Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Consultório de Psicologia

Espaço de transformação com a finalidade de orientar, ajudar, esclarecer dúvidas e inquietações. Encontre equilíbrio, use sua criatividade e deixe fluir sua energia. Mariagrazia Marini Luwisch

Consultório de Psicologia

Espaço de transformação com a finalidade de orientar, ajudar, esclarecer dúvidas e inquietações. Encontre equilíbrio, use sua criatividade e deixe fluir sua energia. Mariagrazia Marini Luwisch

Divorciada com filho

 

Boa tarde Dra.

 

Sinto-me completamente perdida, triste, e revoltada comigo própria, precisava assim caso possível que me orientasse....

 

Sou divorciada há mais de 8 anos, e tenho um filho de 12 anos, vivi somente com o meu filho cerca de 7 anos, no ano passado após namorar um ano, resolvi eu e o meu namorado passarmos a viver juntos.

 

O meu namorado também tem uma filhota proveniente de uma anterior relação.

 

Este verão, separámo-nos pois não suportava mais a forma como ele tratava o meu filho, ele não estava a ter o papel que eu achava importante ter, o de amigo essencialmente.

 

Repreendia-o em tudo o que fazia, nada era bem feito, nunca ouvi um "muito bem", e quando não era a ralhar, era desprezo....

 

Após cerca de um mês de tentar que reconsidera-se, resolvi aceitar que voltasse com promessas de que tinha mudado e que tudo iria ser diferente....

 

Neste momento, não poderei dizer que está igual, mas denotam-se comportamentos forçados, optou por não intervir em nada, contudo ainda esta semana que passou voltou a ter uma reação daquelas bem pesadas com o meu filho "não te admito que me fales assim"...

 

Após esta situação chamei-o  a atenção visto que não é a melhor forma de se impor respeito, pois em minha opinião, o respeito não se impõe, conquista-se...

 

Sinceramente estou completamente sem rumo, a relação após a reconciliação não voltou ao seu normal, e para além disso, ao fim de tão pouco tempo ele volta a desiludir-me relativamente ao meu filho....

 

Se me puder ajudar agradecia imenso....

 

Obrigada e cumprimentos.

 

 

Madrasta e enteados

 

 

Antes de mais, gostaria de lhe pedir desculpa por estar a "chatear", mas necessito de ajuda... Se for possível, claro...

Vivo há 4 anos em união de facto com um homem e 3 filhos de um anterior casamento q pelo q sei foi uma "desgraça".

 

Começando do inicio, a ex mulher do meu marido, abandonou os filhos há 6 anos ( hoje têm 16, 15 e 13 anos), mas pelo q eu sei, enquanto viviam juntos, ela saia mtas vezes de casa e passava meses em Lisboa em casa dos pais dela, mas sei e dito por ela ao telefone, ia-se a prostituir... enfim.

Bom, estas crianças foram criadas sem mãe e sem pai, foram criadas por uma avó q dizia "A", um tio q dizia "B", uma tia "C" e por ai em diante... Quando eles (os 3 miúdos), n faziam as coisas á maneira deles, levavam sem dó nem piedade... Nunca souberam o q era educação, nem tão
pouco regras básicas.

 

Apareci eu na vida deles e desde inicio implantei as ditas regras, como, "n se fala de boca cheia", "quem suja, limpa","pede-se licença quando se levanta da mesa", enfim, as regras q todos os pais ensinam aos filhos e q estes nunca as tiveram, com o mais novo sempre foi mt difícil, pois agredia-me e insultava-me e continua a faze-lo apesar de
estar a ser acompanhado por uma pedopsiquiatra.

 

Entretanto eu engravidei tendo o meu bebe 16 meses... O filho mais novo do meu marido disse logo q o mataria quando nascesse, esta criatura é maligna, é do pior, já fez de tudo, desde apontar facas aos irmãos, virar-se á avó, fazer birras de horas quando n se lhe fazem as vontades, um martírio mesmo.

Quanto aos outros 2, agora estão a por a ira e a revolta deles de fora, n estudam, só querem brincadeira, o meu marido ja foi chamado inúmeras vezes á escola por causa deles, em especial do mais velho. Este tb ja me agrediu...

 

Com isto tudo, já n estou aguentar mais esta situação, pois tb o meu marido n sabe ser pai, dá-lhes castigos e mais tarde para os manter calados q quietos entrega-lhes o computador, para n ficarem a fazer asneiras em casa sozinhos enquanto vamos ás compras e quando n tem aulas, manda-os passear. As ordens q eu dou n servem de nada pareço uma "matrafona" q só serve para escrava do lar...

 

Dra. estou mt cansada desta situação toda, pois já n tou a suportar mais o meu marido. Havia mt para contar...

Ajude-me

 

Obrigada pela atenção