Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Consultório de Psicologia

Espaço de transformação com a finalidade de orientar, ajudar, esclarecer dúvidas e inquietações. Encontre equilíbrio, use sua criatividade e deixe fluir sua energia. Mariagrazia Marini Luwisch

Consultório de Psicologia

Espaço de transformação com a finalidade de orientar, ajudar, esclarecer dúvidas e inquietações. Encontre equilíbrio, use sua criatividade e deixe fluir sua energia. Mariagrazia Marini Luwisch

Casamento e infidelidade

14.jpg

Boa tarde

Sou casada há 10 anos, há cerca de 2anos. Meu marido teve um relacionamento com uma jovem de 18anos e foi muito angustiante presenciar tudo isso, o ano passado ela apareceu grávida falando que o filho era dele e meu mundo desabou. Fui ao inferno e consegui voltar; nosso casamento ficou e está super-abalado não consigo ter confiança nele e nem ele em mim. Depois desse terramoto há cerca de 4 meses o mesmo me diz que está apaixonado por uma mulher de 22 anos, e que não vive sem ela, e não quer me perder… Estou desorientada…

O que faço?

Me ajuda.

 

Cara leitora,

 

A confiança e no casal depois de uma traição demora a ser reestabelecida. Depois desse terramoto é preciso conseguir expressar as suas emoções e conversar sobre seu sofrimento e inquietude para que ambos possam manter em dia combinações de uma união feliz. Explicar ao parceiro mais o que sente e menos fazer críticas.

 

Parece que seu marido não consegue estabelecer uma relação estável e autentica consigo, embora ele diga que não a quer perder

Cabe a si decidir o que pretende do seu casamento com ele e perceber se é possível continuar ou se só vai trazer mais e mais sofrimento. Pode ser que ele mude com o passar dos anos e torne-se fiel, mas só o tempo dirá.

 

Separação

8.JPG

Boa noite,

Faz um ano que estou em um relacionamento confuso, onde meu namorado, não consegue se separar. O fato é que a esposa sofre de depressão, ela já descobriu várias vezes que estamos juntos, colocava ele para fora de casa e depois pedia para voltar porque não sabia viver sem ele. Agora estou grávida dele, ela soube e mais uma vez colocou ele para fora e dessa vez, ele não quis voltar, até que tivemos a ideia dele procurar tratamento psicológico para ela. Bem, a psicóloga disse que ela quase não tem traços de depressão, mas esta com uma tristeza profunda, que pode levar à morte, então recomendou que ele voltasse para casa e assim seria feito o acompanhamento para ela começar a aceitar a separação, dizendo que vai chegar uma hora em que ela mesma vai pedir a separação.

Ele voltou, e assim que voltou, no dia seguinte ela já me mandava mensagens dizendo que eu deixasse ele em paz, que eu não iria maltratar ela quando meu filho nascesse porque ele iria pra casa dela porque é direito do pai passar dia inteiro com filho, eu nunca respondi mensagens dela, ela promete que não vai pegar mais telefone dele, mas pega, vê ligações entre nos dois, e me manda mensagens para deixar eles em paz. Eles não vivem mais como casados, ele dorme em quarto separado, conversam pouco, e tal.

 

Preciso saber, existe a possibilidade dela aceitar essa separação com o tratamento? O que podemos fazer para agilizar esse processo?

 

Desde já agradeço muito sua atenção.

 

Cara leitora,

Essa é uma situação muito delicada. Não dá para prever o que poderá acontecer. Tudo está em aberto.

Para agilizar o processo, seria ele assumir a separação e sair de casa, mas agora que há um filho à caminho, tudo fica mais difícil.

O melhor para si é sair fora desse relacionamento confuso já que o prognóstico não é retilíneo. E partir para uma nova vida, com alguém que não seja comprometido e que possa lhe dar a atenção merecida.

Um abraço.

Casamento por um fio

34.jpg

Boa tarde,

O meu casamento está por um fio.

Desde que o meu segundo filho nasceu (há 2 anos e 9 meses) as coisas têm piorado. Perdemos intimidade. Desde agosto 2016 que não temos qualquer contacto sexual. Já tentamos terapia de casal mas de nada resultou. A minha mulher simplesmente não quer ter trabalho para salvar a relação. Sei que deixei de ser um desafio para a minha esposa e por isso deixei de ter “piada”.

 

Será que me pode ajudar? É possível salvar o casamento sozinho?

Obrigado.

Cumprimentos.

 

Caro Leitor,

O casamento exige muita paciência e dedicação, além de uma comunicação contínua. A maneira de resolver é através do diálogo. Fale com ela para tentarem se entender.

É preciso sempre ter em vista esses 4 pontos:

  • Respeito
  • Reconhecimento
  • Responsabilidade
  • Recreatividade

Também vale manter o romantismo no casamento. Programem passar um fim de- emana em algum lugar simpático sem os filhos. Combinem jantar no restaurante 1 vez por semana ou a cada 15 dias, etc. etc.

A intimidade é importante na relação do casal. Quanto mais distantes mais difícil retomar a intimidade. Use a sua inteligência sexual. Procure cortejá-la, namorar, enfim use o seu poder de sedução.

É preciso ter consciência que mimos, carinhos e presentes podem fazer parte do dia a dia do casal. Elogie, elogios são uma ótima forma para agradar.

Também é importante investir no seu autoconhecimento. Quanto mais nos conhecemos e nos amamos melhor serão relações com os outros. É importante abrir-se para práticas que despertem vontade de intimidade. Converse com sua parceira sobre o que gosta e o que não gosta, muita coisa pode ser melhorada com uma comunicação clara e eficiente.

 

Se entretanto não conseguir sozinho, uma terapia pessoal ou de casal, será de grande ajuda.

 

Tudo de bom

 

 

Dúvidas de separação

25.jpg

Boa noite.

 

Me chamo Catarina, tenho 29 anos sou casada há 13 anos, mas há algum tempo estou com dúvidas em relação a meus sentimentos.

 

Me casei muito nova, em um momento que tinha perdido minha mãe e estava bem fragilizada, pois tive que cuidar dos meus irmãos pequenos e meu pai tinha problemas com bebidas. Meu pai se casou novamente mas eu não aceitava, de tanto as pessoas falarem e colocarem pressão então acabei aceitando, mas tive vários problemas com esta mulher. Então conheci meu marido ele é 13 anos mais velho que eu, mas ele estendeu a mão e me deu carinho, só que quando fui morar com ele em uma situação conturbada, foi bem complicado o começo, ele me deixava muito sozinha e como eu era muito nova aceitava tudo o que ele me dizia.

 

Nesse período batia-me, não tinha paciência, ficava muito zangado, hoje ele é mais controlado.

 

O tempo foi passando e eu passei por uma depressão onde tentei tirar minha vida, porque me desesperei, nos brigávamos muito então ele queria terminar, daí me desesperei, graças a Deus estou viva e sem nenhum sequela e muito mais forte, com isso comecei a rever muitas coisas.

 

Algum tempo comecei a estudar e realizei meu sonho de fazer uma faculdade ele até me apoiou só que agora prestes a me formar ele não quer que me forme coloca vários empecilhos, e também tenho um certo medo pois ele é muito machista e não aceita que tenho amigos homens e fica revoltado. Um dia peguei uma carona com meu patrão o qual ele conhece e é amigo onde a esposa dele também é minha amiga e trabalhamos juntas, ele ficou louco achei que ia bater-me, o que mais me doeu além dos xingamentos foi uma orquídea que ele me deu, ele a quebrou toda e disse que não merecia isso foi pior que uma tapa.

 

Entre outras situações, hoje prefiro ficar no meu trabalho do que vir pra casa, não tenho vontade de ter relações com ele, não sei o que fazer, estou com muitas dúvidas, acho que não gosto mais dele, mas também não tenho coragem de me separar.

 

Até já olhei casas pra alugar, só que estou em cima do muro. Ele fez uma cirurgia então não sai, e também brigamos, o teste disso ele foi fazer e não me falou nada, então pensei em ir embora neste dia mas também pensei que não era o momento por ele estar operado.

 

Preciso saber o que fazer, já não aguento mais tudo isso.

 

Cara Catarina,

O casamento não é fácil. e uma separação pode ser umas das experiências mais emocionalmente desgastantes. Num momento como esse surgem muitas de emoções, dúvidas e conflitos.

Existem alguns pontos fundamentais que devem ser considerados na hora de decidir pela separação ou não. É preciso repensar itens como: parceria, intimidade, respeito, expectativas e planos.

Todos os relacionamentos passam por oscilações e fases onde alguns desses pontos podem estar apenas provisoriamente abalados, mas quando tudo está mal, a solução é a separação.

 

A decisão é sua, pense e avalie junto ele. Dialogue e fale sobre tudo que a incomoda e ouça o que ele tem a lhe dizer.

Só depois de muito diálogo tome uma decisão.

 

 

 

Guerra no casamento

niki17.jpg

 

Bom dia Dra.

 

Cheguei ao seu contato através da internet, me chamo J.S. tenho 43 anos sou casado ha 6 anos minha esposa tem 28 anos, temos 3 filhas.

Cerca de 3 meses vivo uma guerra pois ela conheceu outro homem de mesma idade que ela, antes da traição vir à tona ela disse que não poderia mais estar casada pois devido à problemas do casamento e que havíamos tentado tudo mas não dava mais.

 

Eu relutei argumentando que poderíamos tentar concertar já que passamos por outras crises, logo após esta conversa acabei descobrindo o real motivo, traição mesmo assim não me alterei e mostrei que a amava e poderíamos superar. 

Mas a situação ficou cada vez pior no início ela se mostrava indecisa dividida, agora faz um mês que saiu de casa levando as crianças para casa de familiares. 

 

Já conversamos bastante ela até me disse que me ama mas acha que não dará mais certo, há dois dias confessou que pensou em uma possível volta mas agora voltou a ficar irredutível, pouco conversa, trata-me com certa pena, aconselha-me a conformar-me, assumiu de vez o relacionamento, diz-se estar apaixonada e o rapaz também por ela.

Tentei de tudo pois a amo e quero minha família de volta mas a cada dia vejo esta possibilidade distante.

O que fazer Dra.?

 

Caro J.S.,

 

Não há muito que possa fazer, a não ser falar com ela, talvez conversar com os pais dela para que eles possam ajudar. Talvez ela precise de um tempo para pensar e refletir no que ela realmente sente e quer para a sua vida.

 

Se o que sente por ela é amor e se do lado dela também houver amor, valerá a pena tentar restaurar a relação e rever os problemas no casamento.

 

Não é fácil gerir as inseguranças que resultam deste afastamento e da traição, mas também pode ser uma oportunidade para repensarem a relação. Como têm três filhas o afastamento físico não será longo. Conversem sobre as necessidades de cada um e sobre as mudanças necessárias para voltarem a se entender em harmonia.

 

Pode ser que com o afastamento ela perceba que tudo não passou de uma ilusão, mas que tenha sido apenas uma aventura com necessidade de afirmação.

 

Continue compreensivo com ela e caso nada funcionar não se desespere, mas aprenda a se valorizar e procure tomar um novo rumo na sua vida.

Uma terapia de casal é sempre benéfica nesses casos, para que possam elaborar o sucedido e para que não sobrem rancores ou ideias infundadas.

 

Traição no casamento

chagall24.jpg 

Bom dia Dra.

Chamo-me P e vivo actualmente uma situação, para a qual espero, que me possa ajudar, com o seu discernimento e experiência.

História comprida...mas vou tentar ser breve!

Estou casada há 19 anos, com um namoro para trás, de 11 anos, 2 filhos lindos de 17 e 14 anos. Tenho 46 anos.

Não se pode dizer que meu casamento nos últimos anos fosse um "mar de rosas". Como todos os casais, tínhamos os nossos altos e baixos.

 

Em Março descobri que o meu marido me tinha traído com uma colega de trabalho, com quem já tínhamos saído algumas vezes, que me conhece. Devo dizer que das vezes que estive com ela, apesar de saber que não havia nada entre eles, senti um "clima"!!

Confrontei-o quando descobri o caso...negou...mostrei provas...assumiu...

Tinha acontecido apenas uma vez, pensei eu, sem saber como reagir.

Afinal já não era a primeira vez. E assim como estava com ela, estava comigo. O sexo entre nós continuou a existir, porque ele me procurava apesar de já andar envolvido com ela.

 

Nunca me pediu desculpa, não mostrou arrependimento e disse a frase da praxe "Foi uma vez. Vamos dar uma oportunidade ao nosso casamento"

Pelo contrário, apesar de "apanhado", optou por continuar com o caso!

 

Voltei a descobrir... reservas de hotéis atrás de reservas... voltei a confrontar... na conversa só me perguntava "O que queres que faça?"!! Pergunto: Eu é que tenho que decidir?!? Fácil, muito fácil... passar a decisão para o meu lado!

Disse-me que queria era que eu ficasse bem com a situação!! Mantermos o casamento pelos filhos e em nome dos 30 anos de amizade!!!!

 

O problema principal e motivo e discórdia do casal passava sempre pelo plano sexual. Para o meu marido a quantidade nunca era a suficiente e a justificação para o que está a fazer é a de que eu não lhe dava o que ele precisava.

Um casamento não é feito só de sexo! Onde está o amor, a fidelidade, o companheirismo, o respeito??

Diz que nunca foi intenção dele acabar com o casamento. Que é apenas uma questão sexual...

Estou completamente desfeita... Um turbilhão de emoções dentro de mim que não passa... perdi peso...sempre com vontade de chorar...

 

Desde o inicio do ano que estou desempregada. Não tenho independência financeira nem ajudas que me permitam tomar uma decisão de acabar com tudo. Só penso nos meus filhos!!!

Passados estes meses todos, tivemos mais uma conversa. Sem ataques, sem choros, sem raiva. Preciso de perceber...

E percebi... em parte... a decisão está do meu lado! Disse-lhe que nos manteríamos juntos (na mesma casa) e que o tempo diria o que aconteceria.

 

Não lhe prometia nada, não o iludia. Tenho muitas emoções para resolver dentro de mim. Não consigo sequer imaginar que me toque, quanto mais fazer amor com ele... disse-lho, sem puder prever prazos claro!! Ao que me respondeu que tinha de perceber quanto tempo eu precisava para "me resolver". Que se fosse 6 meses ou mais, não garantia que aguentasse e não voltasse a fazer o mesmo!!

Até hoje não me disse se tinha terminado tudo com a outra ou não. Não sei... Não sei o que fazer... o que pensar...

 

Preciso de ajuda!! Por favor ajude-me a ter discernimento!! Preciso de paz.

Peço desculpa pelo relato tão longo... e muito mais havia a dizer.

 

Obrigada Dra. Mariagrazia

 

Cara P.,

Numa união saudável, o casal deve sentir amor e atração sexual. E também conseguir expressar sentimentos, resolver conflitos e problemas que surgem naturalmente, respeitar diferenças individuais, ter responsabilidade por suas ações (sem esperar que o outro resolva as carências que sente) e relacionar-se fora do casamento, cultivando amigos e interesses.

 

Penso que o melhor no vosso caso seria fazer uma terapia de casal pois a crença de que os conflitos internos passam com o tempo está errada. Não passa. Aliás, pode piorar, porque os problemas estão lá.

 

O terapeuta vai tentar compreender as razões da crise do casal e propor caminhos alternativos para apaziguar as discussões, alcançar a compreensão e trazer de volta o encantamento.

Muitas questões da vida íntima de um casal, como a insatisfação sexual e casos extraconjugais, são tratados com a descrição e seriedade que merecem. É uma terapia centrada no relacionamento amoroso.

 

Saiba que uma traição acontece nos melhores casais e que em muitos casos pode ser a salvação para um novo recomeço.

Entretanto procure aumentar o diálogo com ele, conversem e conversem, esse é sempre um bom caminho e início para uma compreensão e um melhor entendimento mútuo.

 

Um abraço

 

Viver outro amor

amado.jpgAtualmente estou vivendo uma dúvida amorosa, tenho 38 anos, sou casado a 15 anos tenho 2 filhos, um menino de 15 e uma menina de 9. Hoje meu casamento está na melhor fase amo minha esposa meus filhos, e nos damos muito bem na cama e no relacionamento. Acontece que a aproximadamente 2 anos conheci uma menina de 28 anos no trabalho e inicialmente me interessei muito por ela, começamos a conversar, porém sem falar de sentimentos, apenas amigos mesmo, eu nem pensava nela, porém eu sabia que sentia leve atração por ela, mas não sabia se era recíproco. Foram passando meses e eu senti esse sentimento e o desejo por ela aumentar cada vez mais, até que eu comecei a perceber que estava sendo correspondido por ela. Resumindo a 3 meses atrás eu me abri com ela, conversei e falei que estava apaixonado por ela desde de começo que a conheci, mas nunca tive coragem de falar antes até porque sou casado e ela namora a 3 anos...

 

Enfim isso acendeu a chama, posso dizer explodiu nossos sentimentos, começamos a conversar por WhatsApp, pessoalmente, final de semana, feriado, literalmente 24hs eu pensava nela e ela em mim. Até o presente momento Ficamos juntos apenas com beijos, carícias, carinhos etc., ainda não rolou sexo, mas já falamos muito sobre isso e tivemos conversas maliciosas. Ela diz que mudou muito com namorado dela, pois só pensa em mim 24 hs e eu nela, confesso que mudei com minha esposa tb, estou perdidamente apaixonado por ela. Ela disse que quer terminar como namorado dela, e que eu achava. Eu Disse para ela não terminar pois ainda é cedo para isso. Convido ela toda semana para sair comigo à noite para ficarmos a sós, mas ela disse que não consegue trair o namorado é que quer terminar para fazer isso sem sua consciência pesar... Estou louco por ela, o que ela pedir eu faço.

 

E ainda agora que ela também me corresponde nossa estou ficando louco. Ela pediu para eu me separar mas eu disse que é difícil, eu estou há 15 anos casado e ela concordou. Porém, ela me pede várias vezes, diz que para ela é bem mais fácil de separar é difícil para mim. O grande problema é que amo minha esposa e estou perdidamente apaixonado por ela. Já pensei centenas de vezes em contar para minha esposa, e propor um casamento aberto, um trisal, um poliamor ... Mas tenho medo da reação dela e por tudo a perder. ??? Já propus isso para a segunda tb e a princípio ela não aceitou. Kkkk disse que sou louco... Não sei o que fazer não quero me separar e se a outra me largar acho que vou chorar meses e entrar em depressão.

 

Acontece que no fundo eu quero viver esse outro amor. Quero sentir algo diferente e não vou desistir mesmo que quebre a cara. Quero ficar com duas e vou tentar convencê-las. Sinto que amo as duas.

 

Caro Ale,

Está envolvido emocionalmente numa aventura passional e que como tal vulnerável a agir impulsivamente, sem muita consciência das consequências futuras.

 

O melhor é ser cauteloso e precavido no sentido de não estragar o seu casamento por um impulso, que poderá vir mais tarde a se arrepender. Dê tempo ao tempo. O seu envolvimento com essa menina pode ser só sexual e caso se concretize poderá resultar numa deceção ou deixar uma culpa angustiante, além de poder levar a uma rutura familiar com o fim do seu casamento.

 

Parece estar a viver a “idade do lobo”, quando o homem, por volta dos 40 anos passa a viver uma crise de meia-idade. É quando o homem avalia seus sonhos, alvos e projetos e fica satisfeito ou frustrado, quando ele passa a questionar tudo, inclusive a vida.

 

Dizem que na faixa dos 40 anos, os homens transformaram-se em "lobos vorazes", saindo à caça de presas, de amores antigos ou novos, que satisfaçam sua autoafirmação masculina. Mas a busca extraconjugal não passa de um simples alívio temporário a conflitos emocionais mais sérios.

 

A solução é reconhecer essa fase de mudança; cuidar da autoestima e identidade; incorporar as mudanças que o enriquecerão positivamente; estar aberto a transformações e possibilidades futuras; construir uma identidade adequada ampliando e diversificando papéis significativos em outras áreas de sua vida e expressar seus sentimentos de uma maneira saudável.

 

Não penso que a sua mulher vá aderir ao seu desejo e o melhor é não contar e nem propor nada para ela, mas procurar resolver a sua situação da melhor maneira para que não conduza a sofrimentos maiores.

Essa paixão poderá transformar-se numa desilusão e é preciso muita cautela até ter a consciência clara dos seus sentimentos.

Fique bem

 

Crise no casamento

 

magritte28.jpg

 

Cara Mariagrazia,  

Te escrevo pedindo ajuda.   

Sou casada há 7 anos, mas estou neste relacionamento a 14 anos. Quando me casei tinha apenas 21 anos, meu marido já tinha 27. Minha filha nasceu no mesmo ano que nos casamos. Nós tínhamos um bom relacionamento e sempre conversamos sobre os problemas.   Após 5 anos de casados ele conheceu uma pessoa e se separou para ficar com ela. Dizia estar apaixonado e ela era o que ele queria. Ele saiu de casa e eu, para não ficar sozinha, fui morar com meus pais. Me sentia perdida e não sabia como viver sem ele. Não cheguei a contar para minha filha. Ela não entendia o que estava acontecendo, mas estava um pouco agressiva e nervosa.  

A separação não durou muito. Ele ia quase todos os dias me visitar. Às vezes usava minha filha como desculpa para a visita. Me pedia para ficar com ele, para voltar para casa, mas não se separava da outra. Eu viajei durante um mês e quando voltei ele me pediu perdão e queria reatar o casamento. Se separou da outra e eu voltei para casa. Mas não era como antes. Durante muito tempo eu não confiei nele.  

Agora, 2 anos depois dessa crise estamos em outra. Ele me disse que estava infeliz e que o casamento não estava bom. Tinha dúvida se devia ter mesmo reatado o casamento. Que me via apenas como amiga. Ele está com outra pessoa, mas diz que não é como da última vez. Que não é paixão, apenas um encontro casual. Ao mesmo tempo diz que gosta de mim, que quer a minha felicidade, mas não consegue deixar-me livre. Sente ciúmes e fica inseguro. Ele está confuso e essa situação está a me machucar muito. Enquanto ele vive eu sofro. E quando tento sair e me divertir ele fica preocupado.  

Eu quero ajudar, mas não sei o que fazer. Tenho tentado ser imparcial nas conversas, mas é muito difícil. Ele quer procurar um médico, uma ajuda profissional. Mas eu tenho medo de no fim ele perceber que é melhor se separar. Por mais que eu queria a felicidade dele e já me esteja a preparar para a separação eu ainda o amo.   O que fazer? Por favor me ajude.  

J.
 

Cara J.,

Um casal precisa se ajustar minimamente um a outro no casamento  e  limar arestas em pequenas coisas.

Procure dialogar com seu marido e esclarecer com ele as coisas que não estão bem. Sempre no casal a culpa é de ambos, conversem e encontrem pontos para melhorar. Não se fixe na infidelidade, mas procure se entender com ele e investir no seu casamento. Para que um casamento resulte é preciso: se colocar no lugar dele, compreender o que o outro possa sentir e ter consideração pelo parceiro como fazer favores, delicadezas e cuidados.

Ninguém é perfeito, é preciso encontrar uma harmonia. Quando existe amor, tudo acaba por dar certo mas é preciso empenho, fé e muita paciência.

O diálogo é sempre a melhor solução. Fale com ela e tente esclarecer e façam algum compromisso possível e uma negociação.

Se não conseguirem sozinhos, podem recorrer a uma terapia de casal para vos ajudar. Um psicólogo pode ajudar o casal a encontrar uma forma harmónica de se relacionar. Portanto, assim como existe a possibilidade de uma boa melhora no relacionamento, nada impede que os envolvidos cheguem à conclusão de que serão mais felizes separados. Nesse caso, mesmo que a dor seja inevitável, é provável que o fim se mostre menos traumático, pois ambos puderam se expressar e refletir antes de tomar uma decisão.

Um abraço

 

Filho do primeiro casamento

magritte26.jpg

 

Eu estou no meu terceiro relacionamento sério no primeiro tive um filho fruto do meu primeiro casamento só tenho ele como filho e estou com minha atual esposa cerca de 2 anos ela tem dois filhos um de 7 e outro de 15 eles me adoram me tem como pai pois perderam os pais cerca de dois anos o problema e que minha esposa não aceita meu filho morar com a gente fala que vai trazer a mãe dele para nossa vida e bla bla bla, já não sei que fazer amo meu filho e amo ela meu filho esta precisando de mim pois a mãe dele não tem juízo fica em baladas bares e meu filho quer morar comigo o que fazer quero compreendê-la também fico com receio do meu filho não gostar mais de mim?

Me ajuda por favor

 

Caro Leitor,

Se a sua companheira não tem sensibilidade para entender a necessidade de ter seu filho consigo, demonstra uma atitude egoísta, injusta e pouco flexível. Fale com ela e insista no seu desejo. Se ela não estiver disposta a viver com seu filho não parece que será possível manter a relação, mais cedo ou mais tarde romper-se-á. Lembre-se que o seu filho é a coisa mais importante na vida e que precisa de um pai e de uma família.

Tudo de bom

 

 

Esposa infiel

 

 

Bom dia!

Flagrei minha esposa com outro, e após isso ela pediu um recomeço, eu aceitei no mesmo instante, achei até que errei.

Ela alegou que de aquilo por me achar distante, que não a priorizava. E ela sempre desconfiou muito que a trai por diversas vezes durante 4 anos que moramos juntos.

E hoje eu desconfio que ela ainda mantenha esse amante. O que devo fazer?

A.

 

Caro A.,

 

Converse com ela, o diálogo é sempre a melhor solução. O importante é não tomar decisões impulsivas. Mesmo que ainda mantenha o amante pode voltar para si e pode ser só uma questão de tempo. Infidelidades acontecem e "perdoar" é um sinal de maturidade.

 

Claro que não vai aturar que ela continue com o amante, mas vale repensar a relação antes de por tudo a perder e ter consciência que um  casamento pode sobreviver a uma traição mas não aguenta havendo infidelidade constante. É preciso que ambos tentem perceber o que levou à  infidelidade e tentem acima de tudo, sanar a relação.  E neste processo, terão de voltar a cultivar laços de confiança, o que envolve um processo que pode ser moroso, mas jamais impossível.

 

Tudo de bom