Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Consultório de Psicologia

Espaço de transformação com a finalidade de orientar, ajudar, esclarecer dúvidas e inquietações. Encontre equilíbrio, use sua criatividade e deixe fluir sua energia. Mariagrazia Marini Luwisch

Consultório de Psicologia

Espaço de transformação com a finalidade de orientar, ajudar, esclarecer dúvidas e inquietações. Encontre equilíbrio, use sua criatividade e deixe fluir sua energia. Mariagrazia Marini Luwisch

Divórcio

Bom dia,

 

tenho 37 anos e estive casada durante 10, aos quais acresceram 6 anos de namoro. Tenho dois filhos com 7 e 5 anos, respectivamente. Há cerca de um ano o meu actual ex-marido começou uma relação com uma colega de trabalho mais velha 10 anos, casada e mãe de filhos.

O envolvimento foi tal que conduziu ao divórcio e à sua total mudança de atitude perante a vida, nomeadamente perante os filhos.

Costumo dizer que sou de personalidade forte e não me deixo ir abaixo por qualquer coisa. A verdade é que, após vários meses de tentativas, cedi e concordei com o divórcio (até fui aconselhada a isso pelo meu filho mais velho quando viu o que estava a passar). Desde Março que a separação é oficial, mudei de casa, orientei a vida e apoiei os miúdos e as coisas estão mais ou menos estabilizadas. Nunca pensei em tomar calmantes ou em fazer loucuras. Sempre achei que na vida tudo tem remédio com excepção da morte.

O problema é que agora que as coisas serenaram, estou a ser confrontada com duas situações com as quais não estou a saber lidar:

 

- por um lado sinto-me amorfa e sem um objectivo definido de vida. Em mais de 20 anos nunca estive sozinha (sempre tive namorado ou marido). Às vezes acho que um dia que os miúdos tenham vida própria, vai ficar um vazio.

- por outro, de cada vez que vão para o pai e apesar de ter ficado com a sua guarda, tenho medo que gostem mais de estar com ele e, principalmente, com a outra pessoa (que apesar de continuar casada, continua uma relação de namoro com o pai dos meus filhos)

 

Queria saber se os meus medos são normais depois do que passei e como devo agir para os ultrapassar

 

Obrigada