Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Consultório de Psicologia

Espaço de transformação com a finalidade de orientar, ajudar, esclarecer dúvidas e inquietações. Encontre equilíbrio, use sua criatividade e deixe fluir sua energia. Mariagrazia Marini Luwisch

Consultório de Psicologia

Espaço de transformação com a finalidade de orientar, ajudar, esclarecer dúvidas e inquietações. Encontre equilíbrio, use sua criatividade e deixe fluir sua energia. Mariagrazia Marini Luwisch

Dependência emocional com a mãe

niki10.jpg

 

 

 

Olá, doutora! Tudo bem?

Estou passando por uma situação da qual não vejo muita solução. Gostaria de receber comentários seus sobre o assunto.

Sou a M., tenho 21 anos. Moro com minha mãe e fazemos praticamente tudo juntas. Dormimos no mesmo quarto, estudamos, comemos... Tudo juntas. E quando vou para a faculdade, vamos e voltamos juntas de carro porque ela passa o tempo estudando na biblioteca (ela está desempregada e estuda na biblioteca durante minhas aulas).

E agora como se não bastasse, vamos começar a fazer academia juntas.

 

Tenho sentido muito incómodo com isso, porque sinto que preciso mais espaço. Mas todas as minhas tentativas de conseguir isso faz ela pensar que não a amo, que sou fria. Ou então ela acaba convencendo-me de que essa é a forma mais conveniente de passarmos nossa rotina, que não tem nenhum problema. E assim continua pra sempre...

Às vezes minto para conseguir algumas horinhas longe dela. Pra ler um livro ou qualquer atividade em que eu aproveite a minha própria companhia ou a de amigos.

Não sei se poderia falar a verdade, pois ela sempre me convence de que é melhor eu fazer essas coisas depois, ou fazer outras coisas (junto dela).

 

Preciso me libertar, mas não sei por onde começar.

Obrigada, doutora.

Abraço.

 

Cara M.,

Quando a mãe tem a função de mãe e o pai tem a função de pai temos uma família funcional, se não for assim teremos uma família disfuncional, onde as relações entre os seus membros não são equilibradas e estáveis e onde os padrões de comunicação alterados conduzem a problemas crónicos no seio da família. Parece que a sua mãe tem uma relação patológica consigo e que esse exagero de convivência é prejudicial para o seu amadurecimento.

 

A relação com a sua mãe é de dependência emocional, uma relação simbiótica e muito pouco saudável. É preciso que encontre o seu equilíbrio e o seu próprio espaço para viver a sua individualidade. Cabe a si não se deixar envolver em demasia e ter consciência que tem o direito de viver a sua própria vida, o que não inviabiliza o afeto e o amor que sente pela sua mãe.

 

Fale com ela e explique o que sente e as necessidades que precisa e não desista de tentar a sua independência afetiva.

Um abraço

Computador bloqueado

niki1.jpg

 

 

 

Boa noite 

Eu sou o Gui e tenho 17 anos e entrei este ano para a faculdade.

O meu pai nunca teve muita confiança em mim uma vez que nos meus anos escolares anteriores à faculdade era bastante irresponsável imaturo.

O que aconteceu foi o seguinte: o meu pai comprou-me um computador novo porque o meu computador atual está bastante estragado e com vírus, mas continua funcional.

Ao me comprar um computador novo bloqueou o acesso às redes sociais e aos jogos. Eu estou num curso onde muitos dos meus colegas jogam jogos e como tenho muito tempo livre, jogo sempre à noite depois de estudar e de jantar um jogo online com os meus amigos. O meu pai sempre que me vê a jogar fica todo exaltado e diz "isso não é vida".

Resumindo, eu tou a dar imensas provas de responsabilidade ao meu pai como o facto de estar sempre a estudar e passar tardes na biblioteca a estudar e boas notas e mesmo assim ele continua a não ter confiança em mim porque diz que é para o meu bem eu deixar de jogar jogos.

Eu acho que é normal quando se tem um tempo livre jogar uns jogos de computador e o meu pai está a me privar disso. 

Desculpe não me conseguir expressar da melhor maneira mas eu estou bastante nervoso e com vontade de fugir de casa.

Obrigado

 

Caro Gui,

Fugir de casa não vai resolver o teu problema, pelo contrário só vai agravar o relacionamento familiar e a tua vida.

Não se trata de não confiar em ti, mas o teu pai quer evitar que te tornes dependente do mundo digital e principalmente de jogos on-line. Jogar on-line pode ser normal dependendo das condições e desde que o tempo de jogo seja limitado. Se para ti é muito importante, fale com teu pai assim como falou comigo e demonstra-lhe que pode confiar em ti. Faz uma negociação com ele e define um tempo para jogar e ao mesmo tempo preenche o teu tempo livre com leituras, atividade física, desporto, de modo equilibrar o tempo despendido na vida virtual e real.

Lembra-te que jogar pode ser uma evasão e um alheamento. É preciso ganhares o gosto por atividades alternativas.

Um abraço e parabéns pelo estudo!

Teste de Dependência da Internet

addicted.gif

Teste de Dependência da Internet

"Internet Addiction Test (IAT)"

Para avaliar o seu nível de dependência, atribua à resposta a cada pergunta o valor adequado segundo a seguinte escala:

1 - Raramente
2 – Ocasionalmente
3 – Frequentemente
4 – Quase Sempre
5 – Sempre
0 – Não se aplica

 

1. Está ligado à Internet mais tempo do que pretendia?

1 - Raramente
2 - Ocasionalmente
3 - Frequentemente
4 - Quase sempre
5 - Sempre
0 - Não se aplica

 

1 2 3  4 5 0

2. Negligencia tarefas domésticas para passar mais tempo ligado?

1 - Raramente
2 - Ocasionalmente
3 - Frequentemente
4 - Quase sempre
5 - Sempre
0 - Não se aplica



1 2 3  45 0

3. Prefere a excitação da Internet à intimidade com o seu parceiro?

1 - Raramente
2 - Ocasionalmente
3 - Frequentemente
4 - Quase sempre
5 - Sempre
0 - Não se aplica

 

1 2 3 4 5 0

4. Estabelece novas relações com outros utilizadores na Internet?

1 - Raramente
2 - Ocasionalmente
3 - Frequentemente
4 - Quase sempre
5 - Sempre
0 - Não se aplica

 

1 2 3 4 5 0

5. As pessoas próximas de si se queixam sobre o tempo que passa ligado?

1 - Raramente
2 - Ocasionalmente
3 - Frequentemente
4 - Quase sempre
5 - Sempre
0 - Não se aplica

 

1 2 3 4 5 0

6. Os seus afazeres são alterados devido ao tempo que passa ligado?

1 - Raramente
2 - Ocasionalmente
3 - Frequentemente
4 - Quase sempre
5 - Sempre
0 - Não se aplica

 

1 2 3 4 5 0

7. Verifica o correio electrónico antes de qualquer outra coisa que precise de fazer?

1 - Raramente
2 - Ocasionalmente
3 - Frequentemente
4 - Quase sempre
5 - Sempre
0 - Não se aplica

 

1 2 3 4 5 0

8. O seu desempenho ou produtividade no trabalho sofrem devido à Internet?

1 - Raramente
2 - Ocasionalmente
3 - Frequentemente
4 - Quase sempre
5 - Sempre
0 - Não se aplica



1 2 3 4 5 0

9. Tem uma atitude defensiva ou de secretismo quando alguém lhe pergunta o que está a fazer na Internet?

1 - Raramente
2 - Ocasionalmente
3 - Frequentemente
4 - Quase sempre
5 - Sempre
0 - Não se aplica



1 2 3 4 5 0

10. Bloqueia os pensamentos perturbantes sobre a sua vida com pensamentos reconfortantes da Internet?

1 - Raramente
2 - Ocasionalmente
3 - Frequentemente
4 - Quase sempre
5 - Sempre
0 - Não se aplica

 

1 2 3 4 5 0

11. Se encontra a desejar voltar a estar ligado à Internet novamente?

1 - Raramente
2 - Ocasionalmente
3 - Frequentemente
4 - Quase sempre
5 - Sempre
0 - Não se aplica

 

1 2 3 4 5 0

12. Tem receio de que a vida sem Internet seja aborrecida, vazia e sem alegria?

1 - Raramente
2 - Ocasionalmente
3 - Frequentemente
4 - Quase sempre
5 - Sempre
0 - Não se aplica

 

1 2 3 4 5 0

13. Refila, grita ou fica irritado(a) se alguém o(a) incomoda enquanto está na Internet?

1 - Raramente
2 - Ocasionalmente
3 - Frequentemente
4 - Quase sempre
5 - Sempre
0 - Não se aplica

 

1 2 3 4 5 0

14. Perde o sono devido a estar na Internet até muito tarde?

1 - Raramente
2 - Ocasionalmente
3 - Frequentemente
4 - Quase sempre
5 - Sempre
0 - Não se aplica

 

1 2 3 4 5 0

15. Fica preocupado com a Internet quando não está ligado ou fantasia com estar na Internet?

1 - Raramente
2 - Ocasionalmente
3 - Frequentemente
4 - Quase sempre
5 - Sempre
0 - Não se aplica

 

1 2 3 4 5 0

16. Dá por si a dizer “só mais uns minutos” quando está na Internet?

1 - Raramente
2 - Ocasionalmente
3 - Frequentemente
4 - Quase sempre
5 - Sempre
0 - Não se aplica

 

1 2 3 4 5 0

17. Tenta reduzir a quantidade de tempo que passa na Internet e não consegue?

1 - Raramente
2 - Ocasionalmente
3 - Frequentemente
4 - Quase sempre
5 - Sempre
0 - Não se aplica

 

1 2 3 4 5 0

18. Tenta esconder a quantidade de tempo que passou na Internet?

1 - Raramente
2 - Ocasionalmente
3 - Frequentemente
4 - Quase sempre
5 - Sempre
0 - Não se aplica

 

1 2 3 4 5 0

19. Escolhe passar mais tempo na Internet em detrimento de sair com outras pessoas?

1 - Raramente
2 - Ocasionalmente
3 - Frequentemente
4 - Quase sempre
5 - Sempre
0 - Não se aplica

 

1 2 3 4 5 0

20. Se sente deprimido(a), instável ou nervoso(a) quando não está  na Internet e isso desaparece quando volta a estar ligado?

1 - Raramente
2 - Ocasionalmente
3 - Frequentemente
4 - Quase sempre
5 - Sempre
0 - Não se aplica

 

1 2 3 4 5 0

 

Pontuação: some todos os pontos e anote o Resultado.

Quanto mais alta a pontuação for, maior é o nível de dependência e os problemas que o uso da Internet provoca.

Segue a escala geral para ajudar a medir a sua pontuação:

 

0-19 pontos: Você é um utilizador pouco frequente e tem controle do seu tempo de utilização da internet.

 
20-49 pontos: Você é um utilizador médio. Por vezes poderá até navegar na Internet um pouco demais, no entanto, tem controlo sobre a sua utilização.

50-79 pontos: Você está a ter problemas ocasionais ou frequentes devido ao uso da Internet. Deve considerar o verdadeiro impacto de estar ligado à Internet na sua vida.

80-100 pontos: A utilização da Internet está a causar problemas significativos na sua vida. Deve avaliar o impacto da Internet e lidar com os problemas causados directamente pela sua utilização da mesma.

 

 

fonte: Dra. Kimberly Young

Filha dependente

 

Diego Velásquez

 

 

Bom dia,

 

Não sei muito bem como começar a descrever a situação... tenho uma filha de 8 anos completamente dependente de mim.

 

Desde o momento em que chego a casa (entre banho / jantar / dormir ) ela tem que saber sempre em que ponto da casa eu estou. Já conversei com ela sobre toda esta situação, ela diz-me que sim que percebe tudo mas que me quer ao pé dela, já lhe disse para ela não ter medo porque eu não me vou embora mas sem resultado. Ela quer que eu me deite com ela, que durma com ela (se saio da cama dela depois de adormecer, acorda durante a noite e vai para a minha cama).

 

O ritual antes de ir dormir é sempre o mesmo (tenho por habito desde sempre em ler-lhe um bocadinho e quando ela começou a ler tento estimular-lhe o gosto pelos livros), depois da leitura ficava deitada e adormecia, mas agora faz birra e não quer ficar sozinha na cama e diz que não tem sono.

 

Eu sinto-me a desgastar e a precisar de um tempo para estar comigo, a somar a isto está o meu marido que deixámos de ter tempo para conversar e um outro filho de 4 anos que felizmente ou infelizmente chega a casa a dormir e que só acorda no dia seguinte para ir para casa dos avós (tendo só a atenção dos pais um bocadinho ao final da tarde).

 

Na altura do nascimento do irmão, a pediatra comentou-me que poderia haver uma regressão por parte dela, mas isso nunca aconteceu, estará a acontecer agora, 4 anos depois?

 

Não sei como agir....

 

Obrigada