de algo que não tinha feito eu não respondia e tentava sempre controlar as emoções à frente deles e só depois chorava ou ficava triste.

Sempre senti que apesar de estar aqui em casa que havia uma barreira entre nós, mas eu fingia que estava tudo bem... Há 2 semanas atrás eles tinham falado comigo para eu ver faculdades e delinear um plano de estudo, mas depois de uma semana eu não o fiz e um dia ela entrou para dentro do meu quarto a berrar a dizer que ela estava cansada de se esforçar por mim e que eu não queria saber do meu futuro, que eu era manipuladora e egoísta e que se não pensasse no meu futuro era expulsa de casa. Eu fiquei extremamente ansiosa depois disso e ficamos sem falar durante 3 dias até que o meu cunhado veio ao meu quarto e disse que aquele dia era o último dia para falar com eles. Então depois da escola eu fui falar com eles e eles disseram me que depois do meu exame em julho que iria sair daqui porque eles precisavam tempo para respirar e que não sabiam se depois iria voltar e que estavam completamente desiludidos comigo. Para além disso disseram que eu era extremamente orgulhosa. Neste momento eles não falam comigo, nem tomam as refeições comigo e eu fico o dia todo enfiada no quarto triste e cheia de ansiedade. Eu sei que eles têm razão em muitos aspetos.

Não sei o que fazer neste momento, do que lhes dizer para melhorar a situação ou se o melhor é mesmo sair daqui.  Eu de certa forma achei a atitude deles um pouco exagerado, mas não lhes tiro razão, apenas não sei o que fazer neste momento pois tenho muito medo do futuro e sinto me completamente desiludida comigo mesma e com a autoestima completamente acabada.

Cara jovem,

 

ver faculdades e delinear um plano de estudo parece-me ser o caminho mais correto para si a para seu futuro. Ficar em casa fechada no quarto é que não pode ser. Em alternativa pode procurar um emprego e também poderá estudar à noite. Enfim a sua irmã tem razão de a pressionar para tomar uma atitude positiva para a sua vida. Se tiver condições viver sozinha e fazer a sua vida também é uma boa alternativa, mas precisa organizar o seu futuro, pois sem um objetivo na vida vai se sentir cada vez mais ansiosa, desiludida, sem motivação e a sua autoestima vai ficar cada vez mais baixa.

Pense no que gostaria de estudar, procure uma faculdade com um curso adequado à sua média, talvez um curso de professora, de assistente social, enfim algo que possa gostar de trabalhar no futuro. Vá visitar algumas universidades, fale com as suas professoras para a orientar, enfim tente organizar a sua vida. 

Quando tiver alguma ideia do que fazer fale com a sua irmã e seu cunhado e vai ver que eles também poderão ajudar.

Não tenha medo, confie em si !

 

2 comentários

Comentar post