Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Consultório de Psicologia

Espaço de transformação com a finalidade de orientar, ajudar, esclarecer dúvidas e inquietações. Encontre equilíbrio, use sua criatividade e deixe fluir sua energia. Mariagrazia Marini Luwisch

Consultório de Psicologia

Espaço de transformação com a finalidade de orientar, ajudar, esclarecer dúvidas e inquietações. Encontre equilíbrio, use sua criatividade e deixe fluir sua energia. Mariagrazia Marini Luwisch

Amor

33.jpgAMORfb_0ba41c4cab341aba8aca35ffdc1b2670

 

“Amor é fogo que arde sem se ver”, Luís de Camões.

 

A primeira grande relação de amor é a vinculação afetiva, expressa pelo cuidado e vivida pelo sentimento de ternura e os seus derivados como a compaixão e a admiração. Em todos os tipos de relações amorosas, a bondade e a preocupação com o bem-estar do outro surgem como um ponto essencial para um relacionamento saudável.
É preciso lembrar que violência não é amor. Expressar amor é nutrir as nossas relações com bondade e compaixão, para ter uma vida mais feliz, equilibrada e harmoniosa.

Envolvimento e compromisso

 

Antes de mais obrigada pelo site.

Gostaria da sua ajuda para um dos meus problemas.

 

Tenho 27 anos e envolvi-me com um rapaz de 20 anos. Gosto dele. Tinha esperança que ele me pedisse namoro enquanto
andamos envolvidos. Ao falarmos disso ele disse que como ia viver para fora não queria namorar, só quando viesse é que conseguia assumir compromisso. Falamos bastante. Entretanto ele disse-me que gostava de outra rapariga, a mesma que gostava antes de nos envolvermos.

 

O que devo fazer? Como devo ver a situação?

Quando nos envolvemos com alguém até quando podemos esperar que o outro assuma o compromisso? É possível conquistá-lo se continuar o envolvimento sem compromisso?

O problema é que tenho receio que seja só por motivos sexuais da parte dele.

Isto é o que mais me preocupa. No fundo eu queria que ele gostasse de mim como eu gosto dele.

 

Agradecia umas palavras suas sobre isto.

 

Obrigada.