Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Consultório de Psicologia

Espaço de transformação com a finalidade de orientar, ajudar, esclarecer dúvidas e inquietações. Encontre equilíbrio, use sua criatividade e deixe fluir sua energia. Mariagrazia Marini Luwisch

Consultório de Psicologia

Espaço de transformação com a finalidade de orientar, ajudar, esclarecer dúvidas e inquietações. Encontre equilíbrio, use sua criatividade e deixe fluir sua energia. Mariagrazia Marini Luwisch

Ciúme e discussões

 

Viva Dr.ª Mariagrazia,

 

Escrevo para lhe pedir um conselho. Não consigo lidar com o ciúme do meu companheiro. As discussões e a raiva tomaram posse do relacionamento. Ele sabe que tem uma "paranóia" mas não consegue evitar ser desrespeitoso e cáustico comigo.

 

Gostamos um do outro, mas não tenho ferramentas para o ajudar. O meu maior problema são as explosões de raiva que já não consigo controlar, sinto-me cansada e impotente.

Há outras maneiras de abordar a questão com ele? Estou apreensiva em lhe falar de psicólogo ou psiquiatra, até nisso vamos discutir e já não sobra energia para tanto.

 

Cumprimentos

 

MJ

 

Cara MJ,

 

As pessoas que sofrem deste tipo de desordem de personalidade muitas vezes se caracterizam pela sua falta de abertura e flexibilidade, não só em suas rotinas diárias, mas também com as relações interpessoais e expectativas.

 

O ciúme é uma reação egóica para compensar tanto o medo da separação como o medo de perder o controle, e revela uma genuína incapacidade de sentir dor e aceitar separações, fracassos e derrotas. Não nos relacionamos verdadeiramente com alguém, quando pensamos que teremos o controle sobre o outro e que agindo assim poderemos evitar separações e sofrimentos.

O ciúme possessivo destrói a relação e se não forem trabalhadas estas questões há um desgaste muito rápido na relação, interferindo em direitos e deveres de cada um e principalmente no respeito entre o casal.

 

É importante manter o respeito por si e pelo parceiro; em vez de agressividade fomente o diálogo franco, analise os motivos que podem estar na origem de tais situações e exponham os próprios sentimentos sem ferir a suscetibilidade e os sentimentos do outro.

Uma relação amorosa não pode tolerar a auto-anulação ou qualquer espécie de agressão verbal, física ou emocional.


A terapia individual ou de casal é uma boa solução e pode representar uma grande ajuda no sentido da cura. Procure dialogar com ele e tente motivá-lo para um tratamento.

 

Fique bem