Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Consultório de Psicologia

Espaço de transformação com a finalidade de orientar, ajudar, esclarecer dúvidas e inquietações. Encontre equilíbrio, use sua criatividade e deixe fluir sua energia. Mariagrazia Marini Luwisch

Consultório de Psicologia

Espaço de transformação com a finalidade de orientar, ajudar, esclarecer dúvidas e inquietações. Encontre equilíbrio, use sua criatividade e deixe fluir sua energia. Mariagrazia Marini Luwisch

Colega ou amante

21.jpg

Olá,

vi seu blog e gostei. Preciso de ajuda. Já conversei com algumas amigas que sabem meu problema, resolveu por um tempo mas não estou sabendo lidar com isso de novo.

Vou resumir minha história. Sou casada há 17 anos e tenho dois filhos. Sempre vivi em função de minha família, me dedicava em tempo integral a todos e com o passar do tempo comecei a notar que eu me anulava que não fazia nada pra mim. Sempre que saíamos era em lugares que meu marido gostava e o que eu gostava foi ficando de lado e cada vez mais distante. E com o passar dos anos fui dando-me conta disso. Comecei a cobrar de meu marido certas atitudes como ir a algum show de um artista que eu gosto, mas sem nenhum interesse dele, até que eu comecei a não querer mais fazer as coisas que ele gostava e isso acabou nos afastando. Cada dia um pouco mais.

Até a um certo dia depois de já desconfiar que ele poderia estar traindo-me, vi uma mensagem no celular dele à outra mulher. Nessa mensagem ela "aconselhava" ele. A mensagem dele pra ela era um elogio, coisa que nunca fazia comigo. Eu estava tão amortecida, tão "acostumada" a não questionar que pensei em deixar pra lá e não tocar no assunto com ele. Mas não aguentei e falei. Ele então disse que era uma amiga de trabalho que desabafou com ele sobre problemas com os filhos dela e ele me confessou que também desabafou com ela sobre nosso casamento. Me senti humilhada, exposta, um lixo, pois não sabia o que exatamente, ele tinha dito a ela sobre mim. Ele me garante que não houve nada entre eles mas fica difícil acreditar. Acredito sim que da parte dele poderia ter alguma intenção sim pelo contexto da mensagem que ele enviou a ela.

 

No dia que vi a mensagem até liguei a ela que também negou e disse ter deixado claro a ele que seriam só amigos. Mas nem ele nem ela me convenceram. Tentei levar em frente, seguir como casal mas o tempo passa e certas coisas ficam martelando na minha cabeça.

Minha vida que estava virada só piorou. Hoje não tenho vontade de fazer nada com ele, nem de sair, nem de sexo, e não sei até quando isso vai durar, pois sei que sexo é importante mas não sinto vontade nem desejo.

Agradeço se puder aconselhar-me.

(Espero ter sido clara)

Obrigada.

 

Cara leitora,

 

O segredo para manter um casamento é fazer coisas junto que cada um goste. Conversem e façam acordos, negociem, para que cada um possa  escolher o programa e para que ambos possam sentir-se felizes e, principalmente, para que não aconteça um afastamento.

O casamento é a dois e cada um precisa  ter o seu próprio espaço. Uma das causas das crises conjugais é o fato de as mulheres terem expectativas desproporcionais em relação a seus parceiros. Muitas mulheres querem um homem que as "inspire” e exigem que viva no auge do magnetismo e possa fazê-las sentirem-se o máximo o tempo todo.

Temos dentro de nós necessidades essenciais. São as demandas e expectativas inegociáveis - e que, quando abortadas em uma relação, só trazem frustração. Ninguém pode ter todas as necessidades preenchidas por outra pessoa. Mas há duas ou três coisas de que não dá para abrir mão, e o parceiro ideal é aquele que as respeite e as preencha.

Esqueça essa colega de trabalho. Invista na vossa relação pois é assim que podem recuperar o prazer de viver feliz como um casal.

 

Um abraço

 

Amor e desilusão

botero28.jpg

 Vi o seu espaço aqui na net e as pessoas a elogiam muito Dra. Por isso lembrei se me poderia responder a este problema.

Dediquei minha vida à minha namorada e ela quando viu que estava mal nem uma chamada fazia em demonstração que me ama. Agora tento ligar e me desliga na cara. Ela descobri que pelo modo como me tratava que essa falta de afeto era falta de amor. Tinha planos queria filhos. Tenho 33 anos Ela25 e ela se não amasse não devia ter arrastado a asa e dar falsa esperança.  Sempre fui fiel comunicativo na relação. 

Ela de repente me desliga telemóvel na cara e só responde por mensagem. Nem diz se namoramos ou se está terminado. Eu nunca a abandonei na vida. Em tudo o que ela sofreu estive sempre do lado dela até largava algum tempo de trabalho pra poder estar a apoiá-la. E agora quando estive mal de saúde ela nem uma chamada me fez mostrando preocupação. A amo muito. Não estou aguentando. Só me penso em suicidar porque não suporto esta dor. Ela fez violência psicológica comigo. É o que penso porque não se anda com alguém tanto tempo e dar falsa esperança.

Ela tem um defeito é fria e sofre quando faz amizades. Ela se chega a gente que a trata mal e quem lhe quer bem ela magoa por isso há pessoas que dizem que  não vale de nada serem amigos dela. Porque ela devia dar valor a quem lhe faz bem. Ela age a vida com Frieza sem admitir que magoa como se tivesse alguma sociopatia.

Gostaria de a ajudar a Mudar mas também preciso de ajuda porque este desgosto vai acabar por me matar. Estou muito magro e só choro todas as noites meus pais nem sabem como lidar.

 

Caro leitor,

Desilusões de amor acontecem, mas a vida continua e não vale desesperar. Pelo comportamento dela parece que ela está zangada consigo, mas só vai saber ao falar com ela. Se entretanto não conseguir um diálogo, o melhor é esquecê-la e refletir sobre a relação para tirar um ensinamento. A questão principal é tentar lidar da melhor maneira possível com essa experiência de vida dolorosa, procurando tirar um aprendizado para escolher uma pessoa mais adequada para si e poder ser mais feliz no futuro. Não se deixe violentar psicologicamente.

Chorar faz parte do luto e da dor, mas nunca pense em acabar com a vida, que é o bem mais precioso que temos. Lembre-se que uma pessoa ativa precisa trabalhar, divertir-se, sair com amigos e não precisa levar adiante o  sofrimento para sempre.

Nada melhor para esquecer um amor do que um novo amor!

Desiludido por traição

 

Boa tarde.

Se me pudesse ajudar agradecia imenso.

Não sei se preciso de um psicólogo, mas cada vez mais me sinto mais deprimido.

 

Antes era uma pessoa muito alegre, só queria sair para me divertir, estar com os amigos, mas quando tive uma traição da pessoa que amava fui muito abaixo comigo próprio e fechei-me mais no meu quarto.

 

Ela foi a única pessoa que amei, andei com ela cerca de 3anos e depois soube que traiu-me com um amigo meu.

 

Não soube ser forte, acabei por não ter forças para continuar os estudos, deixei o futebol e fui para o desemprego.

 

Tenho 21 anos e estou triste com a minha vida, não me apetece sair de casa, socializar com alguém, parece que perdi a minha auto-estima.

 

Os meus pais andam preocupados comigo, por estar sempre fechado no quarto, mas não sou capaz de contar a eles o que se passou comigo.

 

Será que um psicólogo me consegue ajudar ou é normal por terem acontecido as coisas que aconteceram?

 

Obrigada pela atenção.

 

Comprimentos

A.T.