Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Consultório de Psicologia

Espaço de transformação com a finalidade de orientar, ajudar, esclarecer dúvidas e inquietações. Encontre equilíbrio, use sua criatividade e deixe fluir sua energia. Mariagrazia Marini Luwisch

Consultório de Psicologia

Espaço de transformação com a finalidade de orientar, ajudar, esclarecer dúvidas e inquietações. Encontre equilíbrio, use sua criatividade e deixe fluir sua energia. Mariagrazia Marini Luwisch

Muita raiva

picasso42.jpg

 

 

Olá, preciso de ajuda e não tenho com quem conversar, as vezes explodo por não ser compreendido e não consigo expressar o que sinto. Estou perdendo minha noiva por conta dos meus ataques de raiva que vem sendo muito frequentes, tento me controlar mas não consigo. Não sei mais o que fazer, as vezes me Machuco e destruo tudo que tem a minha volta, só queria dizer o que sinto e ser compreendido.

Ass. C.

 

Caro C.,

Pensamentos disfuncionais aparecem com frequência durante situações em que a raiva é excessiva, além de crenças irracionais.

Procure perceber o que sente e o que faz despoletar a sua raiva para tentar controlar.

Enfrentar a raiva é como um jogo que exige concentração, estratégia e capacidade para identificar o alvo. É preciso descobrir o que nos faz perder o controlo e com paciência eliminar ou aprender a gerir os problemas.

 

Métodos que ajudam a pessoa a lidar melhor com a explosão de raiva e a controlar os impulsos e a ansiedade:

-Respire! Inspirar e expirar profundamente o ar ajuda a oxigenar o cérebro e relaxar a musculatura.

-Pratique atividade física regularmente.

-Levante hipóteses sobre o conflito, ele pode não representar um ataque direto contra você.

-Mude de ambiente e afaste-se da pessoa ou situação que causou a tensão. Dessa forma, você conseguirá encarar o problema de forma mais controlada.

 

Se não conseguir sozinho procure ajuda profissional, pois essas explosões podem piorar e estragar a sua relação e dificultar a sua vida.

 

Fique bem

 

 

 

Alcoolismo

 

 

Boa tarde,   O meu marido tem um problema com o álcool, quando começa a beber, tem dificuldade em parar. Eu já não sei que atitude tomar! É capaz de estar meses sem beber, mas se vai almoçar com amigos ou sozinho mas sem mim, não consegue se controlar.

 

Da última vez fui dar com ele caído com sangue na cabeça e a dormir á porta de casa às 4 da manhã. Chamei uma ambulância e levaram no para o hospital. Ele jurou pela filha que nunca mais punha uma gota de álcool na boca. Pensei que este susto resolvesse, mas enganei-me!   Como poderei ajudá-lo? Ele não assume que é alcoólico, porque diz que é capaz de estar meses sem beber. S.

 

Cara S.,

 

Alcoólatra é também quando há perda de controlo: a inabilidade frequente de parar de beber uma vez que a pessoa já começou!

 

O alcoolismo tem pouco a ver com o tipo de álcool bebido por uma pessoa, há quanto tempo a pessoa bebe, ou até mesmo exatamente quanto álcool bebe. Porém, tem muito a ver com a necessidade incontrolável por álcool. Esta descrição do alcoolismo nos ajuda a entender o porquê de a maioria dos dependentes de álcool não conseguir se valer só de "força de vontade" para parar de beber. Estas pessoas estão sob a forte compulsão do álcool, uma necessidade que se mostra tão forte quanto a sede ou a fome.

Embora o alcoolismo seja uma doença tratável, ainda não há cura. Isto significa que mesmo que um dependente de álcool esteja sóbrio por muito tempo e tenha sua saúde de volta, ele ainda está suscetível a recaídas e deve continuar a evitar todas as bebidas alcoólicas. "Reduzir" não adianta; parar é necessário para uma recuperação bem-sucedida.

 

Ele precisa procurar ajuda, o melhor seria ele frequentar um grupo de alcoólicos anónimos para se conscientizar do seu problema e aprender a controlar-se para não beber absolutamente nada álcoolico.

 

Também pode ser ajudado por um tratamento psicológico  onde poderá expor seus problemas e dificuldades e conscientizar-se de qual a melhor maneira de superá-los.

 

Um abraço e tudo de bom

Prazer retardado

Tenho uma relação recente com uma mulher fantástica! É uma pessoa dinâmica, forte, persistente e… muito exigente na cama! E aqui nascem os problemas! Sou um homem que gosta de ter tudo sob controlo e não quero que a minha mulher possa sentir-se insatisfeita quanto à minha performance.

 

Para não fazer “má figura” eu procuro retardar ao máximo o meu prazer. Mas descobri que ela não gosta assim, aliás teme que eu não esteja suficientemente excitado. O fato é que não consigo apressar a relação. O que posso fazer?